Problemas com garotas estranhas

Vocês acham que o site de sexualidade estão certos ?

2020.09.30 03:31 Maeve555 Vocês acham que o site de sexualidade estão certos ?

No início desse ano até hoje, estou me descobrindo bissexual,por que eu sempre senti um tesão muito forte em fotos de mulheres peladas, e quando eu assisti pornô lésbico pela primeira vez, eu sentia muito prazer. E essa não foi um dos motivos de eu ter questionado minha sexualidade, mas porque antes eu senti um sentimento muito forte por uma garota, tanto que eu fiquei um pouco obcecada por ela, stalkeava o insta dela, quando ela postava fotos dela meu coração disparava e eu sentia um frio na barriga ou até quando ela mandava mensagem, eu queria estar a todo o momento perto dela, poder tocar a pele dela. Então pra eu descobrir um pouco sobre a Bissexualidade, eu decidi pesquisar em alguns sites sobre esse tema, e lá eu vi que bissexuais não se sentem muito atraídos por ambos os sexos, tem meio que uma porcentagem 40% mulher 50% homem, Bissexualidade não é você sentir atração 50% mulher e 50% homem, quando eu descobri isso, eu vi que eu poderia ser bissexual (porque eu sempre fui mais atraída por homem, apesar de nunca ter experimentado nada com mulher), mas depois de uns meses, eu vi que tinha dias que eu pensava muito em mulheres e já tinha outros que eu não queria nada com elas. Pra poder descobrir mais sobre mim, pesquisei sites sobre mulheres HÉTEROS que sentiam tesão em pornô lésbico, achei aquilo um absurdo e fiquei com raiva e pensei "mano agora que eu tô me descobrindo bissexual, eles vem com essa de que mulher "hétero" gosta de pornô lésbico? Nada haver mano, como uma hétero vai gostar de sexo lésbico????", Eu só fiquei com raiva, porque pensei :essa minha "descoberta" na verdade era perda de tempo? Agora mulheres héteros sentem tesão por pornô lésbico? Então tudo isso foi uma mentira? Eu até agora não acredito em mulheres héteros que sentem tesão em pornô lésbico mas tudo bem. Depois repensei e lembrei que eu sentia tesão pelo corpo delas também, não só no pornô, aí eu vou pesquisar sobre isso, e falam que mulheres héteros também sentem tesão por mulheres peladas e eu fiquei tipo?????? Mano , como que uma mulher hétero sente tesão por outra mulher? Até hoje acho que isso é mentira, ou essas mulheres """héteros"""" sentem atração por mulher, mas não quer se rotular como lésbica ou bi. Depois, eu vi pessoas bissexuais falando que pra se descobrir bi, precisa ver relatos de outros bissexuais pra se identificar , então decidi pesquisar sobre esses relatos e eu vi que algumas pessoas se imaginavam beijando ou se apaixonando por atrizes ou atores, e foi por isso que eles se descobriram bi, o problema é que eu nunca fui de me imaginar beijando ninguém kkkkkk pior mulher, pq eu nasci em uma família muito religiosa e eu tenho um pouco de homofobia, então só de imaginar beijando mulher, eu achava estranho (hoje em dia não acho mais). Depois, eu fui em mais e mais sites, e vi coisas muito absurdas e estranhas, coisas que me definia muito e outras não. Vocês acham que é certo eu seguir dicas de sites, ou EU que não preciso de site pra me descobrir? E sobre os sites em que mulheres """"héteros"""" podem sentir tesão por outras mulheres, vocês acham que isso é verdade??? (eu não acho, nem fudendo que isso é verdade kkkkk acho que são mulheres que estão se reprimindo).
submitted by Maeve555 to arco_iris [link] [comments]


2020.09.30 02:59 Maeve555 Os sites que falam sobre sexualidade estão certos?

No início desse ano até hoje, estou me descobrindo bissexual,por que eu sempre senti um tesão muito forte em fotos de mulheres peladas, e quando eu assisti pornô lésbico pela primeira vez, eu sentia muito prazer. E essa não foi um dos motivos de eu ter questionado minha sexualidade, mas porque antes eu senti um sentimento muito forte por uma garota, tanto que eu fiquei um pouco obcecada por ela, stalkeava o insta dela, quando ela postava fotos dela meu coração disparava e eu sentia um frio na barriga ou até quando ela mandava mensagem, eu queria estar a todo o momento perto dela, poder tocar a pele dela. Então pra eu descobrir um pouco sobre a Bissexualidade, eu decidi pesquisar em alguns sites sobre esse tema, e lá eu vi que bissexuais não se sentem muito atraídos por ambos os sexos, tem meio que uma porcentagem 40% mulher 50% homem, Bissexualidade não é você sentir atração 50% mulher e 50% homem, quando eu descobri isso, eu vi que eu poderia ser bissexual (porque eu sempre fui mais atraída por homem, apesar de nunca ter experimentado nada com mulher), mas depois de uns meses, eu vi que tinha dias que eu pensava muito em mulheres e já tinha outros que eu não queria nada com elas. Pra poder descobrir mais sobre mim, pesquisei sites sobre mulheres HÉTEROS que sentiam tesão em pornô lésbico, achei aquilo um absurdo e fiquei com raiva e pensei "mano agora que eu tô me descobrindo bissexual, eles vem com essa de que mulher "hétero" gosta de pornô lésbico? Nada haver mano, como uma hétero vai gostar de sexo lésbico????", Eu só fiquei com raiva, porque pensei :essa minha "descoberta" na verdade era perda de tempo? Agora mulheres héteros sentem tesão por pornô lésbico? Então tudo isso foi uma mentira? Eu até agora não acredito em mulheres héteros que sentem tesão em pornô lésbico mas tudo bem. Depois repensei e lembrei que eu sentia tesão pelo corpo delas também, não só no pornô, aí eu vou pesquisar sobre isso, e falam que mulheres héteros também sentem tesão por mulheres peladas e eu fiquei tipo?????? Mano , como que uma mulher hétero sente tesão por outra mulher? Até hoje acho que isso é mentira, ou essas mulheres """héteros"""" sentem atração por mulher, mas não quer se rotular como lésbica ou bi. Depois, eu vi pessoas bissexuais falando que pra se descobrir bi, precisa ver relatos de outros bissexuais pra se identificar , então decidi pesquisar sobre esses relatos e eu vi que algumas pessoas se imaginavam beijando ou se apaixonando por atrizes ou atores, e foi por isso que eles se descobriram bi, o problema é que eu nunca fui de me imaginar beijando ninguém kkkkkk pior mulher, pq eu nasci em uma família muito religiosa e eu tenho um pouco de homofobia, então só de imaginar beijando mulher, eu achava estranho (hoje em dia não acho mais). Depois, eu fui em mais e mais sites, e vi coisas muito absurdas e estranhas, coisas que me definia muito e outras não. Vocês acham que é certo eu seguir dicas de sites, ou EU que não preciso de site pra me descobrir? E sobre os sites em que mulheres """"héteros"""" podem sentir tesão por outras mulheres, vocês acham que isso é verdade??? (eu não acho, nem fudendo que isso é verdade kkkkk acho que são mulheres que estão se reprimindo).
submitted by Maeve555 to sexualidade [link] [comments]


2020.09.25 15:27 Kasvai As amizades enganam,por mais de anos

Apesar de já ter superado a situação,achei que seria legal compartilhar.
Em 2014 (Tinha 9 anos),uma menina veio pra nossa escola,como eramos crianças,todos os meninos achavam ela estranha e tinham medo dela,incluindo eu. Conversava de vez em quando com ela e continuava achando ela estranha. Vou chamar ela de Amanda aqui.
Em 2016,ainda na mesma sala,eu acabo por sentar no assento na frente dela e,por isso,começamos a conversar com frequência,descobri então que ela era alguém super legal,conversamos por muito tempo sobre animes,um hobby que eu estava começando a desenvolver,que ela já tinha desde criança. Conheci vários animes incríveis por conta dela.
Em 2017 nós formamos um grupo de amigos em comum,composto por 7 pessoas,e tivemos 1 ano e meio muito legal juntos,brincavamos,papeavamos sobre como seriamos quando crescer,morar na mesma casa e tals,conversas bobas que,pra mim,tinha muito significado.
Em 2018,o grupo entrou em conflito total,não vou revelar o motivo das discussões,porém envolveu todos,o que acabou nos separando,3 pessoas foram para outras escolas e 1 pessoa foi para outro grupo,sobrando eu,Amanda e uma outra amiga em comum.
Em 2019,nós três eramos o que restava do grupo,mas não se importamos muito,conhecemos uma outra garota que se juntou ao grupo,e selecionou a amiga em comum como a melhor amiga dela,nada demais até aí.
Este ano,os trabalhos eram complicados e exigiam algumas reuniões presenciais dos alunos nas casas ou na escola no contraturno,foi aí que eu conheci a família da Amanda,e percebi que o motivo dela ser tão estranha pra quem não conhece,era ela ser a sombra da irmã dela,tudo que ela fazia,a irmã era melhor,a irmã tinha influenciado ela a assistir animes,percebi que ela sofria por causa disso,e então tentei ajudar. Fizemos prova de admissão em outris colégios juntos,estudavamos juntos,conversavamos quase todo dia,e tudo isso me deu esperanças de que eu estava ajudando.
Amanda,do nada,começou a ficar um pouco possessiva pela nossa amiga em comum,não aceitava que do nada alguém tinha roubado ela,eu pensei que era por conta dos problemas com a irmãe comentei isso com a menina que havia entrado no grupo aquele ano,e ela disse que também percebeu que a Amanda estava ficando possessiva demais,a Amanda começou a me ignorar no colégio e eu não estava entendendo nada daquilo,isso durou umas duas semanas,até que tomei coragem pra confrontar ela e dizer sobre aquilo,então mandei uma mensagem,algo como:
"Você está ficando um pouco paranóica com a amizade das duas,dá um pouco mais de espaço pra elas,você tem outros amigos também,tipo eu ou a *******".
A resposta que eu recebi foi a coisa mais horrível que me aconteceu,foi algo tipo:
"Desde o começo eu odeio sua personalidade,não sei como você pensou que seríamos amigos".
E ficou por isso mesmo,a minha melhor amiga por mais de 3 anos,do nada me manda uma dessa,eu fiquei totalmente sem chão,desolado,lutei tanto por ela simplesmente pra nada,todos aqueles rolês,o cinema,as besteiras,as risadas,ter que ouvir que tudo aquilo era falso e que eu tinha sido feito de bobo foi horrível.
A história acaba no ano novo,quando alguns amigos no qual eu estava passando as férias na praia pegam meu celular e ligam para o número dela,no qual eu fico bastante irritado e desligo a ligação,ela me manda uma mensagem:
"Oi,por que ligou?"
A partir daí nós tivemos nossa última conversa,na qual não quero dar detalhes,e decidimos cortar nossas relações.
Foi alguns meses depois para superar isso,mudei de colégio e conheci novas pessoas,hoje a frase "Não chore por ter acabado,sorria por ter acontecido" é uma das minhas frases favoritas,por mais que,talvez,as risadas delas foram falsas,as minhas foram reais,e eu me diverti muito enquanto durou.
Edit: comi palavras
submitted by Kasvai to desabafos [link] [comments]


2020.09.05 04:27 frdnt Despindo o Homem Encapuzado

A teoria abaixo é parte de uma serie de textos escritos por Cantuse em seu blog. Link: https://cantuse.wordpress.com/2014/09/30/the-hooded-man-uncloaked/
-------------------------------

O MANIFESTO : VOLUME II, CAPÍTULO III

Provavelmente, um dos maiores mistérios de A Dança dos Dragões é a identidade do homem encapuzado. Muitas pessoas foram propostas, de Robett Glover a Harwin e ao próprio Theon em algum estado dissociativo.
No entanto, acredito que posso fazer uma conclusão mais convincente de que o homem encapuzado não é nenhuma dessas opções mais conhecidas. Este ensaio explica minha teoria sobre o homem encapuzado e seu propósito em Winterfell.
Colocando minhas cartas na mesa, aqui estão as principais afirmações que faço:
NOTA: Este ensaio pode ser controverso em sua construção e conclusões. Deve-se notar que a identidade do homem encapuzado não é verdadeiramente crítica para que o restante do Manifesto valha a pena. Este ensaio é bastante independente, não afetando mais nada no Manifesto.
Em outras palavras, se você não gosta deste ensaio, pode simplesmente ignorá-lo e continuar.
[...]

PRIMEIROS SINAIS DO GIGANTE

Eu gostaria de um breve momento para destacar algo importante.
– Para lutar com Lorde Stannis, temos que encontrá-lo primeiro – Roose Ryswell observou. – Nossos batedores saíram pelo Portão do Caçador, mas até agora nenhum deles retornou.
(ADWD, Um Fantasma em Winterfell)
Batedores estão desaparecendo do lado de fora do Portão do Caçador. Este é o mesmo portão onde Mors Crowfood parece chegar um ou dois dias depois:
O rufar parecia estar vindo da Matadelobos, além do Portão do Caçador. Estão do lado de fora das muralhas.
(ADWD, Um Fantasma em Winterfell)
O desaparecimento dos batedores parece algo pelo qual Mors seria responsável. É consistente com o que encontramos no capítulo liberado de Theon de Os Ventos do Inverno: construir obstáculos e impedir ou matar aqueles que saem dos portões. No mínimo, Mors não quer que nenhum batedor encontre seu bando de garotos e informe a Roose Bolton.
Mais importante, os batedores ausentes indicam que Mors estava realmente fora de Winterfell há pelo menos um dia (talvez mais) antes de tocar seus berrantes de guerra.
Mas por que ele ficaria lá aguardando em segredo?
Para responder a essa pergunta, temos que mergulhar no mistério do homem encapuzado.

O IDIOTA DOS RYSWELL

É difícil imaginar o tipo de mente obtusa que é necessária para ser Roger Ryswell. Há algo de suspeito sobre a magnitude e a natureza de sua idiotice.
O Idiota dos Ryswell
Eu gostaria de um momento para mostrar algumas passagens:
– Um bêbado – Ryswell declarou. – Mijando da muralha, aposto. Escorregou e caiu.
(ADWD, Um Fantasma em Winterfell)
:::
– Esses mortos eram todos homens fortes – disse Roger Ryswell –, e nenhum deles foi apunhalado. O Vira-Casaca não é nosso assassino.
(ADWD, Um Fantasma em Winterfell)
:::
Roger Ryswell grunhiu.
– Se não é ele, quem é? Stannis tem algum homem dentro do castelo, isso está claro.
(ADWD, Um Fantasma em Winterfell)
:::
Ryswell não estava convencido.
– Ele, no entanto, ama seus bifes, costelas e tortas de carne. Rondar o castelo na escuridão exigiria que deixasse a mesa. O único momento em que faz isso é quando procura a latrina para uma de suas longas horas agachado.
(ADWD, Um Fantasma em Winterfell)
Vejam, pode ser apenas eu, mas não parece que ele está quase deliberadamente negando qualquer explicação possível para os assassinatos?
Da perspectiva de um leitor, não é também uma estranha coincidência que Roger faz afirmações que contradizem vários truques que nós realmente vimos em A Dança dos Dragões:
Roger nega que as três diferentes conspirações que descobrimos sejam verdadeiras ou se tornarão verdadeiras posteriormente no livro e rapidamente descarta o restante.
Como uma pessoa consegue ser tão boa em acidentalmente impedir uma investigação de assassinato?
Falta de contato visual
Quando você pensa no Homem Encapuzado e na descrição que temos dele, existem apenas dois detalhes que vêm à mente: sua capa e seus olhos.
Mais adiante, cruzou com um homem que vinha na direção oposta, uma capa com capuz agitando-se atrás dele. Quando se encontraram frente a frente, seus olhos se encontraram brevemente. O homem colocou a mão na adaga.
– Theon Vira-Casaca. Theon assassino de parentes.
(ADWD, Um Fantasma em Winterfell)
Assim, vemos que Theon dá uma rápida olhada na capa do homem. Vemos também que Theon evita contato visual com o homem.
Essa falta de contato visual pode ser importante para determinar a identidade do homem encapuzado. Não há dúvida de que Theon evita o contato visual em geral, podemos supor que isso aconteça de vez em quando.
No entanto, gostaria de apontar outro exemplo muito interessante que mostra Theon evitando deliberadamente o contato visual ou olhar para o rosto de uma pessoa:
Pernas de Aço o levou pelo Grande Salão, até o solar que certa vez fora de Eddard Stark. Lorde Bolton não estava sozinho. A Senhora Dustin estava sentada com ele, o rosto pálido e severo; um broche de ferro com o formato de uma cabeça de cavalo prendia a capa de Roger Ryswell; Aenys Frey estava em pé perto do fogo, as bochechas vermelhas com o frio.
– Me contaram que você anda vagando pelo castelo – Lorde Bolton começou. – Homens reportaram terem visto você nos estábulos, nas cozinhas, nos barracões, nas ameias. Foi observado perto das ruínas das torres caídas, do lado de fora do velho septo da Senhora Catelyn, indo e vindo do bosque sagrado. Nega isso?
– Não, ‘nhor. – Theon fez questão de falar mal a palavra. Sabia que aquilo agradava Lorde Bolton. – Não consigo dormir, ‘nhor. Eu caminho. – Manteve a cabeça baixa, olhos fixos nas velhas tábuas corridas no chão. Não seria sábio olhar sua senhoria no rosto.
(ADWD, Um Fantasma em Winterfell)
Você notou o rosto que Theon não conseguiu explicar?
A Senhora Dustin estava sentada com ele, o rosto pálido e severo; um broche de ferro com o formato de uma cabeça de cavalo prendia a capa de Roger Ryswell; Aenys Frey estava em pé perto do fogo, as bochechas vermelhas com o frio.
(ADWD, Um Fantasma em Winterfell)
Por que obtemos descrições dos rostos de Barbrey Dustin e Aenys Frey, mas apenas a capa e o broche de Roger Ryswell? Ora, mesmo que Theon não olhe para Roose Bolton, ele pelo menos explica a razão para não fazer isso.
Tenha em mente que este interrogatório acontece logo após o encontro de Theon com o homem encapuzado, então o contato visual furtivo pode ser um indicativo de um comportamento continuado daquele encontro anterior.
Além disso, um detalhe extremamente pequeno é que Theon se detém na capa de Roger, o único outro detalhe que temos sobre o homem encapuzado.
Existem outros elementos interessantes do interrogatório de Theon:
Dedos perdidos
Quando a Senhora Dustin exige que Theon remova suas luvas: Roger Ryswell não mostra nenhum interesse nos dedos perdidos de Theon. Os outros participantes (Barbrey Dustin e Aenys Frey) comentam especificamente sobre suas mãos. Ryswell não o faz, em vez disso, descarta imediatamente Theon como um suspeito, não com base nos dedos, mas na falta de força de Theon. Ele também o chama de vira-casaca aqui. Talvez sua falta de interesse nas mãos de Theon seja porque ele acabou de vê-los.
Vassalos rivais
A outra coisa interessante sobre Ryswell aqui é sua aversão particular por Wyman Manderly. Embora insultar o personagem de Manderly seja muito comum, Manderly e Ryswell não têm grandes motivos para animosidade e, portanto, as observações de Ryswell sobre Wyman parecem bastante enfáticas:
– Ele, no entanto, ama seus bifes, costelas e tortas de carne. Rondar o castelo na escuridão exigiria que deixasse a mesa. O único momento em que faz isso é quando procura a latrina para uma de suas longas horas agachado.
(ADWD, Um Fantasma em Winterfell)
Este é um insulto particularmente venenoso.
Há um homem no norte que fez comentários grosseiros deste tipo sobre Wyman. Mors Papa-Corvos Umber:
– Manderly? – Mors Umber fungou. – Esse grande saco bamboleante de banha? Seu próprio povo caçoa dele, chamando-o de Lorde Lampreia, segundo ouvi dizer. O homem quase não consegue andar. Se espetasse uma espada na sua barriga, dez mil enguias torceriam-se para fora.
(ACOK, Bran II)
Os Umbers e Manderlys são conhecidos por entrarem em conflito por várias questões, como a herança das propriedades da Senhora Hornwood. Independentemente de qualquer trégua atual que possam ter, Mors continua sendo uma pessoa improvável de conter tais comentários depreciativos.
Agora você pode ver que estou começando a afirmar os dois pontos a seguir:
Devo admitir que, até agora, apresentei evidências interessantes, porém circunstanciais.
Não tenho dúvidas de que esses pontos parecem apenas parcialmente sólidos até agora. Mas tenha fé. O resto virá em alguns instantes.

O GRILHÃO DE RUBI

Então, onde está o “grilhão de rubi” - a braçadeira que Melisandre colocou em Mance Rayder em A Dança dos Dragões?
Sabemos que esse grilhão parecia criar e sustentar um glamour (ou ilusão), que Mance Rayder era na verdade Camisa de Chocalho.
Esta parece ser uma ferramenta incrivelmente valiosa, especialmente quando se fala sobre os tipos de atividade furtiva em que Mance e Mors estão envolvidos.
Então onde está? O que pode ser feito com isso?
Mance Revelado
Em primeiro lugar, sabemos que Mance não está usando a braçadeira de rubi, ou que ela pelo menos está desativada. Sua aparência como Abel é muito parecida com sua aparência original em A Tormenta de Espadas:
Uma mulher grávida estava em pé junto a um braseiro, cozinhando algumas galinhas, enquanto um homem grisalho com um esfarrapado manto preto e vermelho estava sentado numa almofada, de pernas cruzadas, tocando uma alaúde e cantando.
(ASOS, Jon I)
O Rei-para-lá-da-Muralha não se parecia em nada com um rei, e tampouco se parecia com um selvagem. Era de média estatura, magro, com feições bem definidas, astutos olhos castanhos e longos cabelos castanhos já quase totalmente grisalhos.
(ASOS, Jon I)
Os dedos de Abel dançavam pelas cordas de seu alaúde. A barba do cantor era castanha, embora seu longo cabelo já estivesse em grande parte cinza.
(ADWD, Theon)
Então, como ele removeu o grilhão de rubi?
O texto deixa claro que o grilhão de rubi não interfere de forma alguma com o livre arbítrio de Mance, conforme implícito no conforto de Melisandre de que suas visões diriam se Mance era uma ameaça para ela, e em ela sentir que ter o filho de Mance é o que obriga a sua lealdade.
Com isso em mente, não há razão para deixar a algema em Mance.
Um fator adicional é o fato de que a Camisa de Chocalho é absolutamente horrível. Ninguém acreditaria que ele é um cantor e artista, e mesmo que acreditasse, sua aparência mereceria mais escárnio do que qualquer outra coisa.
Além disso, Melisandre tem interesse em ver Mance bem-sucedido. Se o grilhão de rubi pode ajudar nessa tarefa, parece não haver razão para que ela interfira. Afinal, a missão de Mance é vital para a campanha de Stannis, quão importantes são os segredos dela em comparação a isso?
As regras do jogo
Melisandre revela alguns dos mecanismos internos de seus glamours:
– Os ossos ajudam – disse Melisandre. – Os ossos se lembram. As seduções mais fortes são construídas com tais coisas. Uma bota de um homem morto, um tufo de cabelo, um saco de dedos da mão. Com palavras suspiradas e orações, a sombra de um homem pode ser tirada de um e vestida em outro como um manto. A essência de quem veste não muda, apenas sua aparência.
(ADWD, Melisandre)
Isso é interessante porque é incoerente com as preferências de Martin sobre a implementação de magia em romances de fantasia:
Eu simpatizo mais com a maneira como Tolkien lidou com a magia. Eu acho que se você vai fazer magia, ela perde suas qualidades mágicas caso se torne nada mais do que um outro tipo de ciência. É mais eficaz se for algo profundamente desconhecido e maravilhoso, e algo que pode tirar o fôlego.
(George RR Martin sobre magia vs ciência: Weird Tales)
Isso sinalizar imediatamente para os leitores de que algo importante está acontecendo aqui: Martin decidiu que revelar o mecanismo interno dos feitiços era mais importante para a história do que preservar o encanto da magia.
Embora isso não seja evidência de nada em particular, certamente deixa aberta a possibilidade de que Martin não apresentou desordenadamente os mecanismos subjacentes do glamour sem um bom motivo. O trecho sobre glamours é notável precisamente porque não é característico de sua representação da magia em As crônicas de gelo e fogo .
Deixando de lado as opiniões de Martin sobre magia na ficção, também é notável que Melisandre forneça essas explicações naquele momento. Afinal, supostamente nunca mais veremos o glamour ou o grilhão de rubi novamente. Por que se preocupar em explicar tudo, se é irrelevante para Mance ou Jon Snow?
Juntas, essas ideias soam como se Martin pensava que os glamours eram importantes o suficiente para explicar aos leitores, sugerindo importância futura.
Quem está com o grilhão?
Se Mance não está usando a algema, onde está?
A melhor maneira de lidar com essa questão é considerar a origem primeira... quem terá autoridade final sobre quem fica com o grilhão?
Melisandre.
Agora reflita:
Faz todo sentido do mundo que ela o deixe usá-lo. Não há absolutamente nenhuma evidência de que Jon o tivesse, e é altamente duvidoso que ela o daria a outra pessoa ou privaria Mance de sua utilidade.
Isso significa que Melisandre deu o grilhão a Mance, colocando-o em posição de dá-la a qualquer pessoa que encontrar. Portanto, a ideia de que Mors Papa-Corvos estava com o grilhão é, no mínimo, plausível.
A ideia de que Mors está com o grilhão faz muito sentido: fornece a ele uma maneira de acessar Winterfell e garantir que tudo esteja pronto para a missão de resgate. Afinal, Mors deve ter considerado a possibilidade de que Mance falhou em sua missão, Mors não poderia simplesmente tocar sua bateria e soprar suas buzinas indefinidamente.
No entanto, fazer 'muito sentido' e ser a resposta definitiva são duas coisas muito diferentes. Será necessário investigarmos mais para tornar esta afirmação convincente.
* * *
Não, não expliquei nem articulei que Mance sabe usar a braçadeira. Mas acredito que o convencimento de que o grilhão será usado pode ser feito sem que este fato seja revelado.

MORTE DE UM RYSWELL

Se eu acredito que Ryswell é um antagonista secreto?
Não. Roger Ryswell está morto .
Deixe-me explicar.
Um broche de cabeça de cavalo
Roger Ryswell usa um broche ímpar para prender sua capa:
um broche de ferro com o formato de uma cabeça de cavalo prendia a capa de Roger Ryswell
(ADWD, Um Fantasma em Winterfell)
Lembre-se do que Melisandre disse:
– Os ossos ajudam – disse Melisandre. – Os ossos se lembram. As seduções mais fortes são construídas com tais coisas. Uma bota de um homem morto, um tufo de cabelo, um saco de dedos da mão. Com palavras suspiradas e orações, a sombra de um homem pode ser tirada de um e vestida em outro como um manto. A essência de quem veste não muda, apenas sua aparência.
(ADWD, Melisandre)
Parece ser uma observação justa que o broche (e talvez a capa) seria uma fonte ideal para um glamour.
A confusão de Theon
Havia uma passagem no início de A Dança dos Dragões que sempre me intrigara:
Uma coluna de cavaleiros veio logo atrás, liderada por um fidalgote com uma cabeça de cavalo em seu escudo. Um dos filhos de Lorde Ryswell, Fedor soube. Roger, ou talvez Rickard. Ele não sabia quem era quem quando estavam separados.
– Estes são todos? – o cavaleiro perguntou, do alto de um garanhão castanho.
(ADWD, Theon)
Portanto, vemos que Theon tem problemas para diferenciar Roger de Rickard. É possível então que ele pudesse confundir os dois, dentro de determinadas circunstâncias.
Tenho certeza de que a confusão não está presente em situações de grupo, em que seria capaz deduzir qual deles era com base nas ações dos demais. Essa confusão seria mais proeminente em situações em que ele não tivesse outras pessoas para ajudar: em situações silenciosas e solitárias.
A utilização mais proeminente dessa dificuldade ocorre na noite anterior ao início dos assassinatos:
Sob a Torre Queimada, passou por Rickard Ryswell com o nariz enfiado no pescoço de outra das lavadeiras de Abel, a gordinha com bochechas de maçã e nariz achatado. A garota estava descalça na neve, embrulhada em um manto de pele. Ele imaginou que estivesse nua por baixo. Quando ela o viu, disse algo para Ryswell que o fez gargalhar.
(ADWD, O vira-casaca)
É interessante considerar que este aí pode ter sido Roger Ryswell.
A oportunidade
Com base na descrição, a esposa de lança nesta cena é Frenya, uma mulher corpulenta que é bastante habilidosa no combate: na tentativa de fuga, ela conseguiu lutar com uma lança de um dos guardas de Bolton e ferí-lo.
Quando você reflete sobre Frenya estar realmente se atirando sobre Roger (e não Rickard), as hipóteses de repente ganham vida!
Roger está sozinho em uma área isolada de Winterfell, com a esposa de lanças Frenya. A oportunidade de matar Roger para pegar seu broche e sua capa surgiu.
Lembre-se de que os assassinatos começam a acontecer na manhã seguinte a Theon ver Ryswell com Frenya.
A teoria
Usando as ideias que apresentei até agora, gostaria de montar uma teoria sobre Roger Ryswell.
  1. Frenya atraiu Roger Ryswell para o topo da muralha interna de Winterfell. Ela pegou a capa dele e então o empurrou para a morte.
  2. Esta capa foi então atirada ou enviada para Mors Papa-Corvos.
  3. Mors, em posse do grilhão de rubi, usou a capa para parecer Roger e entrar em Winterfell.
  4. Ele então fica por perto, talvez debatendo coisas ou reunindo conhecimentos. Ele participa das investigações dos assassinato, sabotando-as.
  5. Ele encontra Theon na famosa cena do “Homem Encapuzado” e novamente no interrogatório.
  6. Sua presença no interrogatório é o que dá a Mors a confiança de que a missão pode começar.
    Essa teoria faz sentido por alguns motivos:
Vernáculo compartilhado
Sempre houve uma notável semelhança entre duas afirmações, uma feita por Mors Umber e a outra pelo encapuzado:
– Theon Vira-Casaca. Theon assassino de parentes.
– Não sou. Eu nunca... eu era um homem de ferro.
– Falso é tudo o que você era. Como é que ainda está respirando?
(ADWD, Um fantasma em Winterfell)
:::
Em vez disso, ele choramingou através de dentes quebrados e disse:
– Sou...
– ... um vira-casaca e assassino de parentes, – Papa-corvos completou. – Segurará essa língua mentirosa ou a perderá.
(TWOW, Theon – tradução minha)
É notável que pouquíssimas pessoas se refiram a Theon como um assassino de parentes: Mors, Rowan e o Homem Encapuzado.
Mas isso nada se compara ao fato de que o homem encapuzado e Mors chamam Theon de vira-casaca, assassino de parentes e mentiroso / falso ... exatamente na mesma ordem.
Por algum tempo, isso sugeria a possibilidade de Mors ser o homem encapuzado, mas seu olho a menos [de Mors] me impedia de explicar essa possibilidade.
No entanto, a braçadeira de rubi subverte esse problema perfeitamente.
Ocultando o corpo
Vamos revisitar o primeiro assassinato, usando essa teoria como um guia.
Para refrescar sua memória:
Com esta teoria como guia, de repente fica claro: a primeira vítima de assassinato, o corpo enterrado na neve, era na verdade Roger Ryswell.
Em primeiro lugar, há algo muito singular neste assassinato em comparação com todos os outros: o corpo estava escondido.
Os outros assassinatos estavam todos à vista e tiveram um claro componente psicológico. Este corpo não era para ser descoberto:
Se as cadelas de Ramsay não o tivessem desenterrado, ele poderia ter ficado lá até a primavera. Quando Ben Ossos o puxou, Jeyne Cinza havia comido tanto do rosto do morto que meio dia se passou antes que soubessem com certeza quem era: um homem em armas de quatro e quarenta anos que marchara para o Norte com Roger Ryswell.
(ADWD, Um fantasma em Winterfell)
Além disso, é interessante que o rosto tenha sido comido porque tornou a identificação impossível. Caberia quase inteiramente a “Roger Ryswell” apurar a identidade do homem. Talvez seja por isso que Roger foi tão rápido em descartar o corpo como sendo apenas um bêbado.
Mais uma coisa a notar é que “Roger” declara que a vítima provavelmente estava mijando à beira da muralha:
– Um bêbado – Ryswell declarou. – Mijando da muralha, aposto. Escorregou e caiu. – Ninguém discordou. Mas Theon Greyjoy se perguntou por que um homem subiria por degraus escorregadios de neve até as ameias, na escuridão da noite, apenas para mijar.
(ADWD, Um fantasma em Winterfell)
Isso poderia de alguma forma implicar que as calças do homem morto estavam abertas ou abaixadas?
Fosse esse o caso, não poderia ser mais provável que o homem estivesse envolvido em um ato sexual quando caiu e morreu? No mínimo, certamente parece mais plausível que um homem procurasse um canto recluso para fazer sexo no alto das muralhas do que que ele tenha escalado uma muralha para mijar.
Resumidamente, se o morto estivesse no meio de algo que envolvesse seu pênis ficar fora das calças enquanto estava em cima das muralhas, provavelmente seria para sexo e não para urinar.
Se for esse o caso, temos que reconhecer que no dia anterior à descoberta do corpo, Theon viu um Ryswell com Frenya. Naquele momento, Theon observa que Frenya provavelmente “estivesse nua por baixo” da capa de pele de urso. Isso parece implicar que eles estavam fazendo (ou iam) fazer sexo. Minha opinião pessoal é que Frenya atraiu Roger Ryswell para o topo das muralhas, prometendo sexo oral. Durante o ato, ela agiu e o matou.

Preparado o palco

Voltando aos pontos iniciais deste ensaio, há questões que precisam de respostas:
  1. Dado que Mors e Mance colaboraram na missão de resgate, como Mors saberia que Mance estava pronto para levar a missão a cabo?
  2. Como Mance saberia que Mors estava fora de Winterfell, pronto para receber Arya?
  3. Por que Mors permaneceria em segredo fora de Winterfell por um dia ou mais antes de tocar seus berrantes?
Mors poderia facilmente indicar a Mance que ele estava no a postos: os berrantes de guerra fazem isso muito bem.
O verdadeiro problema é informar Mors de que a missão de resgate está pronta para acontecer. Para isso, os selvagens precisam ter algum tipo de sinal ou outra forma de se comunicar com Mors. Também pode haver detalhes específicos que modificam quaisquer planos que Mors e Mance possam ter inicialmente traçado.
Em última análise, Mance e Mors iria precisar de alguma forma de se comunicar. Eu acredito que foi por isso que Mors permanece por vários dias fora Winterfell antes de anunciar sua presença com os berrantes de guerra. Ele usa sua presença icógnita para acessar Winterfell e verificar se tudo está pronto para a tentativa de resgate. Talvez seja por isso que os batedores tenham desaparecido, para garantir o disfarce ou algo semelhante.

IMPLICAÇÕES

Existem algumas idéias (e questões) interessantes que surgem a partir deste ensaio:
O que aconteceu com o grilhão de rubi?
Eu acredito que é entregue a Mance antes da partida final de Papa-Corvos do castelo. Isso ocorre porque há evidências de que isso é fundamental para a “estratégia de saída” de Mance.
Senhora Dustin ou o outro Ryswell não notariam?
Os Ryswells se odeiam abertamente. Eles não prestam muita atenção às nuances do comportamento de seus irmãos.
Os Ryswells eventualmente não perceberiam que Roger estava desaparecido (depois que Mors saiu)?
Eventualmente. Não acho que Mors ou Mance realmente se importariam, e ninguém teria ideia do que realmente aconteceu.
submitted by frdnt to Valiria [link] [comments]


2020.09.04 18:33 DanteStonecross Senta que la vem história

Eu to a algum tempo lendo e comentando coisas nesse /, e eu sempre quis dizer varias coisas aqui, porque de algum jeito eu me sinto confortável de ver essas coisas e todos vocês, mesmo discordando com algumas pessoas aqui e ali ta tudo bem, discordar é normal, faz a gente mais humano.
Mas eu queria muito contar uma história aqui hoje, é uma jornada importante pra mim, e eu espero que vocês gostem de me ver aprendendo uma coisa muito complicada. Nessa história, todos os nomes serão fictícios, e será um resumo muito resumido, então a grande maioria dos fatos não está aqui, mas o que isso tudo me ensinou, você vai poder ver com certeza.
Eu sempre fui um Romântico, e quando eu digo Romântico, eu falo da escola literária, eu não uso aquele português difícil, mas eu enxergo o mundo de uma maneira similar, eu vivo os momentos com as pessoas com intensidade, com muito sentimento, e os momentos seguintes a esses vem a melancolia.
A primeira vez que eu me apaixonei quando tinha 11 anos, o mundo se tornou diferente pra mim, era como se de repente todo o resto fosse preto e branco, e apenas aquela garota fosse colorida(eu tenho essa história contada em um texto, que é o ponto inicial da minha depressão, escrito exatamente como aquela criança enxergava o mundo, se ao final alguém se interessar eu mando sem problemas).
E, perto se fazer 14, em 2013, eu conheci uma garota muito mais do que bonita, ela era simplesmente divina aos meus olhos, ela era tão incrível, ela tinha absolutamente tudo que eu gostava. Eu conheci a Ágata dando aulas de matemática(o que mais um nerd faz?) e algo me chamou muita atenção: mesmo com 13 anos eu já tinha dado muitas aulas pra muitas pessoas e todo mundo tem um limite, todo mundo desiste(pede uma pausa) depois de X questões, mas ela não, mesmo sem entender muitas coisas ela persistia até o fim tentando entender tudo, até o horario dela ir embora ela continuou la, com o caderno e a caneta fazendo de tudo pra conseguir entender.
Bons meses depois Ágata se tornou minha melhor amiga(embora no início ela respondia minhas mensagens a cada 3 semanas, sem exagero!), e mais um tempo depois e muitos conflitos com a família dela, a gente começo a namorar.
Eu ainda não posso explicar o que era a sensação de namorar com ela, ela era literalmente o que todo garoto sempre sonhou: baixinha, cabelo cacheado, um rosto muito agradável, um sorriso lindíssimo, peitos e bunda enormes(ENORMES), cantava feito um anjo, era popular, divertida, extrovertida, dedicada, esforçada... É uma lista de qualidades que, na época, transbordava.
De 2014 até 2019, nós tivemos 3 anos de relacionamento e 5 anos de amizade, e eu aprendi muito mesmo em todos esses anos. O motivo do término do relacionamento(numa versão em resumo do resumo do resumo) foi, principalmente, possessão. Eu tenho um pai que é extremamente possessivo e eu levei 14 anos pra sair das garras deles(ou seja, ainda era recente quando eu conheci ela), e 1 ano depois do namoro ela começou a querer cada vez mais a minha atenção, onde eu não sentia mais liberdade pra fazer coisas que eu queria, porque eu tinha que ficar 3 horas falando no telefone com ela(e eu nem gosto de falar no telefone).
Não me entendam mal, eu não estou dizendo que fui perfeito, que não tive defeitos ou que só eu que estava passando por problemas, acabou porque precisava acabar. Inclusive se você, Ágata, por algum motivo descobriu o reddit e se reconhecer nesse post, saiba que mesmo não mais falando com você e não conseguindo mais olhar na sua cara(história pra outro dia), você pra sempre terá minha gratidão e meu respeito, nós vivemos muitas coisas juntos e, se hoje eu sou um homem, foi você que o moldou, muito obrigado.
Quando isso terminou, eu comecei a conversar mais com uma outra garota que eu conhecia, estudava na mesma escola que a gente, e conforme eu a conheci, ela começou a conquistar cada vez mais espaço no meu coração.
Carol era uma mulher interessante de várias maneiras, ela era extremamente extrovertida, cantava muito bem, tinha muitas histórias pra contar, era uma das pessoas que mais tinham ficado com gente na escola, e principalmente, ela tinha acabado de ganhar uma filinha. O jeito que a Carol olhava pra filha dela me fazia querer estar por perto, não porque ela parecia uma mãe incrível, mas porque havia uma dualidade dentro dela: aquela criança foi concebida de um estupro, onde foi muito difícil aceitar conceber a criança, quando ela nasceu era completamente visível que ela não sabia o que fazer, ela amava mais do que tudo aquela criança, ao mesmo tempo que ela via o homem que fez isso quando olhava pra ela(graças a deus, isso mudou bem rápido).
O tempo passou e eu e Carol começamos a nos dar muito bem, e em meados de 2019 a gente se beijou pela primeira vez, essa foi oficialmente a segunda pessoa que eu beijei na vida e cara, que coisa mais estranha, eu não sabia nem como descrever o que tinha sido aquilo de tão estranho... Até que ela me beijou uma segunda vez, e ai oficialmente, aquele era o melhor beijo do mundo.
Eu e Carol ficamos mais algumas vezes, e a gente se dava muito bem em tudo, até na cama era muuuuito diferente do que era com a minha ex, e a gente fazia tantas coisas juntos, viamos animes, conversavamos sobre varias pessoas, saíamos pra comprar roupas...
Cada dia que passava o meu sentimento só aumentava, e quanto mais ele aumentava, mais coisas que eu achava incríveis aconteciam, como a gente ver as coisas abraçadinhos, ficar de mãos dadas, varias dessas coisas de casal.
O meu erro? Carol desde o inicio falou "Não se apaixona por mim, eu não me apaixono por ninguém". Eu segui essas instruções o quanto foi possível, mas cara, talvez fosse loucura minha, mas parecia muito que ela também estava apaixonada, não com palavras porque toda vez que eu mencionava ela mudava a expressão e o jeito por um tempinho, mas as atitudes dela, os nossos momentos...
Depois de um tempo, no inicio desse ano, eu tentei cortar a Carol da minha vida torcendo pra que resolvesse meu problema, e deu certo por 1 mês até que ela me mandou mensagem perguntando quanto tempo isso levaria. Eu dei o meu melhor e coloquei todos os meus sentimentos em um texto, cada palavra continha tudo que eu sentia por ela, e ela também fez um texto de volta pra mim, e eu pude sentir o que ela sentia também, ela queria ser só minha amiga, e nada mais.
Nós ficamos mais 3 ou 4 meses sem nos falar até que, por intermédio de uma amiga em comum, a gente voltou a se falar e, desde então eu vi Carol mais umas 3 ou 4 vezes, mas é tudo muito estranho, a gente troca mensagens uma vez por semana e olhe la, eu nem acredito que um dia a nossa amizade volte, quanto mais a gente ficar ou coisas do tipo.
Mesmo com tudo isso, ela sempre viveu no meu coração.
Porem aqui vem a lição, meus amigos.
Há semanas atrás, eu consegui contato com uma garota que a gente não se via a muitos, muitos anos. Sabe aquela história de primeiro amor a gente nunca esquece? Esse foi meu segundo, e o que eu verdadeiramente nunca esqueci, eu sempre vou me lembrar do meu primeiro dia de aula numa escola completamente nova, e no fim do dia eu ainda todo perdido uma garota me puxa, me olha nos olhos e a primeira coisa que ela diz pra mim é: "Você namoraria comigo?". A resposta pra essa pergunta era não, obviamente, foi muito aleatório, mas eu estava tão nervoso que saiu "sim", ela deu um sorrisinho e voltou ao que tava fazendo. Desde aquele dia, Livia se aproximou cada vez mais de mim, e ela tentou me conquistar todos os dias, e acreditem em 2012/13 eu não era naada fácil.
E quando eu consegui falar com ela novamente, alguma coisa dentro de mim estalou, a gente voltou a conversar e era como se nada tivesse mudado, a gente conseguia desenvolver do mesmo jeito que a gente sempre fez, nem parecia que tinham 7 anos sem contato. A gente se viu algumas vezes(sim, eu sei que a gente ta de quarentena, todas as medidas de seguranças foram tomadas pra gente conseguir) e, cara, eu tinha me esquecido o que é olhar pra alguém que te olha como se você fosse uma obra prima, aquele olhar de quando éramos crianças não mudou nem um pouquinho, ela ainda olha pra mim como se eu fosse a pessoa mais legal do mundo.
Eu, com todos os meus defeitos, com todas as minha chatisses e meu jeito ""inteligente"" de ser, onde a lista de qualidades é exatamente igual a lista de defeitos, ela me vê como se fosse alguém muito mais do que incrível.
E eu olho pra ela assim também, e quando eu a olho, eu quero que ela sinta a pessoa incrível que eu vejo, uma pessoa que passou por inúmeros problemas pelo mundo afora e ainda passa, alguém que realmente foi a raiz do meu gosto pelas mulheres, que me ensinou que atitude é a melhor caracteristica possível em alguém, e que eu quero alguém com isso na minha vida, alguém que tenha coragem de me puxar pelo braço e dizer que me quer, alguém que queira os meus toques, alguém que querias os meus carinhos, as minhas massagens, os meus abraços, as minhas implicações, assistir animes ou séries comigo, beber comigo, aprender e viver todo tipo de experiências e situações. É isso que eu quero com ela também!
Esse é um pedacinho da minha odisseia, eu pedi a Deus, ao universo, a seja la o que for que estiver ai fora por nós, pra que 2020 seja um ano de apredizados e conquistas, 2020 foi o ano mais difícil da minha vida, onde por conta de um treinamento pra competição, da pandemia(home office) e tambem por causa de ter a Carol na minha cabeça, eu passei pela pior fase da minha vida, mas eu consegui correr atrás de ajuda a tempo(onde eu devo a minha vida a minha hipnoterapeuta, que mulher excepcional) e, no final dessa jornada, eu cresci muito e me tornei bem mais forte.
Muito obrigado, eu deixo aqui os meus agradecimentos a todas essas garotas, que me mostraram quem eu quero junto a mim e quem eu quero ser, a minha mãe que é a melhor mãe do mundo e, mesmo a gente se desentendendo as vezes, eu não resistiria sem ela, a minha hipnoterapeuta que consegue a façanha de me colocar em transe(hipnose ericsoniana é a melhor, sem dúvidas!) e que me ensinou muuuito mais lições do que eu teria aprendido em 20 anos da minha vida.
E principalmente, muito obrigado a mim mesmo, por ter aguentado até aqui, por nunca ter parado de ir pra frente mesmo pensando todos os dias em desistir, em jogar tudo pro ar, pensando até em coisas muuito, mas muuuuito mais escuras nos dias mais dificeis, mesmo assim nós estamos aqui, prontos para a proxima jornada, onde a gente vai sofrer, mas a gente vai aprender algo a respeito disso no final.
Se você chegou até aqui, meu caro amigo, eu só queria te contar a história de como eu descobrir o que, pra mim, é o amor. Amor é o que eu sinto quando olho pra alguém que também me devora com o olhar e as atitudes, amor não é toda a intensidade, todo o fogo, toda a loucura, não! Pode ser um pouco disso, mas principalmente, amor é reciprocidade, é você não ter que se esforçar em mudar 1001 coisas só pra agradar a pessoa, quem você ama e quem te ama de verdade gosta de você por ser quem você é, e é isso que eu quero pra minha vida, amar e ser amado!
Eu não sei se eu e Livia vamos ficar juntos, a gente deve descobrir mais a frente, mas eu sei que eu quero isso, e se o destino(ou o universo, ou deus...) não permitir que a gente fique junto, tudo bem, eu sei agora o que procurar, e que vai existir mais alguém que olhe pra mim do jeito que eu olho pra ela.
submitted by DanteStonecross to desabafos [link] [comments]


2020.08.18 20:21 MissGatinha KAREN E CARLS, UMA DUPLA DE DAR PENA.

Olá Luba, editores, turma que está a ver, papelões, jebas, gatas e possível convidado.
Bem, a alguns anos conheci Karen. Gostávamos de jogos e nos dávamos bem, sempre levava ela para festas, pizzaria, cinema, ela vinha dormir na minha casa, sempre dividia tudo com ela. Meus pais nunca gostaram muito da nossa amizade, diziam que ela tinha inveja de mim, pois se ela por exemplo, pedisse refri e depois eu pedisse suco, ela pedia para trocar por suco, além de outras coisas. Já da parte dela, ela nunca queria que eu brincasse com as outras garotas, sempre queria que eu ficasse grudada com ela e eu tinha que brincar do que ela mandava.
Porém com o passar dos anos nossos gostos mudaram, ela brigava e me atacava por coisas bestas e eu já não a considerava tanto como uma amiga, tentava evitá-la. Ela fazia coisas estúpidas, ria forçado de coisas estranhas, ela fez uma amiga chamada Carls, me lembro delas fazerem piadas de mim, me mandarem pro inferno, desejarem a minha morte, e me chutarem. Elas me humilhavam e tiravam sarro de mim. Segundo elas era só uma "brincadeira". Eu tentava não ligar, fazia de tudo para agradá-las, tentar ser amigas, nunca gostei de encrenca.
Enfim, sempre tinha uma garota que andava com Carls, parecia comigo, ela sempre agradava Carls mesmo recebendo comentários cruéis em troca. Certa vez puxei um papo com ela e tínhamos muito em comum, viramos melhores amigas, diferente da Karen, Júlia me levava a sério, me respeitava e me tratava como uma amiga.
Depois de alguns meses entramos em quarentena, porém a Júlia ia fazer aniversário, só que por causa da quarentena, a cidade da tia dela (local onde ela iria comemorar) foi totalmente interditada. Ela ia passar o aniversário sozinha. Por mais que não fosse o indicado, resolvi convidá-la para dormir na minha casa. Conversamos com a mãe dela, tomamos todas as precauções possíveis e ela veio.
Foi divertido, passamos o dia todo brincado, dançando e cantando, no final da noite minha mãe ia trazer uma pizza e alguns lanches para a gente ver filme, arrumamos tudo e resolvemos postar algumas fotos no status.
Bem Lubinha, o problema foi que para não chatear Karen que era muito ciumenta, resolvi tirá-la do meu vizualizador do status. Postamos as fotos, minha mãe chegou e... Aí começou tudo.
Recebi várias mensagens da Karen me atacando. Ela me chamava de falsa, traidora, falava várias palavras de baixo calão e nos insultou. Minha mãe ficou indignada, logo ela que nunca foi de falar nada falando aquelas coisas.
Sem contar que ela falou:
-"Você me conhece a anos e nunca fez porr* nenhuma para mim, agora a Júlia que você conheceu a alguns meses, já vai lá e faz um FESTÃO! Mas eu aposto que você não esperava que eu estivesse na casa de Carls também."
Primeiro eu só me questionava o porquê dela poder ir para a casa de Carls quando bem entendesse, e eu não poder sequer convidar uma amiga para a minha casa, sem que ela viesse me atacar e querendo satisfação de um assunto onde nem foi chamada. A maioria das nossas brigas começavam com essa iniciativa toalmente irracional da parte da Karen, realmente me sentia falando com uma criança.
E sério, era só uma pizza e alguns lanchinhos, nada comparado as festas da escola e do cursinho que meus pais levavam eu e Karen, sendo que pagávamos comida e tudo para ela. É sério, realmente não me lembro dela ter feito algo parecido ao menos uma vez para mim.
Eu disse:
-"Karen, eu não te convidei por causa da pandemia, e se você realmente é minha amiga deveria ficar feliz por eu estar me divertindo".
Ressaltei:
-"Aliás, é ótimo que você esteja com a Carls, assim não é só eu que me divirto. Aproveite bastante e se divirtam".
OBS: Repostado.
submitted by MissGatinha to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.17 05:18 DemonFranco Vivi por 20 anos preso em minha própria melancolia.

Olá, comunidade do Reddit! Esse é meu primeiro post aqui :) Meu intuito neste, especificamente, é conseguir pelo menos um pouco de calor humano (metaforicamente, claro) pois sinto que minhas feridas nunca foram cicatrizadas, desde a primeira delas.
Bom, pra começar minha história: minha infância foi marcada por conturbações no casamento de meus pais. A diferença de personalidade dos dois gerou brigas cada vez mais pesadas e incontroláveis. Chegaram ao ponto que já não existia mais companheirismo e meu pai começou a beber e trair minha mãe. Me recordo vividamente de cenas terríveis, como ele estar horas no banho a horas e quando entro pra ver se está bem, na verdade ainda estava de roupa e dormindo no chão molhado. Ou até momentos de alteração violenta onde, por medo, eu me trancava no quarto e ficava debaixo da coberta até o dia seguinte depois que ele saía pra trabalhar. Nunca fui violentado fisicamente (minha mãe, infelizmente, sim), mas acho que meu pai estava tão perdido dentro de si que esqueceu que tinha um filho, então eram raras as vezes que sequer trocávamos olhares ou palavras, e quando acontecia era frio e passageiro. Pra tornar tudo ainda mais tenso, nossa situação financeira nunca foi boa: vivíamos peregrinando entre aluguéis mais baratos, acumulando prestações não pagas e até mesmo alimento chegava a ser escasso. Minha válvula de escape eram meus avós, que moravam na mesma cidade e sempre me acolhiam com mimos. Meu avô, entretanto, morreu quando eu tinha 9 anos e isso foi um impacto enorme que passou despercebido: minha avó entrou em uma depressão que foi negligenciada até o ano passado (2019), quando finalmente tomou a atitude de visitar um psiquiatra e foi diagnosticada. As brigas entre meus pais cessaram, mas isso foi ainda pior pois os problemas que já existiam continuaram a crescer em silêncio. Eu não recebi diagnóstico algum, até porque sempre fugi dos psicólogos em que me jogavam, mas o efeito também foi claro em mim: emagreci quilos em semanas, já não tinha mais vontade de fazer a mais simples das tarefas como cortar cabelo ou sair na rua, me tornei cada dia mais introvertido. Alguns anos depois, meus pais enfim se separaram, mas antes me deram duas irmãs e um irmão (as únicas pessoas a quem posso dizer com sinceridade sentir amor incondicional). A esse ponto, eu me vidrava em videogames e mentia pra mim mesmo sobre a realidade que eu vivia e não queria aceitar.
Essa foi, digamos, a "primeira temporada" da minha história. A segunda foi marcada pela péssima e mal executada decisão de me declarar a uma garota por quem, desde moleque, fui apaixonado, mesmo sendo que não tínhamos nem amizade. Tudo o que eu tinha era um sentimento inexplicavelmente forte, e nenhum tipo de habilidade social pra sequer chegar nela com um simples papo agradável. Porém, ela aceitou meu pedido de namoro. E isso me destruiu, porque na verdade ela queria dizer não, só não disse por """"medo de me magoar"""" e revelou isso depois de 2 anos me iludindo com histórias do tipo "meus pais não me deixam namorar, tenho que focar na escola", etc. Enfim segui minha vida tentando, sem sucesso, superá-la. Felizmente, apesar de introvertido, dois de meus primos viraram meus amigos próximos e isso me ajudou a segurar todo aquele peso de sentimentos que eu não compreendia e mal sabia que tinha. Vivemos anos sendo os nerdolas da escola, sempre juntos e com mais ninguém, até que um desses primos se incomodou com esse estilo de vida (e com razão) e começou a fazer novas amizades; eu e meu outro primo resistimos a isso, o que o separou da gente. Continuamos sendo introvertidos até o penúltimo ano da escola, quando ele também se afastou de mim aos poucos sem razão aparente (hoje, depois de conversarmos, eu sei que era porque não tínhamos mais muito a ver como antes). Meu outro primo, agora extrovertido, se adequou à grande turma da escola facilmente e não demorou pra ficar popular - felizmente pra mim, isso não subiu à cabeça dele e continuamos ótimos amigos até hoje. Ainda nessa época, conheci na internet uma garota de São Paulo que, com uns bons meses de conversa, acabou desenvolvendo sentimentos por mim; eu, carente e introvertido, abracei isso com todas minhas forças e namoramos virtualmente, com vários vai e volta, durante 3 anos. Apesar de que eu me sentia melhor em ser desejado por alguém, essa garota também tinha sérios problemas com depressão e no final só puxamos o pior um do outro. Minha única conquista nessa época foi meu primeiro emprego, da onde tirei dinheiro para ir visitá-la.
E é aqui que eu considero ser a "terceira temporada". Viajei pra SP e passei quatro dias junto com a garota que por 3 anos desejei somente por fotos e vídeos. Mas quando voltei pra casa as coisas já não eram as mesmas: ela só me dava respostas evasivas e ríspidas, parecia até mesmo ter raiva de mim, sendo que, em minha visão, tínhamos conquistado outro nível em nosso relacionamento. Mas ela obviamente não pensava assim e terminou tudo com a seguinte frase: "Estou tirando as pessoas tóxicas da minha vida". Foi esse o estopim pra eu decidir ser extrovertido e começar a viver fora de meu quarto, e eu tive resultados rápidos: fiz novas amizades e até comecei um novo namoro, agora presencial com uma garota que realmente me admirava. Porém, fui perceber tardiamente que pouquíssimas dessas amizades me faziam bem - a mais danosa delas foi a de um feiticeiro três vezes mais problemático do que eu. Como sempre fui uma pessoa muito compreensiva e aberta, relevei seus defeitos gritantes e mantive a ''amizade'' pelo conhecimento esotérico que ele passava (por mais que grande parte deste conhecimento fossem delírios de grandeza de um feiticeiro egomaníaco). Depois de dois anos meu próprio corpo começou a recusar a presença desse sujeito, que insistia sempre em me acompanhar mesmo quando não era conveniente: comecei a ter constantes dores de cabeça quando estava em sua presença, meio que como um aviso do que já era óbvio: aquele cara não prestava. Aos poucos comecei a me aproximar mais da minha namorada e outros amigos como método de me afastar do sujeito, e curiosamente (ou não...), essas pessoas foram abruptamente saindo da minha vida, incluindo minha namorada (agora ex), que era a pessoa em quem eu mais confiava e me dedicava. Ainda inocente e o chamando de amigo, nunca imaginaria que ele poderia ter relação com tudo aquilo, mas não parou por aí: depois que a poeira abaixou e eu consegui superar toda aquela maré estranha de azar, ele ainda usou o nome de minha deusa pra me iludir e usar meu corpo (sendo essa deusa relacionada ao luxo e ao sexo, era um contexto perfeito pra ele). Eventualmente descobri que não fui sua primeira vítima, e toda a imagem de sacerdote sábio que ele outrora passou, do dia pra noite, virou nada mais que um charlatão desesperado. Essa foi a separação mais problemática de todas que eu já tive, pois enquanto eu me afastava cada vez mais, o ego ferido do sujeito nunca deixaria tal afronta passar em branco, e recebi cargas de energia pesada nos meses seguintes. 2019/2020 caprichou muito bem no quesito de desgraças, pois minha mãe, extremamente cabeça dura e ignorante, agora se recusa a trabalhar fichada mesmo sendo que tem três crianças pra sustentar, meu pai passa por cirurgias seríssimas pois contraiu câncer maligno no fígado e isso não deixou de atingir minha vó ainda viva, que tem problemas de coração e toma mais de 300 remédios por mês (palavras dela).
E agora aqui estou eu, solteiro, enganado pela maioria daqueles que chamei de amigos, com uma provável depressão mal resolvida e uma família abalada desde os primórdios de meu nascimento. Felizmente não tenho problemas com autoestima, o que já ajuda muito, mas ao mesmo tempo não tenho motivação em fazer nada que não seja sonhar com uma vida simples, leve e longe de tudo daqui. Hoje, especificamente, está sendo um dia difícil pois minha ficha caiu e tomei consciência da minha situação - chorei muito, escondido. Mas decidi fazer algo a respeito por mais simples que seja: criei uma conta na Twitch.tv pra criar conexões com outras pessoas enquanto jogo, e também este post como o maior desabafo que já fiz na vida. Na verdade, só de ter escrito tudo isso e lido logo após já estou melhor. Mas ainda me sinto sozinho e desamparado, não consigo buscar ajuda com meus familiares pois nunca fui de me abrir pra eles, nem ajuda profissional por falta de dinheiro, e depois de todas essas quebras de confiança fiquei extremamente seletivo a quem eu quero do meu lado, sobrando dois/três amigos com quem posso conversar (e mesmo assim somente meu primo que convive comigo desde criança sabe de toda minha história).
Quem estiver disposto a trocar experiencias e conversar, simplesmente por conversar, ficaria muito grato!
Gratidão a todos que, mesmo não enviando uma mensagem, leram até o final com atenção.
Blessed be. :)
submitted by DemonFranco to desabafos [link] [comments]


2020.08.16 00:55 MissGatinha FUI BABACA POR COMEMORAR O ANIVERSÁRIO DA MINHA AMIGA?

turmafeira

Olá Luba, editores, turma que está a ver, papelões, jebas, gatas e possível convidado.
Bem, a alguns anos conheci Karen. Gostávamos de jogos e nos dávamos bem, sempre levava ela para festas, pizzaria, cinema, ela vinha dormir na minha casa, sempre dividia tudo com ela. Meus pais nunca gostaram muito da nossa amizade, diziam que ela tinha inveja de mim, pois se ela por exemplo, pedisse refri e depois eu pedisse suco, ela pedia para trocar por suco, além de outras coisas. Já da parte dela, ela nunca queria que eu brincasse com as outras garotas, sempre queria que eu ficasse grudada com ela e eu tinha que brincar do que ela mandava.
Porém com o passar dos anos nossos gostos mudaram, ela brigava e me atacava por coisas bestas e eu já não a considerava tanto como uma amiga, tentava evitá-la. Ela fazia coisas estúpidas, ria forçado de coisas estranhas, ela fez uma amiga chamada Carls, me lembro delas fazerem piadas de mim, me mandarem pro inferno, desejarem a minha morte, e me chutarem. Elas me humilhavam e tiravam sarro de mim. Segundo elas era só uma "brincadeira". Eu tentava não ligar, fazia de tudo para agradá-las, tentar ser amigas, nunca gostei de encrenca.
Enfim, sempre tinha uma garota que andava com Carls, parecia comigo, ela sempre agradava Carls mesmo recebendo comentários cruéis em troca. Certa vez puxei um papo com ela e tínhamos muito em comum, viramos melhores amigas, diferente da Karen, Júlia me levava a sério, me respeitava e me tratava como uma amiga.
Depois de alguns meses entramos em quarentena, porém a Júlia ia fazer aniversário, só que por causa da quarentena, a cidade da tia dela (local onde ela iria comemorar) foi totalmente interditada. Ela ia passar o aniversário sozinha. Por mais que não fosse o indicado, resolvi convidá-la para dormir na minha casa. Conversamos com a mãe dela, tomamos todas as precauções possíveis e ela veio.
Foi divertido, passamos o dia todo brincado, dançando e cantando, no final da noite minha mãe ia trazer uma pizza e alguns lanches para a gente ver filme, arrumamos tudo e resolvemos postar algumas fotos no status.
Bem Lubinha, o problema foi que para não chatear Karen que era muito ciumenta, resolvi tirá-la do meu vizualizador do status. Postamos as fotos, minha mãe chegou e... Aí começou tudo.
Recebi várias mensagens da Karen me atacando. Ela me chamava de falsa, traidora, falava várias palavras de baixo calão e nos insultou. Minha mãe ficou indignada, logo ela que nunca foi de falar nada falando aquelas coisas.
Sem contar que ela falou:
-"Você me conhece a anos e nunca fez porr* nenhuma para mim, agora a Júlia que você conheceu a alguns meses, já vai lá e faz um FESTÃO! Mas eu aposto que você não esperava que eu estivesse na casa de Carls também."
Primeiro eu só me questionava o porquê dela poder ir para a casa de Carls quando bem entendesse, e eu não poder sequer convidar uma amiga para a minha casa, sem que ela viesse me atacar e querendo satisfação de um assunto onde nem foi chamada. A maioria das nossas brigas começavam com essa iniciativa toalmente irracional da parte da Karen, realmente me sentia falando com uma criança.
E sério, era só uma pizza e alguns lanchinhos, nada comparado as festas da escola e do cursinho que meus pais levavam eu e Karen, sendo que pagávamos comida e tudo para ela. É sério, realmente não me lembro dela ter feito algo parecido ao menos uma vez para mim.
Eu disse:
-"Karen, eu não te convidei por causa da pandemia, e se você realmente é minha amiga deveria ficar feliz por eu estar me divertindo".
Ressaltei:
-"Aliás, é ótimo que você esteja com a Carls, assim não é só eu que me divirto. Aproveite bastante e se divirtam".
submitted by MissGatinha to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.09 14:16 ImindR Não vejo nada de bom na introversão.

Bom, eu não sei como começar isso aqui mas já digo que não vai ser algo muito fácil de entender, até porque nem eu mesmo me entendo, então, para quem for ler, apenas peço que tente me entender da melhor forma possível.
O motivo desse desabafo é achar alguém ou algo que possa me ajudar a entender o jeito que eu sou para que eu tente de alguma forma melhorar.
Enfim, tenho 17 anos, e a pouco tempo descobri que sou introvetido, isso depois de uma grande e recente lista de pesquisa e testes de personalidades que eu realizei pela internet, eu como minha mãe e irmaõs, sempre achamos que eu só era tímido e anti-social, mas procurei me informar melhor agora devido a uma serie de eventos que me vieram questionar o por que eu sou assim.
Eu sempre me achei bem normal do jeito que eu era, só achava mesmo que eu era tímido e que certos comportamentos viam por causa da timidez em si, não por causa de algo mais abrangente como a introversão.
Para quem está boiando e não sabe o'que estou falando é fácil, pegue todo conceito que você possui de extrovertido (que é uma palavra que conhecem bem diferente do introvertido) e inverte, bom, é basicamente isso, introversão consiste em viver mais dentro do que fora, pensando mais do que falando, planejando mais do que fazendo, sobrevivendo mais do que vivendo.
Muitos dizem que possui inúmeras vantagens em ser introvertido, que pessoas assim mudaram o mundo, e, realmente mudaram, eu não nego isso isso de jeito nenhum, porém essas pessoas tinham um grande diferencial de mim, o fato de eles se aceitarem do jeito que eram.
Eu após ler todo conceito de introversão e ver que simplesmente todo comportamento, ações, reações se aplicavam totalmente ao que eu era, eu entrei num estagio da minha vida que eu não sei mais quem eu sou, não sei o'que devo fazer, não sei a quem recorrer, e isso só anda me trazendo duvidas que estão aos poucos me matando.
Eu não entendo nenhuma das vantagens que dizem que possuem os introvertidos, como uma verdadeira vantagem, para mim são apenas tentativa das pessoas transformarem um comportamento totalmente generico em algo que pareça uma grande vantagem quando na verdade qualquer pessoa pode ser aquilo se ela realmente quiser, um bom exemplo disso é quando dizem que introvertidos são bons ouvintes, e sim, nos realmente somos, mas não por que nos vamos te ouvir e ter realmente algo importante a dizer, mas sim por que a maioria de nós simplesmente ou não diz nada após ouvir alguém falando, ou estão muito ocupados pensando no que dizer que não percebem o tempo passando e no final acabam que não dizem nada, que é o meu caso.
Eu desenvolvi depressão por conta desse comportamento introvertido, sofri bulliyng, perdi amizades, chances de ter algum relacionamento, e diversas outras coisas.
E isso, além de muitas outras coisas só dificultam mais o meu dia-dia, aqui vai uma lista das minhas maiores dificuldades:
- Eu me importo demais com o'que acham de mim e isso me limita a ser quem eu sou, por isso sou muito mais aberto na internet do que fora dela.
- Tenho extrema dificuldade em me expressar, muitas vezes tenho dificuldade até em dizer "eu te amo" para alguém que realmente amo por medo de parecer estranho, até enquanto escrevo isso sinto que não estou me expressando da maneira certa.
- Eu não sei usar muito bem as palavras e muitas das vezes em me embolo na hora de me expressar, por isso acabo planejando o'que dizer, o'que muitas vezes da errado pois isso não passa de uma tentativa de tentar controlar o'que vai acontecer e como as pessoas vão reagir, e bom, todos inclusive eu, sabemos que isso é impossivel e mesmo sendo totalmente coinsciente disso, eu continuando planejando o'que falar em TODOS os tipos de situações para não me embolar no que digo e a pessoa me entender errado.
- Eu não sei manter uma conversa, sinto que simplesmente tudo o'que digo é vago e não deixa espaço paras as pessoas responderem, por mais que o'que eu diga as vezes seja engraçado é sempre vago, a pessoa ri e pronto, resumindo, sinto que não tenho papo pra manter algo fluido com alguém.
- Me sinto burro, não só em matérias escolares, mas também na forma de lidar com situações que muitas vezes são TOTALMENTE normais.
Isso são apenas descrições bem vagas de minhas maiores dificuldades e bom isso tudo se aplica a certas coisas que andam acontecendo na minha vida.
Um bom exemplo é uma garota que conheci do Ceara, conheci ela de uma maneira bem estranha mas enfim, essa garota é a causa de umas das minhas maiores duvidas internas ultimamente pois, é o tipo de pessoa extremamente extrovertida, o oposto total de mim, e bom, o'que eu tenho com ela é basicamente, eu gosto dela e ela de mim (sim, ela gosta de mim, mesmo eu tendo dado essa triste descrição sobre mim anteriormente), e bom essa garota, desde que eu falei isso pra ela, e ela pra mim, ela tem me ligado todos os dias desde 2 de abril que foi o dia que eu a disse isso e ela me disse que era reciproco, o problema nisso tudo é a insegurança que eu SEMPRE tenho antes de atender a ligação dela, eu sempre tento planejar o meu dia todo, pois eu não dizer não pra ela, e ela quer muitas vezes me ligar o dia todo, então invento desculpas pra tentar minimizar isso, mas mesmo assim eu passo muitas vezes, 5, 6 horas falando com ela.
E bom, eu não sei por que ela ainda me liga, eu fico calado 50% do tempo por que eu simplesmente não sei conversar, eu não sei falar sobre o dia, minha vida não tem nada de muito interessante no passado por conta da introversão, eu tenho muita sorte que ela fala muito e as vezes eu acho algo pra falar no meio de tanta coisa.
Muitas vezes eu só queria entender o por que eu ser assim, eu não sei se é algo genetico, se é alguma doença que eu ainda não descobri, mas, em tudo que eu faço que seja contra a introversão, como por exemplo, ficar perto das pessoas, é como se minha mente jogasse contra mim, eu me sinto extremamente exausto, eu quero estar ali, mas é como se eu também não quisesse, e isso é uma das poucas coisas que me estressam no dia.
Eu tenho medo de não conseguir viver a vida que eu quero por causa da introversão, como vou fazer amigos, como vou me relacionar com alguém, sabe, eu sei que isso não é bem o necessario para se ter sucesso na vida, porém é o'que eu quero, mas a dúvida que eu tenho sobre mim, a merda da dúvida que eu tenho todos os dias quando me olho no espelho, e me pergunto quem eu vou ser naquele dia.
As vezes sinto que sou um livro de 17 páginas e todas elas estão em branco, sinto que sou desinteressante, dificilmente tenho história para contar, e, eu não sei como resolver isso, não sei nem se tem como resolver, só sei que isso já tomou conta da minha vida o suficiente.
Se você leu até aqui e não entendeu, eu te entendo totalmente, só peço que tente um pouco mais, e, se tiver algo para falar, por favor fale, eu sinto que realmente preciso de ajudar seja la de quem for.
submitted by ImindR to desabafos [link] [comments]


2020.07.19 01:28 jubileia_avis Eu sou a babaca por acabar um "amizade" por achar tóxica

Olá luba, bonecos decapitados, e turma q está a ler...
Bem isso aconteceu esse ano, antes da quarentena, tinha um grupo de amigas q ao total somavam 8 contando comigo, tinha uma delas q era meio estranha e ela tinha uma amizade mais forte comigo do que as outras garotas e eu não sabia o Pq... Mas enfim resumindo ela sempre tinha uns comportamentos muito estranhos ela sempre queria fazer de tudo para chamar atenção e quando não era o suficiente ela tinha que rebaixar as pessoas para q ela se sinta superior (esqueci de contar q ela tinha sido diagnosticada com traços sociopatas e se orgulhava disso,n sei como) mas como sou uma pessoa MUITO lerda n tinha percebido isso ainda... E eu sempre ficava em ligação com ela por horas e a gnt se fala MUITO e as conversas com ela era normais por telefone, mas assim né, como tudo,isso tinha um limite, comecei finalmente a perceber q ela estava com esses comportamentos e tipo eram umas coisas muitos estranhas do tipo chorar Pq tirou 9,5 para chamar atenção pq ela n tinha atenção suficiente em casa, e assim ela SEMPRE tentava minimizar nosso trabalho pq para ela nada estava suficiente, inclusive teve um dia que eu fiz um trabalho com ela e com uma outra amiga minha sobre o Brasil e aí tinha que fazer a bandeira e tal mas assim ela simplesmente não gostou do trabalho e ela chegou em casa e destruiu o trabalho e aí no dia seguinte ela chegou com trabalho horrível mil vezes pior dizendo para os professores que ela tinha feito tudo sozinha e que a gente não ajuda em nada porque nós éramos umas imprestáveis e não tinham feito nada do trabalho sendo que o último trabalho que ela destruiu a gente fez tudo sozinha e ela não ajuda em nada simplesmente não tinha como explicar para o professor aí tipo sorte minha e da minha amiga que eu tirei uma foto do nosso trabalho antes dela ir para casa para caso a gente perca o trabalho porque a gente era muito desastrada Então eu disse se a gente perder o o trabalho aí a gente tira uma foto e mostra para o professor que a gente fez e apresenta do mesmo jeito aí beleza né lá fui eu mostrar a foto para o professor do trabalho que a gente tinha feito no caso eu e minha outra amiga porque ela não tinha feito nada e aí O professor deu Nossa nota e foi maior do que a dela por ela não ter sido honesta mas enfim E o pior é que a escola nem penalizavaela por praticamente nada e tinha que ser uma coisa muito grave para penalizar porque o pai dela era o advogado da escola daqui de Minas então simplesmente ela não era penalizada por nada ela não aprendia porque ela não recebia a penalização dela igual às outras pessoas então simplesmente a gente ficou de saco cheio de todas as coisas que ela já tinha feito já tinha xingado a gente já tinha rebaixado a gente já tinha incriminado a por outras coisas que a gente não tinha feito então a gente ficou de saco cheio E aí decidiu "tirar" ela do grupo não tirar,mas não fazer ela ser bem vinda .Aí ela começou a dar um monte de desculpas dizendo que não era nada dela e que tudo era problema da família dela e tal enfim eu não vou entrar em detalhes mas ela simplesmente deu uma de louca mas tudo bem a gente só ignorou e bloqueou simplesmente quando a gente cortou ela da nossa amizade (digamos assim) ela voltou a ficar mais próxima à umas amigas dela que ela não andava mais por que ela não tinha mais ninguém Todo mundo da sala odiava ela aí simplesmente Ela trocou essas amigas dela por outra e começou a falar mal por trás dela aí agora essa outra meio que faz parte do nosso grupo então foi meio que um monte de trocas que teve mas eu não sei se eu me arrependo ou não, eu tenho um pouco de dó disso porque realmente não parece que a culpa é dela e sim da criação que ela teve
Mas tudo bem resumido eu sou babaca?
submitted by jubileia_avis to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.18 08:30 rafaspbarbie A AMANTE.

Oi genty, povo tudo vocês, Lubisco, gatitas, editores, turma, galero, convidado não por que né QUARENTENA, mds to nervouser. Essa história é a história de como eu virei a amante de um cara. Como é uma história anônima, vou mudar os nomes tudo. Se preparem pois ela é looooonga
Bom, em meados de 2016, tinha voltado a estudar na Tijolinhos (nome fictício de uma escola particular em Brotas-SP) depois de repetir de ano e tal. Lá conheci a Joséfa, que virou minha melhor amiga pra vida (ou não, né?), e desse rolê todo boa parte foi culpa dela (TÔ DE OLHO JOSÉFA). Um lindo dia na escola, tava eu lá, com vontade de fazer pipi, ou só me olhar no espelho pra ver o quão bonitona eu tava, e quando tava descendo eu vi ELE, Pablo, na sua escadinha de técnico de Wi-Fi, skksksksksks ele era lindimais (bom, eu achava né) e daí eu passei por ele, trocamos olhares bem calientes, mas ficou por isso.
Logo de noite ele me adicionou no SNAP, sim, snapchat. E trocamos muita ideia, ele era muito inteligente e a gente combinava em muitos aspectos, tava xonadinha. Depois de uns dias conversando com ele, o mesmo apareceu na escola de novo, E DAÍ QUE COMEÇA A MERDA. Estava sentada com Joséfa e comentei:
Na hora eu mandei mensagem pra ele falando um monte de coisa, que era um absurdo ele namorar e falar comigo daquela forma, insinuando coisas, falando pra gente ficar e tal e que eu seria só amiga dele a partir daquilo, AHAM.
Daí entra a parte importante da Joséfa na história. A doida nada mais nada menos me chamou pra fazer vôlei com ela, e eu fui, tinha dois horários, o das kids e dos adultos, íamos nos dois. Fomos no primeiro horário, e partimos pro segundo logo em seguida. Então tava eu lá, linda e plena mexendo no celular e daí a anta da Joséfa começa a dar risada olhando pra longe, eis que me vem à imagem de quem? PABLO. Ela já sabia que ele fazia vôlei, acho que ela queria ver o circo pegar fogo, MESMO. Ele me cumprimentou todo sem graça, mas sempre trocando olhares comigo do tipo "te quero" e eu me segurando pra não pular nele ali mesmo. A gente continuou conversando normalmente, mas havia um flerte sim, mesmo que muito inocente.
Mais pra frente, decidi chamar ele pra conversar, falar pra ele que eu estava gostando dele de verdade, combinamos de conversar depois do vôlei e ele me daria uma carona até a casa dele. A conversa foi basicamente os dois se olhando na maior vontade, eu falando que gosto dele, ele retribuindo, mas também falei que não faria nada em respeito a namorada, AHAM². Durante a conversa teve troca de carícias, muitos abraços, carinhos e olhos nos olhos. Quando íamos pro estacionamento pegar a moto dele, ele me levou para um canto escuro e tentou me beijar, mas dei um abraço porquê não tava me dando por vencida. Quando subimos na moto, ele me disse que ia passar na casa dele pra pegar o carro pois seria mais confortável pros dois (o que ia ser mais confortável hein, Sr. Pablo?!), mas que não era pra me preocupar pois não teria ninguém em casa... MAS TINHA! A família toda dele tava lá, mãe, padrasto, irmãos.. entrei lá com a maior vergonha, ainda tive que ouvir do irmão "quem é essa menina estranha?" Fui pro QUARTO dele, sentei lá na cama e fiquei um tempo ali absorvendo tudo, enquanto ouvia ele falando com a mãe sobre mim, "apenas uma amiga"... sei (foi exatamente o que a mãe dele disse, não tínhamos muita credibilidade). Fomos pra minha casa e ele tentou me beijar de novo, mas não rolou, ainda achava que não daria o gostinho pra ele.
Continuamos conversando e tendo uma relação bem inocente, e era muito bom, confesso. A gente ainda ia no vôlei, ele me dava caronas, era bem discreto e bom, como aqueles romances dos anos 50 que não havia nem beijo, o sentimento se mostrava em outras demonstrações, no carinho, no toque, nas conversas, nos olhares e era bem assim, me vendo por fora da cena, veria uma garota com cabelos aos ventos sorrindo na garupa de uma moto abraçada em um cara que a fizesse sentir o amor, o vento, borboletas no estômago uma primeira vez.
Eu, Joséfa e Pablo descobrimos que teria uma chuva de meteoros na madrugada de quarta pra quinta, nos animamos muito pra ir, mas no fim iria só eu e ele... era o que eu achava, né? (Só pra constar, não havíamos beijado ainda.) Bom, ele me buscou em casa, fomos pra casa dele buscar cobertores e nisso ele me deu uma camiseta (que eu tenho ate hoje) de unicórnio. Com isso ele me disse que umas pessoas iam junto, fiquei meio assim, mas se não tinha problema pra ele, por que teria pra mim? Só que essas pessoas eram o que? A FAMÍLIA DELE. Primos, tios, tia avó (que aliás, gostou muito de mim) muitos deles achavam que eu era a namorada dele mesmo, pois estávamos muito próximos já. Durante a chuva eu só conseguia olhar pra ele, muitas das vezes ele me fazia olhar pras estrelas (não é atoa que eu o chamo de "Sr. das estrelas"), esperando algum meteoro cair, mas eu não vi nenhum. Enquanto estávamos lá, com a família dele, a gente se acariciava, ele me dava selinhos e eu juro que podia ser só isso pro resto dos meus dias com ele, pra mim estava perfeito. Fomos embora, levamos um dos tios dele pra casa, nisso ele me pergunta se eu queria ir embora já, obviamente disse que não.
Fomos para uma parte onde dava pra olhar bem as estrelas, mas naquele dia eu tava cansada de olhar pra elas. Nós paramos o carro e, naquele momento tudo parecia em câmera lenta, de olhar um para o outro, como tirar o cinto e até na hora do (finalmente) beijo. Sim, naquele momento eu virei A Amante. O beijo foi incrível, tudo se encaixou, foi o melhor beijo da minha vida até hoje, tínhamos química, minha pele se arrepiava só dele me tocar, era tudo como um conto de fadas, só que sem a parte do príncipe encantado.
Eu vivia com ele, vivia na casa dele, assistimos vários filmes, passamos por lugares incríveis, daqueles que faziam a gente suspirar e não querer parar de olhar. Cada vez mais eu me apaixonava, ele me fez sentir coisas que eu nunca senti, me fez ver coisas que eu nunca vi, me fez me maravilhar com as coisas simples, como estrelas. Mas eu sempre ouvia dele que ele sempre era o coitado, de como a Jurema (a tal da namorada) era ruim com ele, das vezes que ela traiu ele, das vezes que ela o tratou mal, mas mal sabia Jurema o que ele fazia também, mal sabia ela o quanto eu me sentia mal por isso. Sempre coloquei na minha cabeça que não tinha motivos para trair, mas que eu me conformei com a situação, achei que, dessa vez, tava tudo bem, até porquê eu tinha ele, né?
Como o tempo, tudo se passava, ele me fazia promessas, me prometia terminar com Jurema, que seríamos felizes, ja estava enjoada de ser rotulada como A Amante, não só por mim, mas por ele, por Joséfa também (que passou vários momentos de vela entre eu e Pablo). Numa dessas fui até na casa da avó dele, joguei truco com sua família, beijei ele na frente deles, (um deles lembra de mim até hoje, fala comigo como se eu fosse a ex oficial dele kkkk). Numa outra saímos com um dos seus amigos, nesse dia descobri que a nossa música era aquela lá, a tal da Cataflor do Tiago Iorc, aquela que toda vez que ouço lembro do dia em que eu ouvi pela primeira vez. Esse tal dia estávamos eu e Pablo em sua casa quando ele recebe uma ligação do seu amigo falando que ele queria vê-lo, Pablo falou que estava com uma "amiga" e esse amigo, o Gerson, disse que tudo bem eu ir junto. Entramos no carro, cumprimentei ele, e logo ligamos o som do carro ouvindo Tiago Iorc num tom bem doce, todos cantando e, no momento que esta começou a tocar, ele segurou a minha mão e disse:
-Ok.
Nisso começa a letra, não era atoa que eu me apaixonei, um cara que disse que me daria todas as flores no mundo mas que nenhuma delas chegava a ter a beleza que eu tinha, que a natureza tentou imitar 'tamanha' beleza mas que falhou, pois não tinha como ter algo tão bonito quanto. Como eu não me apaixonaria? Eu também não sei responder essa.
Logo após um tempo, comecei a cobrar o término dele e ele sempre me dizia que era muito difícil, pois era um relacionamento muito longo (3 anos). Pois bem, um mês depois disso ele terminou, viajou pra cidade dos primos dele, foi em várias festas, beijou várias meninas e depois que voltou, me buscou em casa, fomos pra um dos "nossos" lugares, ele sentou comigo e me contou tudo, das meninas, de quem ele teria ficado, como que ele estava amando ser solteiro e tudo mais. A ficha não tinha caído, ele realmente estava solteiro, não devia mais nada à ex, mas ao mesmo tempo parecia que ele não devia nada à mim também, que o cara que falava aquelas coisas, me fazia sentir aquelas coisas e falava que era apaixonado por mim havia sumido junto com o término dele. E. ISSO. DOEU. MUITO. Ficamos naquele dia, mas eu fiquei extremamente desconfortável, cheguei em casa e chorei por horas, do tipo "será que aquele cara nunca existiu?". Nos afastamos cada vez mais, e cada dia que passava a única oportunidade de ver ele, eu não via.
Teve uma festa, a Semáforo, foram todos meus amigos, me diverti pra caralho, dancei por bosta e por fim, ele estava lá, fiquei com ele várias vezes, fiquei com a Joséfa também (pela primeira vez), demos um beijo triplo, ficamos por maior tempão juntos, até subi no colo dele quando ele tava deitado no sofá kkkk, hoje em dia isso é de boas, mas na época muita gente me julgou. Depois disso nos afastamos de vez.
Umas semanas depois, estava na aula de artes, (na qual a professora era madrasta do Pablo) quando a professora diz:
Olhei pra Joséfa na hora e fiquei muda, aquilo partiu mais ainda meu coraçãozinho. Mas o que não era pra ser, não ia ser, não é?
Bom, gente, essa foi a minha história. O Pablo continua com a Múmia, mas não adianta ter uma aliança no dedo DE NOVO, e ainda olhar pra mim com a mesma cara de apaixonado de antes, vir me seguir nas redes e ainda dar em cima de mim, TÁ PABLO??? VÊ SE APRENDE A RESPEITAR A SUA MULHER, BEIJOS.
Um beijo no core de vocês, espero que tenham gostado, xau.
submitted by rafaspbarbie to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.16 06:15 isabellicom2l_ Eu sou babaca?

Bom e minnha primeira vez postando nesse aplicativo por isso me perdoem por qualquer erro.
Eu tenho duas histórias para contar, mas vou contar essa mais curtinha porquê estou com preguiça no momento.
Em 2016 quando tinha 12 anos comecei a gostar de um garoto pela primeira vez, vamos chamar ele de Pedrinho. Ele era um ano mais velho que eu. Eu estava no sexto ano e ele no oitavo (sim eu ja rodei de ano, mas isso não importa.) E nesse ano eu tinha começado a participar de um grupo de dança. E eu tinha um problema de não conseguir guardar esse sentimento pra mim então eu contei para umas cinco ou mais pessoas (foi o pior erro que já cometi) e em alguns dias toda escola estava sabendo. E eu contei para uma menina que fazia dança comigo que estudava na mesma turma que ele. Não demorou muito pra ele ficar sabendo disso.
Um dia não me lembro como eu consegui o número dele, daí a gente começou a conversar, e até que eu me declarei, mas felizmente ele gostava de mim também. E a gente começou a ficar e criar um romance até aí beleza. Até que depois de uns dois meses eu na estava conseguindo retribuir os sentimentos que ele sentia por mim. Daí eu começei a tentar me afastar um pouco dele porquê eu tinha muito medo de magoar as pessoas (ainda tenho).
Eu ja tinha alguns problemas problemas psicológicos, e eu tinha duas opçoes ou eu continuava com ele me machucando e talvez futuramente machucar muito ele também, ou cortar o mal pela raíz. Eu escolhi a segunda opção, mas daí quando eu falei pra ele, ele disse que no outro dia ia me pedir em namoro e já tinha comprado as coisas. Foi aí que eu quebrei comecei a pensar será que eu não demonstrei direito que eu não estava sentindo mais sentimentos por ele, krl eu fui muito burra.
Como eu ele também sofreu muito, mas concerteza ele mais que eu. As pessoas começeram a falar pra mim, "por que você fez isso com ele? você gostava dele até pouco tempo atrás? vocÊ não se decidi oque quer? ele gostava muito de ti."
Daí por um tempo ele continuo indo atrás de mim, e como eu não queria machucar mais ele tentava meu maxímo para evitar, mas talvez eu tenha feito errado.
E no final no ano passado eu comecei a gostar dele, sim eu sei eu sou uma idiota. E como eu sabia que não ia ser correspondida eu ja falei oque eu sentia de cara, e como eu esperava ele falou que ia pedir uma garota em namoro e tals. Daí mesmo eu não querendo eu fiquei bem pra baixo eu já tava passando por uma fase dificíl minha mãe tinha falecido e mais umas pequenas coisas que me deixaram mal. Perdi um mês de aula por quase ser internada, e ele sabia disso tudo. E ele começou a fazer que nem eu fiz no passado me evitar. Daí pessoas que estavam comigo na mesma epóca que eu fiz aquilo com ele começaram a falar, "tudo ta brincando né tu acha que ele vai gostar de ti, depois de tudo oque tu fez?" Eu mandei mensagem pra ele pra perguntar porquê que ele tava me evitando talvez seja o mesmo motivo meu do passado. Daí ele falou que não tava me evitando e mandou a seguinte mensagem. "tu está triste assim porquê tu quer". Ta daí chegou o verão chegou e eu tenho piscina de chão na minha casa, daí meio que ele se ofereceu para vir, (eu acho que tinha convindado ele antes de me declarar pra ele), e eu deixei ele vir daí uma amiga minha que eu tinha convidado foi lá buscar outra garota pra vir que eu nem conhecia, e eu falei tá. Daí aquela garota que era mais nova que eu queria ficar com ele no primeiro momento ele falou que não podia, mas depois de um tempo ele começou a dar em cima dela também. principalmente na hora do verdade ou desafio, daí tava anoitecendo e a gente foi levar essa menina pra casa dela. Eu tava bem magoada segurando as lagrimas dai na rua da casa eu falei que iria espera ali. Não estava conseguindo segurar as lagrimas. Dai depois eles voltaram, e quando ele foi embora ele falou depois me passa o número da tua amiga. e foi embora. Depois de um tempo eu consegui superar ele, mas ainda me sinto estranha quando vejo ele.
Quem foi babaca nessa história? Espero que não tenha sido entediante para vocês se quiserem depois trago minha outra história.
submitted by isabellicom2l_ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.11 20:37 darwinson-chan O dia que minha namorada me expulsou do armario

Olá lubixco, editores, papelões (ou restos deles...), possível convidado (q n deve existir pela quarentena), turma que está a ver ou ler e pspsps gatas (já que não olham mais pro luba, dêem atenção pra mim).
A história não é bem engraçada, mas talvez possa ajudar alguém ou até fazer algumas risadas... Espero que gostem!
"O dia que minha namorada me expulsou do armario sem querer"
Então para esclarecer, eu me descobri bissexual no 9 ano e comecei a namorar uma garota no médio. Nunca fui de pegar ninguém então acabou que ela foi minha primeira namorada e a unica pessoa que eu tinha beijado.
Eu e essa menina, que na época se chamava Isabele e é assim que a chamaremos aqui, tínhamos um relacionamento legal, assistiamos anime e, as vezes, íamos no shopping com algumas amigas (o que era mais uma desculpa que qualquer outra coisa, mas tudo bem). Mesmo assim ela ainda fazia algumas piadas sobre minha sexualidade, meio bifóbicas, tipo "bem que você podia ser 100% sapatao" ou "não precisa fingir ser meio hétero", enfim...
Quando tínhamos uns 2 meses de namoro, saimos em um rolê com umas amigas pro cinema. Estávamos sentadas na frente do Starbucks (ela com alguma bebida de lá e eu com a casquinha do Mc pq eu sou pão duro) enquanto as outras "compravam o ingresso" (provavelmente n queriam segurar vela ou estavam atras de algum boy).
Entao Isabele disse que tinha que conversar comigo. Ela tava meio estranha nas últimas semanas e eu já tremi na base, achando que tinha feito algo errado, que ela ia terminar comigo ou algo assim. Isso começou a me deixar meio nervosa (e eu tava meio instavel pela TPM).
Entao a Isabele falou algo tipo: "Eu nunca me senti bem comigo mesma sabe... nao me identifico muito com o meu genero..." então ela falou que estava questionando o próprio gênero (há algumas semanas ela confirmou isso). Eu falei que tudo bem, que ia gostar de qualquer jeito, que amaria elu independente do genero. Isabele disse que estava pensando também em mudar o nome e eu apoiei e taus (mas continuarei chamando elu por Isabele por pedido próprio para não expor).
Elu veio por trás para me dar um abraço, o que eu achei estranho pq como eu ainda não tinha "saido do armário" pra mt gente nao costumavamos ter essas demonstrações publicas e muitas pessoas achavam que éramos amigas. Dada a situação não me importei, NÃO É COMO SE ALGUÉM FOSSE ME RECONHECER. Então elu disse no meu ouvido...
Eu respondi que eu era bi, mas podia amar elu mesmo assim. Além disso, na minha cabeça, se eu fosse lésbica não poderia gostar delu, já que se identificaria com outro genero.
(Algumas pessoas consideram que bissexuais podem gostar apenas de dois gêneros e eu nao tinha certeza na epoca. Hoje já tenho mais certeza pois vi um vídeo de uma tiktoker que me representou( https://vm.tiktok.com/T6aeL). isso meio que me pressionava e me dava umas crises de identidade fodas. Mas tudo bem. )
Depois de uma breve discussão, que eu não lembro o q tínhamos falado, Isabele perguntou de novo, meio pra baixo meio irritade e falou que eu não podia ser bi se eu ainda gostasse delu. Eu, como a pessoa calma que sou, acabei gritando "não posso o car...valho!" E concluí "Pensei que te amar fosse o suficiente" e atraí um pouco de atenção, havia alguns grupos adolescentes próximos olhando (guarde essa informação, ela é bem importante).
Acho que elu ficou magoade com aquilo e eu me senti muito mal, mas qual o problema em eu ser bi? Além disso elu sempre soube que eu tenho muitos problemas quanto a isso e mesmo assim ao inves de ajudar com minhas crises fazia piada. Mesmo que não soubesse a real intenção, se Isabele estaria fazendo as piadas pra me acalmar ou talvez me fazer admitir ser lésbica. Enfim não sei
Anyway, eu não devia ter gritado, elu ficou brave e explodiu tb, dizendo que eu tinha preconceito com pansexuais por não me admitir ser. E do nada o assunto mudou "Aliás por que você não sai da porr* do armário, em cara***?! Não tem orgulho de sermos um casal? ".
Isabele queria muito que eu falasse pros meus pais, já tinha dito que se sentia mal em esconder isso. Os pais delu são de boa então ela contou pra elus e pediu pra manter segredo, mas eu não contei nem pra todos meus amigos. Elu queria muito se apresentar como meu namorade, mas eu sempre disse pra elu esperar e elu ficava chateadu.
Bem, até agora, Quem é o babaca? (Deixa nos coment com um * pra eu saber que está se referindo a esse momento)
Continuando: eu, que já sou chorona, naquele dia estava bem pior. Como eu sempre faço, sai correndo pro banheiro, bem clichê mas é.
Uns minutos depois a minha amiga, que vamos chamar de Ana, foi atrás de mim, me ligou. Eu tava trancada numa das cabines do banheiro, só atendi e falei que tava no banheiro e ela me achou por causa do tênis que eu tava usando, que tinha uma faixa de arco íris na sola (alias como ela viu o meu tênis sendo que eu tava na última cabine, nao sei. só espero que não seja do jeito que eu imagino).
Ela me acalmou e taus, naquele momento o que eu mais sentia não era ódio delu e sim de mim mesma, eu não tinha o porque de ter gritado, descontei nela os problemas das minhas próprias crises.
Enfim, o resto do role meio q miou né? Eu fui pra casa da Ana pq se meus pais me vissem com aquela cara iam perguntar. Eu tava digitando um textinho de desculpas quando ela me parou e mandou eu olhar o twitter no perfil de Isabele. Eu olhei e já notei de cara uma indireta: "Acho que fingir 'ser alguem que você nao é' é péssimo. Mas pior é mentir para os outros e continuar mentindo." Quem manda indireta no twitter? eu não uso muito, então não sei se é normal mas subiu o ódio de novo.
O dia não podia piorar né? Mas o problema é que a situação nao acabou aí.
Lembra que eu disse que tinham muitos adolescente lá? Então, acontece que esse shopping é perto do colégio onde eu estudo então geral vai la e entre eles estava uma aluna do colégio, vamos chama-la de Carls.
A Carls era da minha série e, como adolescente nao sabe cuidar da própria vida, não só contou pra umas amigas, como também filmou uma parte e postou no snap. Hoje me abomino por ter pintado metade do meu cabelo de vermelho pq provavelmente ela me reconheceu por isso. Sabe aquela garota que gosta de espalhar fofoca por aí e age como se não tivesse feito nada de errado? bem era a Calrs.
E como adolescente também adora uma fofoca ou jogar lenha na fogueira, de repente virou um rumor. Alguém tirou print e o negócio meio que espalhou. Lembro que naquele dia chegaram a colocar no stories do insta do colégio (o insta que é meio que um blog dos alunos do médio) uma enquete se nos shippavam ou não.
O twitter de Isabele era privado, o que talvez diminuiu o alcance, mas não o suficiente pra elu perceber o que estava acontecendo. O post foi suficiente pra confirmar que eramos nós brigando e tiraram print do post dela, então adiantou nada a conta ser privada. As pessoas das nossas séries perguntavam pra mim se era verdade, tratavam como se fosse um plot de uma série americana.
Enfim talvez esteja parecendo maior do que realmente foi mas, para dar uma ideia mais realista, boa parte do segundo do médio comentou sobre isso em algum momento (pq, por Isabele ser "diferente" e abertamente, as pessoas conheciam elu, a maioria inclusive apoiava) e alguns grupinhos de colegas que pelo menos me conheciam falaram comigo. Essa situação, por conta de alguns comentários no twitter (não muito gentis), chegou na coordenação, a orientadora foi legal, chamou a gente no fim da aula e disse que se houvesse qualquer preconceito podia falar com ela e taus. Isso tudo em uns 3 dias. A gente conversou com calma, eu ainda amava elu, mas não tinha muita certeza se deviamos voltar.
A situação chegou nos meus pais. Eu tive que explicar tudo pra eles. Não foi tão ruim, mas eu queria ter uma outra oportunidade ou sla. Fiquei de castigo por causa dos roles e por não contar, sem celular por uma semana.
Eu e elu tinhamos evitado nos falar na escola pra diminuir os boatos. Depois disso ainda não tínhamos nos perdoado totalmente, apenas evitamos. Eu fiquei com outras garotas e entao começou a quarentena (fazia pouco menos de meio ano desde todo esse role) e com isso as paranoias: Eu nunca cheguei a ficar com nenhum garoto, muito menos a namorar. Nao sei se sou pan, bi ou lésbica, até pq eu me meti numa situação em que meu companheiro se descobriu agenero no meio do relacionamento. Talvez eu seja lésbica e causei esse furdúncio pra nada?? Acho que essa situação colocou ainda mais pressão infelizmente e, sei lá, as coisas são confusas as vezes.
Semana passada Isabele me chamou no whats, conversamos e nos perdoamos devidamente e ainda sinto um sentimento por elu. Ai meu Deeeeus eu vou morrer sozinhaaa.
Enfim, espero que tenham gostado (foi mal pelo textao). Todos os que estão passando por essas crises de sexualidade, genero ou whatever, durante a quarentena, fiquem fortes, posso não ser a melhor pra dar apoio, mas tudo vai ficar bem. Desculpa pela historia longa
Beijos, =30
submitted by darwinson-chan to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.03 22:22 gustavoVDG Algumas coisas sobre mim

Eu sou um garoto de 16 anos, preguiçoso, procastinador e hipocrita, as vezes eu me pego imaginando coisas meio psicopatas envolvendo abuso e maltrato com garotas da minha idade ou mais velhas, e violencia com garotos. Eu tenho lutado constantimente contra a masturbação, pois me decidi adapta meu estilo de vida ao cristianismo, mais por medo do inferno do que por fé, e eu ainda não me tornei atéu pois além de covarde eu penso "e se eu estiver errado", eu comecei a gostar de musica classica, principalmente "thieving magpie" e "o mio babbino caro", sinto muito prazer ouvindo essas musicas, e falando nisso eu tenho odio do funk e de seus fãs analfabetos, eu também tenho um serio problema em relação aos meus ideais, se alguém disser que eu estou errado eu passo o dia tentando refutar essa ideia mentalmente, a mesma coisa com quando wu imagino algo novo, eu fico pensando até tornar essa ideia perfeita (isso também esta relacionado com meu perfeccionismo) e serio isso estraga meu dia, e eu não consigo focar em mais nada. A minha casa é um completo inferno, só tem mais e mais gritaria, eu também tenho um trauma envolvendo teorias da conspiração (um dos motivos pra mim tentar ser cristão), na escola todos os meus "amigos" me vem como piada ou alguém doente , apenas um deles me respeita de verdade, eu odeio o feminismo e todos os seus apoiadores, eu também amo de paixão o filme "laranja mecanica" ele é como um idolo pra mim, junto de seu protagonista alexander delarge que até o cabelo eu tento copiar. Eu tenho muita dificuldade de sentir remorço mas ironicamente eu tenho muita empatia pelas pessoas proximas a mim, eu gosto de jogar video games eles são como um refugio pra mim, as vezes pra passar o tempo eu penso em jupiter por causa de seu tamanho, tbm penso no universo e em cenas do filme laranja mecanica com eu protagonizando, principalmente as mais violentas, eu gosto disso. Eu não gosto de nenhuma das minhas colegas de classe, gosto apenas do corpo delas e penso como seria fazer coito com elas, odeio girias da internet como "cringe" ou "poser" pois considerado elas algo idiota, eu sempre tento adquirir conhecimento para usa-lo no futuro, odeio pessoas que não sabem argumentar, tive uma paralisia do sono quando tinha 15 anos e desde então durmo de lado. Adoro filmes de terror apesar de ter muito desconforto, gosto bastante de hentai, principalmente envolvendo abusos, eu também gosto de sotaques, vocabulario rebuscado ou "chique" pois acredito que te da superioridade, eu penso tantas coisas consideradas imorais e estranhas que se eu coloca -se aqui daria muito mal para os politicamente corretos. Ah e tudo isso é apenas algumas das minhas caracteristicas, acredite ou não, sei que não me torna ou uma pessoa diferente apenas por ter um gosto diferente, mas ainda sim eu gosto.
submitted by gustavoVDG to desabafos [link] [comments]


2020.07.03 18:52 gustavoVDG Minha vida

Eu sou um garoto de 16 anos, preguiçoso, procastinador e hipocrita, as vezes eu me pego imaginando coisas meio psicopatas envolvendo abuso e maltrato com garotas da minha idade ou mais velhas, e violencia com garotos. Eu tenho lutado constantimente contra a masturbação, pois me decidi adapta meu estilo de vida ao cristianismo, mais por medo do inferno do que por fé, e eu ainda não me tornei atéu pois além de covarde eu penso "e se eu estiver errado", eu comecei a gostar de musica classica, principalmente "thieving magpie" e "o mio babbino caro", sinto muito prazer ouvindo essas musicas, e falando nisso eu tenho odio do funk e de seus fãs analfabetos, eu também tenho um serio problema em relação aos meus ideais, se alguém disser que eu estou errado eu passo o dia tentando refutar essa ideia mentalmente, a mesma coisa com quando wu imagino algo novo, eu fico pensando até tornar essa ideia perfeita (isso também esta relacionado com meu perfeccionismo) e serio isso estraga meu dia, e eu não consigo focar em mais nada. A minha casa é um completo inferno, só tem mais e mais gritaria, eu também tenho um trauma envolvendo teorias da conspiração (um dos motivos pra mim tentar ser cristão), na escola todos os meus "amigos" me vem como piada ou alguém doente , apenas um deles me respeita de verdade, eu odeio o feminismo e todos os seus apoiadores, eu também amo de paixão o filme "laranja mecanica" ele é como um idolo pra mim, junto de seu protagonista alexander delarge que até o cabelo eu tento copiar. Eu tenho muita dificuldade de sentir remorço mas ironicamente eu tenho muita empatia pelas pessoas proximas a mim, eu gosto de jogar video games eles são como um refugio pra mim, as vezes pra passar o tempo eu penso em jupiter por causa de seu tamanho, tbm penso no universo e em cenas do filme laranja mecanica com eu protagonizando, principalmente as mais violentas, eu gosto disso. Eu não gosto de nenhuma das minhas colegas de classe, gosto apenas do corpo delas e penso como seria fazer coito com elas, eu sempre tento adquirir conhecimento para usa-lo no futuro, odeio pessoas que não sabem argumentar, tive uma paralisia do sono quando tinha 15 anos e desde então durmo de lado. Adoro filmes de terror apesar de ter muito desconforto, gosto bastante de hentai, principalmente envolvendo abusos, eu também gosto de sotaques, vocabulario rebuscado ou "chique" pois acredito que te da superioridade, eu penso tantas coisas consideradas imorais e estranhas que se eu coloca -se aqui daria muito mal para os politicamente corretos.
submitted by gustavoVDG to desabafo [link] [comments]


2020.07.03 03:26 Siphodemos Minha vida

Eu sou um garoto 👦🏻 de 16 anos, preguiçoso 🦥, procastinador e hipocrita😅😅, as vezes eu me pego imaginando 💭 coisas meio psicopatas 🔪🔪 envolvendo abuso e maltrato com garotas 👩🏻‍🦰 da minha idade ou mais velhas👵🏼, e violencia com garotos👶🏼. Eu tenho lutado constantimente contra a masturbação 💦💦, pois me decidi adapta meu estilo de vida ao cristianismo✝️, mais por medo do inferno👿👿👿 do que por fé, e eu ainda não me tornei atéu🤓🧐 pois além de covarde eu penso "e se eu estiver errado", eu comecei a gostar de musica classica🎹🎼🎻, principalmente "thieving magpie" e "o mio babbino caro"👶🏼💰, sinto muito prazer ouvindo essas musicas🎼, e falando nisso eu tenho odio do funk😡😡😡😡 e de seus fãs analfabetos🥴, eu também tenho um serio problema em relação aos meus ideais💭💭💭, se alguém disser que eu estou errado eu passo o dia tentando refutar 🤓 essa ideia 💭mentalmente, a mesma coisa com quando wu imagino algo novo 🧠💡, eu fico pensando 🤔 até tornar essa ideia perfeita 😎😎😎😎 (isso também esta relacionado com meu perfeccionismo) e serio isso estraga meu dia 😟, e eu não consigo focar em mais nada. A minha casa🏠é um completo inferno👿🔥🔥, só tem mais e mais gritaria 🗣️📢 eu também tenho um trauma envolvendo teorias da conspiração 👽👽👻(um dos motivos pra mim tentar ser cristão✝️), na escola todos os meus "amigos" me vem como piada 😂😂ou alguém doente🤮🤢🤮, apenas um deles me respeita de verdade,😎😎 eu odeio o feminismo 😡😡😡😡😡🚺e todos os seus apoiadores🐂🐃, eu também amo de paixão o filme "laranja mecanica" 🤖ele é como um idolo pra mim🥰🤩, junto de seu protagonista alexander delarge que até o cabelo eu tento copiar😍😤. Eu tenho muita dificuldade de sentir remorço 😎🪓⚰️mas ironicamente eu tenho muita empatia 😢pelas pessoas proximas a mim, eu gosto de jogar video games 👾🖲️🕹️eles são como um refugio pra mim😄🙂😋, as vezes pra passar o tempo eu penso em jupiter✨🌕 por causa de seu tamanho, tbm penso no universo ☄️🌌e em cenas do filme laranja mecanica 🤖com eu protagonizando, principalmente as mais violentas🗡️🙂🪓, eu gosto disso 😎 Eu não gosto de nenhuma das minhas colegas de classe😡🚺🚫 gosto apenas do corpo👉🏻👌🏻 delas e penso como seria fazer coito 💦😫👉🏻👌🏻 com elas, eu sempre tento adquirir conhecimento🧠😎 para usa-lo no futuro, odeio pessoas que não sabem argumentar🤓🤬, tive uma paralisia do sono👻 quando tinha 15 anos e desde então durmo de lado. Adoro filmes de terror🧟‍♂️👻💀 apesar de ter muito desconforto, gosto bastante de hentai🤩 principalmente envolvendo abusos👮🏻‍♂️🚔 eu também gosto de sotaques 🌎 vocabulario rebuscado ou "chique" 😎🤓pois acredito que te da superioridade🧠🧠, eu penso tantas coisas consideradas👿👿 imorais e estranhas que se eu coloca-se aqui daria muito mal para os politicamente corretos👉🏻😎👉🏻🇧🇷
submitted by Siphodemos to Copicola [link] [comments]


2020.07.01 06:25 harayoko O Arco-íris Distante da Luz e Outros Contos


Ohayou gozaimasu. Como vai vosso dia?
Nos três anos que acompanho o Luba, nunca havia enviado uma história ao mesmo, então espero que para minha primeira vez esteja bom.
Enfim, vamos dar início à história.

Em março de 2018, fui transferida de escola para uma que ficasse mais próxima de minha nova residência. Meus pais haviam se divorciado, então não seria algo bacana dividir a mesma casa com seu ex-marido, não?
Nas primeiras semanas, pude fazer amizade com uma garota. Ela era um pouco estranha e quieta, mas não era motivo para que eu me preocupasse (vamos exceder o fato que ao longo do ano ela furtou duas coisas minhas na maior cara de pau). Vamos chamá-la de Joycinha.
Nesse tempo foi que comecei à sentir atração tanto por garotas quanto por garotos. Felizmente, ela não se importava. Parecia gostar de me dar apoio.

Em abril do ano seguinte, me mudei novamente para a casa que estou atualmente. Meu pai continuou visitando a mim e ao meu irmão mais velho, como normalmente.
Na "escola", havia uma transferida que iremos chamar de Maria. Era alguém sincera e divertida de conversar, até que um dia, surgiu um diálogo de frente para minha carteira, aonde ela se sentava.
As garotas Melissa, Giovanna, Lavínia e Heloísa - não me lembro de como escreve o nome de uma das meninas, então não vou colocar - estavam a zoando pela coisa mais idiota possível: teria poucos seguidores em sua conta do Instagram, feita com o intuito de ajudar estudantes com a organização de seus cadernos. Nexo era inexistente, já que estava apenas iniciando sua conta.
Maria não opinou muito. Me sinto mal por não te aberto a boca e a defendido, apesar de nas férias de inverno do mesmo ano ter conseguido as defender de alguma forma. Inclusive, naquele momento haviam duas pessoas do grupo que haviam ficado em silêncio, que iremos chamar de Renata e Vitória.

Após o retorno das aulas, passei à gostar de Vitória. Seu jeito era encantador.
Decidi fazer alguns desenhos dela e entregar para a mesma em um envelope. Para isso, tive que me manter na sala para poder deixá-los em sua carteira, apesar de que não pudéssemos ficar lá durante o RECREIO.
Uma garota ficava lá, porém nem sempre. E estava justamente nesse dia. Fingi ter derrubado algo perto da carteira de Vitória para que pudesse deixar no suporte de sua carteira, mas logo a outra percebeu que não era o que eu tentava convencer ser.
Pedi que mantivesse em segredo sobre quem deixou o envelope, e assim concordou.

Todos tendo retornado para a sala, foram para suas carteiras. Ou melhor, as panelinhas reuniam-se em cada espaço. Inclusive a de Vitória.
Ela pegou os desenhos, e pareceu ter gostado. Isso era o que importava. Já as garotas, saíram perguntando e tentando descobrir quem era o remetente. É sempre assim.
Até que alguém contou. E adivinhe quem?
Isso mesmo, a garota que havia prometido não contar, traiu minha confiança e nem deu a mínima.
Uma garota da panelinha veio até mim e tentou me tranquilizar, dizendo que não havia problema. Perguntou se era verdade e concordei (nem mesmo havia comentado sobre gostar dela, mas todos interpretaram assim). Enquanto do outro lado, outra garota estaria rindo com sua amiga fazendo alguma piadinha tosca sobre. Pude ouvir apenas um "sair do armário" enquanto ela estava com aquele sorriso escroto na cara escrota dela.

E felizmente, fui transferida nesse ano novamente. Espero nunca mais encontrar essas pessoas, já que aquela barulheira toda me deu uma baita dor de cabeça e quase me fez reprovar.
Espero que tenham gostado da história. Assim me despeço.
submitted by harayoko to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.01 02:10 btrzjndrb A história do falso corno que eu dei.

olá luba, editores, papelões e turma! espero que todos estejam bem e acomodados para essa estranha história que irei contar aqui hoje. O texto é longo, eu sei, desculpa, mas eu fiz uma conta nesse tal de reddit só pra contar pelo que eu passei - e deixar outras pessoas alertas, para que elas não passem pela mesma situação - e talvez pra ver como vcs julgam essa história também :):)
sem mais enrolações: tudo começou no início do meu ensino médio. tinha começado a namorar um carinha - vou mudar o nome de todo mundo pq sou uma pessoa legal não quero expor ninguém - chamado Joaquin e tinha começado uma amizade com Paulo. Paulo e eu estudamos juntos desde a 5ª série, mas eu nunca quis fazer amizade pq ele era bem babaca. talvez eu tenha o julgado cedo demais. bem... Joaquin e eu eramos melhores amigos inseparáveis e a parceria no namoro fazia ficar "perfeito", mas, por Joaquin lutar com depressão a anos e ser muito ansioso com algumas coisas - normal de quem é ansioso né, não julgo ele, até eu sou assim - as vezes a gente discutia por coisas bem "bestas" - não interpretem mal essa frase, saúde mental é muito importante.
e, no meio de todas essas discussõeszinhas, Paulo tava lá. ele sempre foi o tipo de cara que ia na onda dos "cool kids" para tentar se sentir aceito por eles, mas no fundo ele era muito tímido e inseguro e só fazia aquilo como um mecanismo de defesa, sabe? enfim, depois que ele passou a perceber isso, ele deixou de se esforçar e passou a ser só um cara calado, que ficava na dele, e que preferia conversar por mensagem do que pessoalmente. eu respeitava ele por isso, e comecei a conversar muuito com ele por mensagem. então quando eu discutia com meu parceiro ou quando tinha alguma crise, eu geralmente ia falar com ele. me sentia segura por isso, mas, ele aproveitava a minha vulnerabilidade pra satisfazer algumas vontades dele. atenção, carinho, sexting, nudes... só pra dizer o mínimo. não vou e nem quero entrar em detalhes, e pode até soar estranho, mas situações de vulnerabilidade te fazem fazer coisas que você nunca se vê fazendo.
até que, depois de um tempo, eu percebi a manipulação que ele fazia e resolvi me afastar dele. contei tudo que tinha feito deslealmente para Joaquin, meu parceiro. meu amigos disseram que Paulo era apaixonado por mim mas na época eu nem cogitei. Joaquin, compreensível como sempre foi, entendeu o que tinha acontecido e não me achou a babaca da história - fui babaca, turma? não sei, ainda estamos na metade da história. o fato foi que eu me sentir uma péssima namorada por isso e pensei que nunca mais teria qualquer relação de amizade com Paulo. yes, you guess it: isso não aconteceu.
lá pra metade do meu segundo ano Joaquin terminou comigo e isso fez Paulo se sentir "convidado" a começar uma amizade de novo. eu não vi nenhum problema nisso apesar de não ter me sentindo completamente confortável de início. com os meses, eu fiquei bem próxima dele de novo mas ele tava diferente. ele estava bem mais ciumento. ele chegou a ficar sem falar comigo pq eu pedi emprestado o casaco de um amigo nosso, Pedro, e não o dele. bizarro né, pois é, continuem acompanhando. (btw, Pedro vai aparecer mais tarde na história)
enfim, quando eu já tinha "superado" meu rolo com Joaquin, Paulo achou - considerando a minha eu do passado que foi manipulada por ele - que eu queria ficar com ele. todo dia ele mandava mensagens com duplo sentido, insistia muito MUITO MESMO pra ter qualquer coisa comigo. eu já desconfiada, e cansada de tanta insistência, acabei cedendo e a gente acabou ficando. pra ser sincera, eu não gostei do beijo. acontece né, as vezes não dá certo - sem querer ser parcial mas já sendo, ainda bem que não deu. mas, Paulo e sua masculinidade intocável não estava preparado pra ouvir isso quando eu disse. eu realmente queria que a gente continuasse amigo mesmo, mas ele simplesmente deixou de falar comigo! de um dia pro outro: tchau. eu fiquei arrasada de início mas depois não me abalei muito pq julguei ele como o babaca da história. bem, a babaquisse dele só estava começando. avançando um ano na história: fiquei solteira e carente até o meio do terceiro ano.
nessa época, Paulo estava namorando Bruna. ** um parenteses na história: eu sempre achei eles o casal perfeito pq antes de Paulo, Bruna namorava Pedro - lembram de Pedro, meu amigo do casaco? pois é, ele. o namoro era uma mentira: Bruna só começou a namorar com Pedro pra superar João, que um dai teve um rolo com ela mas não quis mais sabe? Bruna, uma pessoa bem bacana como vocês podem perceber, terminou com meu amigão Pedro um dia antes de uma super festa que ele deu na casa dele. ela foi na festa, claro, e ficou com Paulo lá. na frente de Pedro. melhor casal não conheço. enfim voltando a história ** e eu e minhas amigas futriqueiras - "fofoqueiras" - estavamos comentando esse caso babado de Bruna né e eu falei no meio da conversa "ainda bem que eu beijei ele uma vez e não deu em nada".
nesse momentos minhas amigas fizeram silêncio. muito silêncio. era a pausa dramática mais dramática que eu já tinha visto. eu não entendi a estranhessa daquele silêncio e perguntei o que tinha acontecido, se eu tinha dito algo errado e tals. até que Dani disse: "Paulo me disse que você traiu Joaquin com ele. que vocês fizeram... coisas e que foi por isso que vocês terminaram" (texto family friendly). eu fiquei sem palavras. todas as minhas amigas disseram que escutaram essa história e ficaram COM VERGONHA de perguntar se tinha sido verdade. todas elas escutaram a história de PESSOAS DIFERENTES do colégio. A HISTÓRIA DE UM FALSO CORNO QUE EU DEI. sem saber o que dizer - e um pouco irritada com essa trocidade que eu ouvi a meu respeito - eu fui falar com Joaquin. Ele disse que não tinha ouvido essa história, mas que com certeza foi a história mais engraçada que ele já tinha escutado. de fato, eu também achei engraçada, até pq "era a cara" de Paulo fazer algo do tipo.
depois de ouvir isso - eu e minhas amigas ativamos nosso james bond interno e fizemos nossas investigações pra saber quem sabia e tudo mais. isso fez eu desenvolver problemas sérios de insegurança e fobia social, além de me deixar completamente ansiosa só de pensar em ficar com alguém. no fundo, eu imaginei que qualquer cara pudesse agir como ele. mas, depois de muita "investigação" descobrimos que todos, eu disse TODOS os alunos da minha série sabiam dessa história E QUE PAULO TINHA INVENTADO OUTRAS HISTÓRIAS SOBRE OUTRAS GAROTAS. basicamente, se ele ficasse com uma que não gostasse ou não quisesse de novo, ele ia inventar alguma coisa sobre ela. inclusive, descobrimos que ele fez isso com duas amigas minhas sem a gente saber. depois disso, o ódio e a vergonha tomou conta e eu não consigo falar com ele até hoje. a última vez que eu tive que compartilhar oxigênio com ele foi em uma festa com algumas pessoas da minha série. ele e Bruna estavam lá e ela (bebada) disse pra minha amiga que "concertou" ele. que fez ele pedir desculpas por todas as besteiras que ele fez.
até hoje eu não recebi nenhuma desculpas. nenhuma explicação. nenhuma mensagem ou telefonema. até hoje eu tenho fobia social e não consigo me relacionar com ninguém sem me sentir ansiosa e insegura. no fundo eu acho que vão criar coisas sobre mim, espalhar e eu vou receber os mesmos olhares estranhos que recebia no colégio sem saber o porque.
final meio deprê mas essa foi minha história. Paulo pode ser qualquer pessoa na sua. ele fez coisas comigo, psicologicamente e emocionalmente, que não sei como concertar. não falo sobre isso com quase ninguém mas quis compartilhar pra nenhuma garota ou garoto ter que passar por isso. fiquem bem, fiquem seguros, abraços!
submitted by btrzjndrb to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.25 05:26 NoobSad_666 Minha ex com dupla personalidade

Olá Lubisco, turma, possível convidado, gatas e microfone.
A 2 eu "fiquei" com uma garota da minha escola, eu e essa garota n queríamos nd sério (ate pq a família dele era meio contra ela namora) so algo de momento so pra ver oq dava e tals, estamos indo bem, a gente so se via na escola, pos morávamos em bairros diferentes e trocávamos msgns. Então as ferias chegou, e durante essas férias ela mau me madava msgns (ate então pensei q ela poderia esta sem internet) os dias foram passando, semanas e enfim as férias acabou, ela apareceu meio estranha e distante de mim, fiquei tipo - "puts, eu fiz algo ou dizer algo" (edit. eu e a CARLS estudavamos na msm classe) as aulas foram passando e deu o hr do intervalo, (eu n saiu mt no intervalo prefiro fica na sala de boa na minha) então uma amg minha veio me chama pq a CARLS queria fala comigo ela tava na quadra, achei estralho mas me dirigir ate la, chequei perto dela e então ela falou q teria termina, perguntei o motivo mas n tive resposta, voltei para sala sem entender nd. Então blz pensei "e so um termino, bola pra frete" passou alguns messes e na escola durante uma aula Carls chegou perto de mim e começou a fala, q ela so terminou comigo pq tava com problema, n estava com cabeça pra relacionamento (Edit. Dps q a CARLS terminou comigo ela começou a NAMORA com um cara q era um completo babaca, e tds as amgs dela falava mas a Carls n escutava). Então 1 ano se passou eu e a CARLS éramos so colegas de sala falávamos bem pouco um com outro, mas as vezes ela me mandava msgns tarde da noite, por mts vezes dando entende q ainda gostava de mim, mas n dava bola, ate q um dia ela me mandou msgns super tarde puxando assunto, responde pq n gosto de deixar ngm no vácuo, nas msgns ela falava q tinha mudado q era outra pessoa, n era a msm pessoa de 1 ano atrás, ae ela deu a entender q queria voltar, entrei na "onda dela" pra ver onde isso ia dá (Edit. Ela era inteligente, culta curtia filosofia e tals) então pra ver se ela tinha mudado msm, fiz uma pergunta (estilo viking, pq sabia q responderia) com "grau de dificuldade" falei q ela poderia me responde no outra dia q ja estava bem tarde, ela visualizou, e n respondeu, então deixei meu celular de lado, alguns minutos se passaram e ela respondeu com uma foto (vish kk se que vc ne entende [nude]) fiquei surpreso, me perguntando kd a pessoa inteligente q eu conhecia (Edit. Eu sou uma pessoa q n gosta de recebe nude, pq conheço pessoas q se deram mt mau mandando isso para pessoas erradas) em seguida da ft ela falou "ta vendo eu mudei" eu em shoki responde - e realmente mudou, ela mandou mais. então ela falou se a gente poderia tentar um webnamoro se desse crt pós a quarenta veríamos no q dava, aceitei pra ver se isso q tava acontecendo era real. Os dias foram passando e ela mando mais fts, e ela se mostrava mt diferente de como a conhecia antes, mais distante, n respondia com tanta frequência, n me contava nd sobre ela, como ela realmente estava. Então falei para mim msm "ela ta mt diferente, n e a msm Carls q eu conhecia, n deu crt antes, acho q como está n vai da agr" esperei mais 1 semana, ela n me mandou nem uma msgm, decidi termina o webnamoro, mandei um textinho explicando os motivos, ela visualizou e eu esperando, ela n respondeu, 1 hr se passa e nd, 2, 3 hrs e nd, de repente msgm dela falando - "vc n sabe os problema q estou passando, vc ta colocando coisas onde n tem" responde falando q pra mim como estava n tava dando crt (Então ela sou a bomba q eu fiquei pensando ate escrevendo esse texto) ela dizer "vc n me conhece, n sabe de nd (edit. E realmente n sabia, pq ela n falava pra mim) to cheia de probelma, minha família ta desmoronando, fui expulsar de casa, to morando com meu irmão (ela falou mais, mas e mt pesado, n sei se devo fala por csusa das regras, talvez coloque nos comentários se vcs quiserem) e Então dps dela fala td isso, fiquei sem sabe oq responde, pq n sabia de nd, pq msm q eu perguntasse ela n fala nd omitia td, dps de pesar um pouco responde q - se soube-se poderia ter ajudado, e pedi q ficássemos distante, pra acaba td relacionamento social, na escola por msgns etc. pq tava me fazendo mau dps disso ela n falou nd. Bem e isso? Desculpa se ficou mt grande e MinHa PriMe!ra vEz aqUi pi pi po po Então deixou aq a pergunta a tds q estão a ver esse post, eu foi o babaca da história? Por terminado com ela
submitted by NoobSad_666 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.24 22:48 whote__ historia nada a ver mas precisava desabafar pq sinto que vou EXPLODIR

Não sei bem por onde começar, mas bem... Oi turma :) Prefiro deixar meu nome em off, queria contar uma historia que aconteceu/vem acontecendo há um tempo e eu sinto que vou sufocar se não conseguir falar isso pra alguem... Eu comecei a namorar um colega de faculdade no começo de 2019, ele tinha uma fama de sempre ser escroto com garotas, de ficar falando mal pelas costas, achei que fosse mentira, até pq na faculdade eu também tinha fama de piranha, mesmo sem ser (só havia ficado com duas pessoas da universidade inteira durante os 3 anos que cursei, larguei logo em seguida o curso). Enfim, mesmo se ele fosse essas coisas, achei que poderia mudá-lo... Bom, no começo era incrível, a gente se divertia muito, nosso ciclo social era o mesmo, então era muito mais fácil. A gente costumava ir muito pra barzinhos, bebia muito, mas eu nunca quis fazer nada a mais com ele, nunca me senti confortavel pra fazer coisas com ninguem e também nunca sequer senti vontade. Até ai tudo ok, até que um dia eu tava muito bebada e pedi pra ele me levar pra casa, encostei a cabeça no vidro do carro e fui dormindo no caminho, quando acordei ele tava me levando pra um motel, e eu entrei em panico e simplesmente desci do carro e sai andando sozinha na rua, de madrugada, até encontrar um posto de gasolina e então pedi um uber de lá. Depois desse dia eu decidi terminar, mesmo gostando muito dele. Passou um tempo, eu tava num role com uns amigos, ai acabaram soltando que ele tava ficando sério com uma menina (que se dizia muito minha amiga), e não faziam nem duas semanas que a gente tinha terminado, e eu no auge do alcool e da minha falta de noção, liguei pra ele, falei que tava com muita raiva, que amava ele, e tudo ele respondendo que se sentia do mesmo jeito, que queria ficar comigo mas não ia terminar com a carls só pq eu tava pedindo pra voltar. Enfim, mesmo com todo esse drama, ele continuou com ela, mas toda noite me ligava, falando que me amava e um monte de coisa linda, tal dia eu resolvi confrontar a menina, pq ela era minha amiga ne? Ela falou que não quis me dizer nada pq não queria me magoar, que ela tava apaixonada por ele e que sim, eles iam acabar namorando. Até que na vespera do meu aniversario, fui num evento na faculdade, que eu ja tinha largado nessa época, e como eram os melhores amigos que tinham organizado, eu fui pra dar meu apoio (e pra beber de graça também ne kkkk). Ele tava lá, e a menina não, acabou que o evento terminou umas 22h e eu disse que queria virar meu aniversário junto com a galera, dai a gente foi pra um barzinho e ficou por lá até meia noite, dai quando a gente tava indo pra cara, ELE insistiu com o pessoal pra deixar eu e meu melhor amigo em casa (pq a gente mora muito perto) dai ele deixou meu amigo em casa primeiro, e eu tava extremamente alterada, dai na hora que ele parou na porta da minha casa ele me beijou, e eu trouxa apaixonadinha deixei, mas ele ainda tava com a garota. Ok né, depois desse dia a gente voltou, só que as coisas ficaram meio estranhas, ele insistia pra me buscar na faculdade todo dia (eu tinha começado outro curso, a aula acabava 23h e ele morava do outro lado da cidade), ele ficava com raiva se eu não respondesse ele no whatsapp quando eu tava no trabalho, ou ficava puto pq quando eu chegava em casa e dormia, e ainda ficava entrando no assunto de sexo constantemente, e eu nao queria, sinceramente nao queria. Minha rotina era extremamente puxada, eu tava treinando pra um campeonato nacional (sou atleta de mma), entao de 7h até umas 10h~11h eu treinava, corria pra entrar no trabalho 12h e saia 19h e depois corria pra faculdade pra entrar 19h e sair 21h, então muitas vezes eu nao queria sair no fim de semana, eu so queria descansar, e ele tinha muita raiva disso. Até que no começo desse ano, bem no começo de janeiro, eu decidi terminar, pq nao tava conseguindo priorizar ele da maneira que ele queria, mas ai começou o problema, primeiro que quando eu falei que queria terminar ele soltou um "eu devia ter escutado meus amigos e nao ter namorado uma puta como voce", e detalhe que ele sempre ficava trazendo coisas do meu passado como se fossem muito erradas, tipo eu ter ficado com pessoas (????) como se fosse super errado... No dia que terminei, ele passou a noite inteira com o carro estacionado na frente da minha casa, e no outro dia e no outro... Começou a aparecer no meu trabalho, no estacionamento da minha faculdade, e foi ai que minha sindrome do panico voltou a atacar, comecei a ter crise de ansiedade, ataque de panico so de ver carro igual ao dele na rua. Então chegou ao ponto que eu não conseguia mais sair de casa, só consegui sair lá pro final de março, depois dos meus amigos insistirem muito, então a gente foi, curtiu uma noite muito daora, foi super divertido, uma dia perfeito. Mas como nada pode ser perfeito, quando a gente tava do lado de fora do barzinho decidindo qual ia ser a rota do uber, ele apareceu la do nada, ninguem tinha falado, ninguem tinha postado nada, eu implorei pros meus amigos nao falarem pra ninguem onde a gente ia estar, mas lá tava ele, sozinho no lugar que a gente tava. Eu comecei a passar mal, e pedindo pra ele ir embora, e ele dizendo que queria conversar comigo e que me deixava em casa, depois dele insistir muito e de contraria todos meus amigos eu aceitei ir com ele pra ver o que ele tinha pra falar, foi a pior ideia da minha vida. Então a gente tava no carro e ele começou a falar como eu tinha sido ingrata, como eu tinha sido uma namorada ruim e eu tava tão focada na conversa que não percebi que de novo ele tinha me arrastado pra um motel, e começou a insistir pra eu entrar com ele pq ele queria so terminar de conversar, e a gente nunca tinha como, e então eu nao aceitei, eu tava com medo, queria ir pra casa, meu celular tava descarregado, e ele começou a insistir que eu subisse, e eu nao queria, até que consegui me soltar dele e, posso estar louca mas posso jurar que ele me empurrou da escada, mas foi meu jeito de fugir e sai correndo até chegar na recepção e pedi pro cara chamar um uber pra mim, meu braço tava doendo muito. Consegui sair de la, cheguei em casa chorando mas não podia contar o que tinha acontecido/o que vinha acontecendo pros meus pais pq eles são muito crentes e iam acabar me culpando por tudo, então inventei uma historia qualquer pra minha mãe pq ela ja tava com muita raiva de mim por estar chegando 4h da manha em casa, então tomei um banho e fui dormir, e com meu braço doendo muito. No outro dia meu braço tava super inchado, minha caixa de mensagem lotada de mensagens dele me xingando. Fui no hospital bater um raio x do braço, descobri que tinha quebrado, acabei perdendo o campeonato que eu tanto treinei pra participar e ficou por isso. Logo em seguida perdi meu emprego por conta da quarentena, tenho zero ideias de como vou pagar minha faculdade proximo semestre, e até hoje recebo constantemente mensagens dele me xingando e no outro dia pedindo desculpas pq ele me ama... Isso consome minha cabeça 24/7, penso nisso o tempo todo, tenho pesadelos todas as noites, então so durmo a base de remedio, e nunca pude contar nada pra minha familia pq eu que estaria errada nisso tudo. Peço desculpas a quem leu até aqui, eu literalmente so precisava desabafar...
submitted by whote__ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 20:43 Wooden_Statistician3 Tudo que falo só piora e só queria que voltasse a ser como era antes

Desabafo. Há alguns meses casei, depois de menos de um ano de namoro. Apressado? Com certeza. Mas as circunstâncias meio que pediam. Ela veio de uma família extremamente quebrada e tóxica. Vivia sozinha há alguns anos, dependendo de auxílios de faculdade, parentes que só sabiam reclamar de estar ajudando, etc. Ela tem depressão profunda, e não tinha nem como se tratar.
Quando a conheci ela estava namorando, mas um namoro só de fachada, pois na verdade ele era abusivo e não deixava ela terminar, sob ameças contra a própria vida por parte, e à vida dela por partes de parentes dele. Durante boa parte da sua vida, a chamaram de feia, estranha, etc. Na faculdade as coisas mudaram, e começaram a enxergar a sua beleza, ficou com vários, mas sua auto-estima baixou tanto ao longo da vida que ela aceitou namorar com essa cara, sem nunca de fato querer, e acabou presa nesse relacionamento por mais de 2 anos.
Eu só tive uma namorada, há mais de 10 anos, e um crush forte até alguns anos atrás, o qual acabou em inimizade total. Sempre percebi que não era interessante pra nenhuma garota, na aparência, e nunca tive qualquer desenrolar pra "chegar". Depois de namorar, tomei gosto, e tentava. Porém do meu jeito tímido e, claro, ineficiente. Anos disso me fizeram perceber que não havia porque eu ficar insistindo em "achar alguém", se fosse acontecer seria no dia-a-dia normal, ou quando eu realmente me melhorasse como pessoa. Foquei então na minha educação e no profissional.
Um dia ela, ainda em namoro abusivo, falou comigo pelo Whatsapp, tarde da noite. O meu racional dizia pra eu ir dormir, pois a pessoa responsável e profissional dorme cedo e acordar cedo (ou assim deveria, pelo que dizem). Mas algo me fez querer falar com ela, mesmo que ainda de forma um tanto fria, admito. Papo vai, papo vem. Como parecia ser só uma amizade, eu falei abertamente com ela, inclusive quando ela perguntou de relacionamentos/crushes passados.
Semanas depois, ela termina o namoro e diz que gosta de mim. Pela primeira vez em muitos anos volto a sentir aquilo que senti no primeiro namoro. E ficamos, e namoramos, e tudo foi muito intenso. E então casamos, para que ela pudesse ter acesso ao meu plano de saúde como dependente e tratar, principalmente, da depressão, pois várias noites a vi chorar pelo seu passado que ainda atormenta o seu presente: ela não consegue nem mais estudar e boa parte das tarefas domésticas ficam pra mim. Mas havia tudo pra melhorar, não havia? Infelizmente, tudo mudou um dia.
Ela acordou e disse que sonhou que eu falava que eu achava aquele meu crush forte (Fulana) de alguns anos antes mais bonita que ela. Depois de algumas horas, como se perguntasse algo banal, ela perguntou se achava mesmo. O problema: eu considero a Fulana bonita, mesmo nível, mas o sentimento que existe é pela minha esposa e, obviamente, ela me é "a mais bonita". Mas ela não aceitava esse tipo de resposta, ela queria que eu respondesse de forma crua. Eu, que sempre procuro ser honesto, correspondi. Como considero as duas de mesmo nível, foi difícil. Conseguia lembrar de momentos onde uma estava mais bonita que outra, mas não chegava a "vencer". Uma certeza eu tinha, e continuo tendo, minha esposa tem a maior capacidade, ou seja, consegue ser a mais bonita. Mas ainda assim minha resposta não foi suficiente: ela dizia que eu estava enrolando, com medo de dizer a verdade. Não entendi do que deveria ter medo afinal, pra mim, a resposta mais direta e crua não fazia a menor diferença nos meus sentimentos para com ela. E, se eu estivesse raciocinando direito eu teria percebido a armadilha bem ali na minha frente, mas eu caí nela quando ela novamente exigiu a resposta direta e crua: ou ela ou a Fulana. E eu falei a Fulana.
E, de repente, ela começou a me atacar. Dizendo que eu acho a Fulana "linda e maravilhosa" e ela feia (quando pra mim ambas tão no mesmo nível, e pra mim ela vai ser sempre a mais bonita, pois é ela que eu amo). Que meu sonho era que tivesse dado certo com a Fulana, mas que ela foi o que deu (quando ela, e somente ela, que conseguiu reacender meus sentimentos, mesmo quando tudo dizia que não valia a pena sonhar com isso (afinal ela tinha namorado, etc.). Eu tentava explicar meus sentimentos, mas nada adiantava. A frustração, a angústia tomou conta e então, a raiva. Raiva de como algo que estava morto no passado, voltou pra me assombrar. Raiva de que algo completamente irrelevante no meu presente, e portanto nosso presente, estava ali, destruindo nosso casamento. Pois ela começou a querer ir embora, anular casamento, se separar. E na tentativa de melhorar as coisas, eu sempre piorava. Acabei falando palavras (que pra mim não teria tanto significância se ela dissesse), mas infelizmente pra ela tinha: disse que ela estava sendo "idiota" por insistir tanto nas afirmações desses ataques e desconsiderar completamente o que eu sinto e falava. Só estava tendo "amenizar" a situação, segundo ela. E que no fundo, eu queria alguém """melhor""" que ela.
Isso foi uma tarde. Ela eventualmente parou quando percebeu o quão mal eu estava. E claro que eu estava. A pessoa que eu amo e por quem eu faço tudo, praticamente "inventou" um motivo pra me atacar. E daí que numa análise crua e racional, naquele ponto específico da história, a Fulana havia "vencido" no concurso de beleza entre as duas. Grande bosta. Minha esposa continuava sendo bonita, e pra mim e meu amor, a mais bela. Era ela que realmente havia gostado de mim, era ela que quis casar comigo, era ela que me acompanhava nos filmes de sábado à noite, era ela com eu me via vivendo pra sempre do lado. E de repente, parecia que nada mais disso iria se tornar realidade e por quê? Por algo que nem ao menos mudava o que eu sentia em relação a ela e nunca iria.
Durante o final da noite, eu tentei dormir, mas não conseguia. Tentei assistir vídeos de "como lidar com a pessoa amada em depressão". E ela começou a chorar do meu lado, muito. Larguei o vídeo, abracei-a. E ali as gentes se aceitou novamente. Ou assim parecia, porque poucos minutos depois, ela pergunta, inocentemente, se eu acho minha irmã mais bonita que ela. E o fato é, se eu dissesse que não seria uma bela duma mentira, e mesmo que eu achasse, ela diria que eu estava falando aquilo só pra agradar. E eu, O idiota, achando que estava tudo bem de novo, respondi que sim. E novamente ela começou a me atacar. E POR CAUSA DA MINHA IRMÃ!?
Atualmente eu me considero forte pra aguentar essas coisas, mas não dava mais. Ela quebrou minhas defesas com esses ataques. E tudo que ela me falava soava como "EU TE ODEIO". E eu aceitei esse ódio dela, pois, afinal, ela devia estar certa. Eu sou uma pessoa com 30 anos, aparência ok, mas que não tem amigos e só teve uma namorada antes dela. É óbvio que tinha algum problema, o problema de que eu era detestável. Eu sempre tentei demais ser prestativo e tudo mais, mas quando o assunto são sentimentos eu nunca consegui transmitir isso. Abraço minha mãe quatro vezes ao no: aniversário dela, o meu, dia das mães e natal. Sempre um abraço bem "desengonçado". Eu noto isso, mas sempre foi assim, e eu não sei mudar. Eu sei o que eu sinto, mas minha demonstração é e sempre vai ser insuficiente. E por isso todos ou acabam por me detestar ou se afastar de mim. Mas eu realmente pensei que com ela seria diferente.
Alguns dias se passaram e as coisas até foram melhorando. Até que cai tudo de novo. Ela conta pra uma pessoa, que mal conhece, que eu achava que ela na praia não ficava tão bem quando dentro de casa. Sim, eu havia falado algo do tipo, quando no começo da discussão ela pedia pra eu ser mais direto. Oras, ela tem umas manchas, gordurinhas a mais, etc. do que a fulana. Eu me sinto menos bonito do que um cara que não é assim, mas nem por isso me acho feio, ou ache vou sempre ser inferior. É só eu cuidar disso. E se não cuido, é porque tenho outras prioridades. Da mesma forma com ela. Não acho ela feia, nem menos bonita, só relatei o óbvio. E se ela não quiser cuidar, ou não conseguir cuidar, não é problema pra mim. Eu casei com ela pelo pacote completo. E assim como eu, ela também vai com o tempo perder pontos na aparência. E assim como eu, espero que ela ainda me ame, ainda me ache bonito, com eu continuarei amando ela e achando bonita. Mas não importa eu falar isso. Pois ela quer sempre dizer que tudo isso que eu falo é balela, enrolação, agrados, etc.
Pelo meu jeito detestável de demonstrar sentimento ela perdeu totalmente a confiança nos meu sentimentos, a ponto de nada o que eu falo valer mais. Ou talvez, no fundo, ela espera que eu seja pra sempre tão bonito quando ela acha atualmente, e quando eu não foi mais, ela vai me trocar por alguém que envelheça melhor. Mas se eu falo isso pra ela, ela bate o pé pra dizer que pra ela é completamente diferente, que o sentimento dela é real, mas que o meu? O meu é de mentira, porque assim ela decidiu. E ela ainda diz que eu mereço alguém ""melhor"". Mas o fato é, que ela se estiver certa, o que eu mereço é desaparecer. Pois o meu eu que ela odeia, é o único eu que existe. E se ela não é capaz de amar esse meu eu, e insiste em brigar, está mais que na hora de ela admitir o que está bem na frente dela: ela não me ama. Não mais. Só espero que não tenha sido nunca. Porque pior que ver tudo se destruindo e não poder fazer nada, pois nada do que eu falo impede, pelo contrário, piora, e ficar calado não é opção, então que pelo menos não tenha sido tudo uma mentira.
E hoje ela do nada veio falar que tá com medo de engordar, pois, segundo ela, eu falei que iria querer outra se assim acontecesse. Eu nunca falei isso, assim como nunca falei outras coisas com as quais ela vem me atacando. Mas o pouco que eu digo, se transforma num muito na cabeça dela. Eu não aguento mais. Eu peço pra ela parar, mas ela insiste em, nas palavras delas, "me colocar contra a parede pra botar as verdades pra fora". Mas do que adianta isso, quando ela já decidiu o que é verdade e o que é mentira? Nada, e por isso eu só queria que ela parasse. Que não pelo amor que ela supostamente sente por mim, mas pelo menos em consideração a tudo que eu fiz por ela.
Pois agora eu já não sinto nada. Um nada que não me permite nem ao menos dizer o que sinto por ela. Mas enquanto eu quero acreditar que ainda amo ela, ela insiste. Eu novamente pedi pra ela parar, e afirmei que não sei mais se gosto dela, mas que se ela realmente me ama, ela tinha que parar, e me deixar sentir novamente. Mas meu medo é que ela continue (ela está passeando com uma amiga nesse momento), pois se ela continuar o pior vai acontecer. O amor vai virar ódio. A vida vai virar morte. Figurativamente (apesar de temer, e muito, que aconteça literalmente para ela).
submitted by Wooden_Statistician3 to desabafos [link] [comments]


2020.06.21 05:13 marvinpls me sentindo extremamente mal com meu atual namoro

eu sei que a resposta óbvia é "termina pq já deu, já passou muito tempo, vc tá se desgastando e ela também", mas prometo que é um pouco mais complexo que isso. vou tentar contar as coisas relevantes, provavelmente vai ficar corrido.
tenho uma história longa com uma garota. diria que faria e tentei fazer tudo por ela. ela é carismática, extrovertida, trabalhadora, e essa história durou nada menos que 3 anos e meio, até que terminamos. houve traição da parte dela, além de ter me visto, depois de muito tempo, num relacionamento abusivo. fui manipulado de diversas formas, apesar dela mesma não concordar com algumas coisas que eu disse que me sentia mal, mas tudo bem.
ficamos um mês mais ou menos "terminados", depois voltamos com bastante conversa. tudo ia bem durante um mês e meio, até que começávamos a discutir frequentemente, sempre por coisas bobas que de certa forma remetia o passado. e eu notei, sem enviesamento, que boa parte começava por ela. eram provocações, ironias, coisas que eu nunca gostei. nunca resolvíamos como um casal de peito aberto, pelo menos eu tentava fazer esse papel. quando a discussão acontecia, não era pra buscar uma verdade e uma solução, era basicamente: "você saiu com seu amigo X, eu não gosto dele por [insira qlqr motivo idiota]". apesar de todas essas pontuações são um pouco mais complexas, mas não queria me abrir tanto assim por enquanto.
eu sempre presei duas coisas: sinceridade e confiança. confiança eu sabia que ia demorar, afinal, ela me traiu e eu demoraria a confiar totalmente nela novamente. sinceridade era uma coisa estranha, toda vez que discutíamos, ela não dava foco no "acho que vc fez isso errado, pq vc fez isso?" era sempre algo envolto de deboches e conclusões abstratas, como "vc é muito imaturo, precisa agir como homem" entre outras coisas. tudo era motivo pra me jogar essas coisas na cara.
não vou dizer que errei em nada em tanto tempo. assumo que houve um tempo que fiquei bastante relaxado com nosso namoro, teria que fazer uma ''linha do tempo'' pra isso, mas posso dizer que isso aconteceu depois que ela tornou-se abusiva. assumo que não consegui ser tudo aquilo que ela queria, mas obviamente não vou dizer que isso anula tudo de ruim que me causou (eu realmente entrei em profunda tristeza por um tempo nos últimos meses).
já hoje em dia, fico muito triste quando temos brigas como essa. quando temos discussões pacíficas, ela me promete que está sendo sincera dizendo o que quer que eu faça pra melhorar (por ex, nunca tive um bom relacionamento com os pais dela, e ela queria que eu tivesse , e eu juro que estou tentando), mas quando temos brigas, sempre fica na defensiva, dizendo que queria que eu fosse tal coisa, mas quando pergunto o que exatamente, ela desvia, etc...
enfim, era isso. as vezes acho que o melhor era terminar mesmo, mas ela parece ter problemas também, e diz gostar muito de mim (consigo ver pelas atitudes que ela faz pra me agradar, ela é uma boa namorada, de verdade), mas esses momentos ruins me deixam pra baixo demais, desmotivado e estressado. esse ano tem sido uma merda pra mim.
submitted by marvinpls to desabafos [link] [comments]


GAROTAS FAZENDO COISAS MUITO ERRADAS NO VRCHAT - YouTube DICAS DE BELEZA ESTRANHAS PARA GAROTAS ESPERTAS  Dicas e ... BEIJANDO garotas DESCONHECIDAS com FRASES de MC KEVINHO *Kissing Girls* (Como beijar) 7 Pessoas que Você Não Vai Acreditar que Existem - YouTube Problemas Estranhos Que As Garotas Passam - YouTube COISAS ESTRANHAS QUE AS GAROTAS FAZEM  Amanda Domenico 18 Fobias Esquisitas Que As Garotas Têm - YouTube COMO PEGAR GAROTAS ESTRANHAS NA BALADA - YouTube BEIJANDO DESCONHECIDAS - MAGICA DO BEIJO TOP 10 PESSOAS MAIS ESTRANHAS DO MUNDO - YouTube

  1. GAROTAS FAZENDO COISAS MUITO ERRADAS NO VRCHAT - YouTube
  2. DICAS DE BELEZA ESTRANHAS PARA GAROTAS ESPERTAS Dicas e ...
  3. BEIJANDO garotas DESCONHECIDAS com FRASES de MC KEVINHO *Kissing Girls* (Como beijar)
  4. 7 Pessoas que Você Não Vai Acreditar que Existem - YouTube
  5. Problemas Estranhos Que As Garotas Passam - YouTube
  6. COISAS ESTRANHAS QUE AS GAROTAS FAZEM Amanda Domenico
  7. 18 Fobias Esquisitas Que As Garotas Têm - YouTube
  8. COMO PEGAR GAROTAS ESTRANHAS NA BALADA - YouTube
  9. BEIJANDO DESCONHECIDAS - MAGICA DO BEIJO
  10. TOP 10 PESSOAS MAIS ESTRANHAS DO MUNDO - YouTube

COMO PEGAR GAROTAS ESTRANHAS NA BALADA SIGA EU NAS REDES SOCIAIS 👻 SNAPCHAT: biel_castellama 📷 INSTAGRAM: https://www.instagram.com/biel_castellamare/ 🐦TWI... Atualmente, somos muito exigentes com a nossa aparência. Mas se você é uma garota no mundo de hoje, está ciente de que nem tudo é o que parece. E estamos pre... Nesse vídeo falo sobre pessoas diferentes da outras pessoas comuns. TOP 10 PESSOAS MAIS ESTRANHAS DO MUNDO Meu Facebook: https://www.facebook.com/alan.gustav... BEIJANDO GAROTAS DESCONHECIDAS c/ frases de Pablo Vittar - Indestrutível (Como Beijar Kissing Girls) - Duration: 5:36. Sergio Costa 2.0 706,907 views. 5:36. 25 TYPES OF KISSES!! COISAS ESTRANHAS QUE AS GAROTAS FAZEM Amanda Domenico Amanda Domenico. Loading... Unsubscribe from Amanda Domenico? Cancel Unsubscribe. Working... Subscribe Subscribed Unsubscribe 4.42M. Loading como beijar garotas desconhecidas ... beijando desconhecidas beijando estranhas magica do beijo na cara dura como pegar garotas pegando garotas na rua. category people & blogs; show more show less. Deixe seu LIKE e se INSCREVA no canal para ser um grande cabeça de pica E deixe nos comentários o que você achou do vídeo ME SIGA NO INSTAGRAM E TWITTER: ... Problemas bizarros, inimagináveis e um tanto intrigantes que as garotas já enfrentaram pelo menos uma vez na vida. Por favor, não me diga que só eu já passei... Subscreve aqui: https://www.youtube.com/channel/UCDr1rkNvzPCEfh5ZCJeqpdg?sub_confirmation=1 Meu Amigo Perfeitamente Irritante: https://youtu.be/IpPZDzPdAss?l... Amaldiçoados ou apenas diferentes? Estamos tão acostumados a ser semelhantes às pessoas à nossa volta que ver ou conhecer alguém realmente diferente traz ime...