Namoro e uma primeira data

5. Ter uma conversa: Conversação é a ponta eficaz para fazer uma atmosfera se tornar mais amigável e mais familiar. Você precisa saber que é a primeira data em que tanto de você nunca conheceu antes. Ele pode facilmente cair nas situações embaraçosas. Durante a data, mantenha o celular no modo silencioso e atenda somente às chamadas urgentes. Mais importante, diga 'por favor' e 'obrigado'. 5. Mantenha a luz de conversa em uma primeira data. Coisas como hobbies, questões familiares e visões políticas no futuro. Faça o seu melhor para evitar a interrupção e dê toda a atenção à sua data. Assisti Orgulho e Preconceito pela primeira vez e quero reembolso das duas horas que perdi Se um dia vocês estiverem com insônia, é só dar play nesse filme. by Camila Sa Para uma primeira data, você não tem que ter o cabelo impecável e make-up (você não precisa nem usar make-up na chance que você não quer), mas o que você decidir usar e colocar em que ajudam a melhorar a sua magnificência regular, e mostrar o seu talento artístico, certifique-se que você está fazendo o seu melhor tiro. Que paga o que é particularmente estranho no início de um relacionamento, especialmente na primeira reunião. Você não se conhece e nem sequer sabe se há uma centelha entre você, então a maioria das pessoas não fala sobre dinheiro, e o cara geralmente demora a conta. Mas se a reunião pode progredir ... Pequenos gestos contam e são notados. 3. Se você tem que tomar uma chamada importante enquanto a data está ligada, não desculpar-se e sair. Don`t fazer uma cena gritando seus pulmões para fora no telefone na frente dele ou dela. Quando você tomar a chamada e não deixaram a sua data sozinha, mantê-lo curto. E a pior parte, estamos todos familiarizados com o fato de que os primeiros minutos são tudo o que é preciso para o seu encontro fazer uma opinião sobre você! A vida pode ser fácil se você souber como manter as coisas fáceis. Você não precisa ser um encantador para fazer a sua data como você, se você sabe ser agradável e doce. 10 Coisas que uma mulher se sente depois de uma primeira data maravilhosa. 10 Sinais surefire um cara está flertando com você ... Prós e contras enquanto namoro com o homem de virgem. Top 10 mais belas rosas roxas. Melhores lavagens da cara para a pele sensível - o nosso top 10. Se esta data é uma pessoa cega, alguém que conheceu no escritório ou uma introdução em pessoa a alguém que conheceu em um site de encontros on-line, considere o tipo de primeira impressão que deseja cultivar. À medida que você trabalha para permitir que as melhores partes de você brilhem, você deseja definir os seguintes hábitos ... Você me entende de uma forma que nem minha melhor amiga consegue entender. Você me respeita de uma forma que nenhum menino nunca me respeitou. Você me faz feliz com um simples abraço seu. Você me faz me sentir normal dentro de toda a minha anormalidade. E por tudo isso, você me faz querer dar o universo inteiro de presente pra o retribuir.

O pior aniversário

2020.09.18 18:52 lucascorneo O pior aniversário

Olá Luba, editores, pessoas que estão a ver, Gatas, e qualquer forma de vida que esteja vendo esse belo vídeo, hoje vou contar a história da grande desgraça que foi meu aniversário. 
No final de 2017, eu tinha conhecido uma garota no interclasse da minha escola, ela era muito gata, querida, e muito interessante, foi paixão a primeira vista KKKKKJ. Começamos a conversar, e na outra semana a gente ficou, encaixou o beijo e foi ótimo, continuamos conversando. Em março, eu iria fazer uma festa de aniversário, e convidei alguns amigos, entre eles, a minha "namorada" e minha melhor amiga. A festa foi ótima, dançamos muito, cantamos, comemos, e fomos pra dentro. Chamei ela pro meu quarto, e começamos a se pegar, mesmo bagulho de sempre, e tava um clima ótimo. Achei o momento perfeito para pedir ela em namoro, ela aceitou, nos beijamos, foi lindo. Após isso, ela foi pro outro quarto, ( no qual estavam minha melhor amiga e uma outra garota) para contar a atual notícia. Até aí tudo bem. Namoramos mais uns 2 meses, e ela me falou que queria me contar um negócio, beleza, falei que tava livre e ela começou a escrever, ela me contou que na noite do meu aniversário, no momento que ela tinha ido contar pra minha "melhor amiga", elas tinham ficado, e eu fui traído 5 min depois de começar a namorar. Hoje em dia eu racho o bico rindo dessa história. Mas não acabou por aí, eu "desculpei" ela, e continuarmos namorando, na minha cabeça só passava uma coisa, eu precisava me vingar, não podia sair por baixo nesse negócio, até aí tudo bem, fiquei de boa e esperei o momento certo pra dar o troco Até que chegou um dia completamente triste, meu bisavô tinha morrido, e eu fui triste pro velório, chorei de mais, tava bem triste. Lá, vi minha prima, e ela tava com uma amiga, a Rainara, ela foi completamente querida, e muito compreensiva, gostei muito dela, e nos começamos a conversar. Passaram-se uma semana, e eu fui de novo pra cidade da minha bisavô, pra missa de 7 dia, e advinha quem estava lá, exato, a Rainara, e advinha o que eu fiz? Exato, fiquei com ela, dando enfim o troco na minha ex. No outro dia, contei pra ela, e esfreguei na cara dela, que eu tinha dado o troco nela. Hoje me sinto mal por ter pegado a garota numa data tal triste, e por um motivo tão ruim. Essa foi minha história, sei que faltaram alguns detalhes, mas se fosse para ler tudo, iria demorar muito tempo, te amo ❤️
submitted by lucascorneo to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.30 15:46 Luckman28 Decepcionado: Várias decepções com ela como namorada e agora mais uma com ela sendo Ex

Conheci uma mulher cerca de 4 anos atrás e no momento em que a conheci percebi que queria algo sério... Além de ser gentil, bem humorada e muito bonita, ela fazia eu me sentir bem e querer tê-la por perto, porém mal sabia eu que eu estaria entrando em um namoro onde eu seria a pessoa que sofreria de um relacionamento abusivo sem nem perceber que era abusivo e agora após me libertar disso, a pessoa continua a me decepcionar.
[Resumo (quem quiser ver as decepções é só pular o textão)] Ficamos juntos durante quase 3 anos, iniciando namoro 1 mês após termos nos conhecido (maio/2016 até dezembro/2019)... Na época que eu a conheci fiquei cego, deixando de lado relacionamentos com amigos de longa data, cortando laços com as pessoas que eu estava ficando e inclusive me afastando de minha própria familia... Tenho 28 anos, não me considero feio, sou formado, pós graduado, fluente em inglês, tenho carro sedam do ano, apartamento, sou músico com formação, acho que sou esteticamente bonito, trabalho em uma startup tendo um cargo de confiança e um salário bem acima da média... porém eu não ligo para nada disso, apesar de ser algo para me gabar, poucas pessoas sabem dessas coisas que alguns consideram qualidades, e não, não sou filho de papai, sou da periferia e batalhei muito para chegar onde estou, enfim.
Durante o início do namoro tudo eram rosas, até que as primeiras brigas e discussões começaram a acontecer e eu vi quem realmente ela era... Resumindo bastante o que rolou: já fui agredido, ela era extremamente ciumenta, tinha que vê-la todo dia da semana, recebia xingamentos, ela dizia coisas para me ferir de propósito, extremamente criticista, mentirosa e manipuladora... Eu praticamente virei um capacho dela. Ela não possui muitas condições financeiras e eu por ja ter conquistado uma certa estabilidade a ajudei e de diversas formas: de meia, eletrodomésticos, pagar faculdade e dar celular até viagens internacionais (sem cobrar 1 centavo dela), podem imaginar quaisquer outros mimos, dentro desses parâmetros... E não fiz para contar ao mundo, fiz porque a amava e queria que ela tivesse o maior conforto do planeta e ficasse feliz.
[decepções] Durante o namoro as decepções que acumularam giram em torno de ela ter mentido várias vezes, descobri através de um amigo que ela mantinha contato e enviava mensagens e fotos a ex namorados (um dos motivos que levaram ao término), descobri também que aparentemente só eu amava nesse relacionamento, que o motivo de ela estar comigo era puro interesse e porque para ela o namoro era cômodo.
Agora nessa pandemia ela voltou a ter contato comigo, me mandando mensagens constantes dizendo que queria voltar, aparentando ter mudado, pedindo desculpas e tudo mais, porém ontem eu descobri que ela está namorando há um bom tempo e mesmo assim ela tem agido com o atual dela da mesma forma que agiu durante o nosso namoro... Simplesmente perdi meu chão em saber que ela estando já com alguém ela tem me enviado mensagens querendo voltar, além de ter me pedido dinheiro emprestado (não emprestei), pedindo conselhos e me chamando para sair!!! O pior de tudo isso é que ela não me falou que está namorando com alguém ou seja estava querendo me usar, está usando outra pessoa e ninguém estava sabendo de nada!!!! (Agora eu estou, o cara lá eu não sei)
É triste saber que alguém dessa forma existe e mais triste ainda é por eu ter me envolvido com alguém assim.
submitted by Luckman28 to desabafos [link] [comments]


2020.08.20 18:22 stlukest Meu amigo hétero

Homem, 27, gay. Relato de 2016.
Chamei uns amigos próximos pra uma noite de sexta aqui em casa. Jantar, bebida, maconha, cigarro, aquela coisa. Lá pelas tantas da madrugada, a galera começou a ir embora e ficou só um grande amigo meu, hétero, que estava solteiro na época.
Ficamos ainda mais um tempo conversando até que ele perguntou se poderia dormir aqui em casa. Disse que estava meio "lesado" da maconha e não queria pegar Uber naquela hora. Falei que não teria problema, até porque ele já tinha dormido aqui umas duas vezes antes.
Um tempo depois, fui pro meu quarto e ele foi pro outro quarto. Percebi que ele tinha ligado o chuveiro. Deitei e dormi. Uns minutos depois, acordei com uma mensagem dele perguntando se eu estava acordado ainda. Respondi que sim e ele disse "chega ae".
Na minha cabeça, certamente o gurizão tinha feito alguma merda no banheiro...
Entrei no quarto, todo escuro. Só conseguia ver um pedaço do rosto dele pelo brilho do celular. Sentei na cama e perguntei o que ele queria.
Ele perguntou se eu tinha ouvido o que uma das gurias tinha dito no jantar e puxou uns papos meio aleatórios sobre as outras pessoas... até que ele pegou a minha mão, puxou até o pau dele e começou a mexer.
PORRA. Me chamem de ingênuo, mas não estava esperando aquilo. Congelei por uns segundos, daí me subiu aquele calor e pensei... que se foda. Vamos a isso.
Até aquela época eu só tinha tido um namorado e ele não curtia receber sexo oral, então eu nem sabia como fazer direito.
Fui pra baixo da coberta e comecei. Dei aquela enganada no pau durante um tempo, daí fui descendo com a língua até as bolas e finalmente a bunda. Ele tomou um susto no começo, mas deixou. Acho que ele nunca tinha feito nada parecido porque ele dava uns gemidos abafados e forçava minha cabeça na bunda dele (e quem curte bunda sabe como isso nos deixa loucos).
Fiquei maluco pra penetrá-lo, mas ele não deixou e me puxou de volta pra baixo. Continuamos ali até terminarmos, daí nos levantamos e cada um foi para um banheiro se lavar. O outro dia foi como se nada tivesse acontecido.
Até hoje não sei dizer se foi carência/tesão do momento, maconha/bebida, curiosidade... só sei que, pra mim, foi bom pra caralho.
Foi a única vez que transei com um amigo de longa data porque não curto muito misturar amizade com sexo. Hoje eu namoro, ele namora (uma guria) e continua sendo como um irmão pra mim. Nunca mais rolou nada e nunca nem falamos sobre isso. Aliás, essa é a primeira vez que conto essa história.
Alguém já passou por uma situação parecida na vida?
submitted by stlukest to sexualidade [link] [comments]


2020.08.16 20:32 AltinoAlagoinhas Amizade, Sexo E a escolha das Mulheres.

Ok, textão pq eu não tô sabendo organizar essas ideias na minha cabeça.
Primeiramente, eu sou um cara relativamente "presença" eu tenho 1,89 de altura, isso é relevante pois aqui na cidade onde eu vivo o caras não são tão altos e isso combinado com eu ser jogador de Vôlei em uns times amadores por aqui, meio que me dão uma certa vantagem em conseguir atenção de mulheres. Eu não tenho talento suficiente pra ser profissional e altura não é tudo, mas eu gosto de jogar.
Recentemente meu namoro acabou e eu comecei a refletir mais sobre minha posição e atitudes e como eu sou percebido por homens e mulheres e se isso esta me impedindo de manter um relacionamento solido.
Do ponto de vista dos meus amigos homens, eu tenho a vida que eles pediram a Deus e não ganharam na loteria. Eu tenho relacionamentos bem curtos,, variando de semanas a meses, onde esse ultimo foi o mais longo uns 10 meses e o Covid foi o que provavelmente deu essa vida extra. E nesses períodos sem relacionamento eu sou um tanto quanto bem eficaz em conseguir sexo casual(digo não mais que algumas transas com cada pessoa).O que desperta uma certa inveja nos caras, eles me elogiam e brincam, mas eu sinto o tom de rancor escondido por trás das brincadeiras e que as vezes escapam quando eles estão mais alcoolizados.
Uma vez eu cometi o erro de tentar animar um camarada que tava sofrendo depois de uma serie de rejeições, ele veio com "tu pega todo mundo e eu não pego nem as sobras" e tentei dizer algo assim "Calma, isso não é uma competição,qualquer hora vc se da bem,podia aproveitar pra malhar um pouco e etc". Pra que eu fui dizer isso, o cara ficou em tempo de chorar de raiva,"Não é competição pra vc que é um gigante e as mulheres fazem fila, nenhum treino no mundo vai me deixar mais alto ou bonito". Na hora eu não entendi o que eu falei de errado, depois eu vi que ele entendeu o que falei como pena pela inabilidade dele de conseguir atrair mulheres.
Aqui eu tenho que dar um contexto, aqui no meu circulo de amigos,talvez essa cidade (não tenho como saber), tem essa crença entre os homens que é mais fácil transar de cara(logo nos primeiros encontros) com uma mulher que não gosta de vc, mas te acha sexualmente atraente do que se ela tiver intenção de te namorar, a logica por trás disso é que ela pode sentir desejo pelo cara, mas não gosta dele como pessoa ou acha que vai ser traída o que deixa ela livre pra "dar" de primeira sem se preocupar se o cara vai perguntar se ela chegou em casa bem no dia seguinte. E tem os caras que elas tem intenção de criar algo solido e esses vão ralar pra levar elas pra cama,pois elas tem medo de ser vistas como fáceis. No geral nunca me importei com isso pq com o tinder outros app e o modo mais agressivo que as mulheres se aproximam de mim faz essa teoria soar muito machista e produto de ressentimento de caras rejeitados.
Mas ai uma semana atras, essa conhecida minha da academia começou a falar de amizade e sexo e então descobri que ela é lésbica, e na conversa ela disse que era opção pessoal dela nunca se envolver com amigas que ela não quisesse perder, mesmo existindo o conceito de amizades com beneficio(que ela abomina) e tal ela só se relacionou com 2 "amigas" que ela não se importava em cortar relações,o argumento dela é que relacionamentos sexuais dificilmente acabam amigavelmente e ela não quer correr esse risco com amigas que ela preza muito.
Enfim, essa duas ideias tão se chocando na minha cabeça agora, pq eu tô achando que eu sou vitima disso, que as mulheres já se aproximam de mim achando que vai ser só pra passar uma chuva(com medo de ser traídas ou simplesmente não gostam da minha pessoa mas me acham atraente).O que meio aponta pra ideia dos caras, nesse últimos 3 anos eu tive muitos casos de "uma noite" onde eu nem sei se fiquei no final da lista de contatinhos delas. Eu não uso Apps de encontros onde ´sexo casual é supostamente a norma, Meus encontros são sempre da academia, trabalho, cursinho e etc. O que deveria facilitar relacionamentos sólidos.
Eu sei que um relacionamento depende de inúmeros outros fatores, mas se os meus ja começam com data pra expirar, vale a pena investir nisso?
É isso, quem leu até aqui sem ficar entediado agradeço, quem se decepcionou foi mal. só precisava escrever pra tentar organizar melhor minha mente, pq segunda eu volto ao batente.
submitted by AltinoAlagoinhas to sexualidade [link] [comments]


2020.07.20 20:04 choco-menta Desilusão amorosa, primeira e única

Olá Lucas, gatas, editores e turma/chat que está a ver. Essa é a história de como o amor me fez de trouxa pela primeira e, até agora, única vez.
Obs.: Todos os nomes que eu cito na história já foram censurados.
O começo dessa história data de junho de 2011. Era o dia da festa junina do meu colégio e eu ainda estava no terceiro ano do fundamental. Os alunos do primeiro até o quinto ano eram convidados a participar das apresentações de quadrilha a troco de um pequeno bônus na nota e uma boa humilhação pública. Para aquele ano, nossa turma ia apresentar aquela clássica performance do casamento e, pra não ser injusta com nenhum par, todos nós que resolvemos participar íamos nos casar. Sendo assim todas as meninas estavam vestidas à caráter, como pequenas noivas — eu inclusa. — e os meninos com um traje estereotipado caipira: calça jeans, camisa xadrez e chapéu de palha.
Antes dos ensaios eu nunca tinha tido muito contato com o meu "noivo", vou chama-lo de João, e o conhecia apenas de vista. No entanto, a dança nos aproximou e ficamos bastante amigos. No final das aulas, enquanto esperávamos que nossos pais fossem nos buscar tínhamos conversas até que produtivas para crianças de apenas oito anos.
Ele foi o primeiro menino que eu cheguei a considerar meu amigo e não demorou muito para que minhas irmãs fanfiqueiras enchessem o meu saco dizendo que aquilo era mais que uma amizade. Se não fosse por elas, minha cabecinha inocente não teria visto nada de errado em casar com o garoto por um dia apenas, mas após as insinuações delas eu passei a enxergar o que tínhamos por outro ângulo e não gostei muito do que vi.
Meu pai sempre foi do tipo protetor, daqueles que diz que namoro é coisa para depois da faculdade e na época eu fiquei apavorada pensando que estava o desobocendo só por ser gentil com o garoto. Foi aí e por conta disso que me decidi: após o casamento, eu ia querer o divórcio.
Na noite da festa eu me concentrei em me divertir e na dança. Mas, mesmo me divertindo à beça, eu ainda sentia que estava fazendo algo de errado e segui firme naquela ideia.
Ficamos cinco anos sem nos falar. O fato de que nunca mais caímos na mesma turma ajudou. Também não tínhamos um amigo sequer em comum. Na real, um dos amigos dele era o Miguel, um menino que praticava bullying comigo e com praticamente a escola inteira. Na época eu considerava bullying porque ele dizia em forma pejorativa, mas hoje em dia se me chamarem de "Lady Gaga" de novo eu irei aceitar como elogio. E não precisa cancelar ele, o Miguel é importante para a história e só estava por um período de auto-aceitação (na verdade ele é little monster).
Além disso, muita coisa mudou em cinco anos. Em 2012, por exemplo, foi o fim do meu mundo. Não que seja importante pra história, mas ninguém morreu, além do amor entre o meu pai e a minha mãe.
Indo para 2015, eu e Miguel fomos colocados na mesma turma. Eu pensava que seria um inferno, mas o excesso de convivência — seis horas por dia, cinco dias da semana. — fez com que virássemos amigos. E, sendo amigos, eu passei a andar com os amigos dele e ele com os meus.
E dentre os amigos dele estava o João, meu ex-marido. E, com quatorze anos, o tempo foi esclarencendo para mim o que eu sentia por ele. Tivemos conversas ainda mais interessantes, trocávamos indicações de livros, séries e músicas. Ficava cada vez mais claro para mim que aquela era uma amizade que eu não iria querer desperdiçar ao fazer a burrada de me declarar. Na minha cabeça, fazia muito sentido que eu deixasse tudo como estava: e se ele não sentisse o mesmo? E se não durar? Meu pai nunca que iria deixar mesmo.
No Ensino Médio, cada um seguiu seu caminho e foi para uma escola diferente. Em estados diferentes, inclusive. Mas, no fundo, eu acho que sempre haverá uma parte de mim esperando pelo universo fazer uma forcinha e nos coloquar frente à frente mais uma vez, ainda que para trocar mais indicações de cantores e seriados. E depois da faculdade, de preferência.
Soquinho no cotovelo e <3
submitted by choco-menta to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.16 16:29 fobygrassman ESPOSAS INSATISFEITAS SÃO MELHORES QUE GAROTAS DE PROGRAMA

ESPOSAS INSATISFEITAS SÃO MELHORES QUE GAROTAS DE PROGRAMA
Esposas infiéis são mais duradouras, limpas e autênticas do que garotas de programa
Esqueça garotas de programa transando nunca foi tão fácil! De uma dona de casa traidora real.
As mulheres casadas NÃO estão procurando relacionamentos, elas já estão nelas, estão procurando parceiros discretos e divertidos para reacender e explorar sua sexualidade.
As garotas de programa estão sempre procurando extrair mais dinheiro de você. Você nunca sabe com quem eles acabaram de fazer sexo e isso torna impossível também fazer sexo apaixonado com eles.
Quantas vezes você ficou com tesão e decidiu pedir uma garota de programa? Então, depois de ter um encontro decepcionante, lamento totalmente gastar tanto em ganhar pouco!
Sempre que você liga para uma garota de programa, está jogando. Jogando com sua saúde e com sua experiência.
Ela será parecida com as fotos dela?
A mesma garota das fotos vai aparecer?
Ela será anti-higiênica?
Ela será hostil?
Ela vai tratá-lo com um mau atendimento ao cliente?
Eu sei o que você está pensando,Eu sei o que você está pensando,
MAS AS MENINAS DE CHAMADA SÃO MUITO MAIS SIMPLES!
Não é verdade!
Sim, uma garota de programa fica a apenas uma ligação, mas toda vez que você a vê, paga. Você paga com dinheiro suado. Pense em quanto tempo você precisa trabalhar para pagar por uma garota de programa.
10 horas?
20 horas?
Portanto, nenhuma garota de programa não está a um telefonema de distância, elas têm +10 horas de trabalho E uma ligação de distância.
Além disso, as garotas de programa não se importam com você ou precisam de você.
Depois de conhecer uma esposa realmente insatisfeita e dar a ela a atenção que lhe falta, você experimentará a diferença entre uma garota de programa e uma mulher de verdade.
Esposas insatisfeitas são gratas por encontrar um homem que possa agradá-las!
As esposas infiéis têm todos os benefícios e nenhum dos problemas das garotas de programa:
Conhecer as preferências sexuais do seu parceiro = melhores experiências sexuais
O envio de mensagens maliciosas acelera sua semana de trabalho;)
Verdadeira paixão e emoção de ambos os parceiros!
Limpo, Seguro e Legal.
Não constantemente tentando manipular você.
A verdade é que as mulheres ficam excitadas quando estão se escondendo e tendo encontros secretos. Esposas insatisfeitas querem ser suas garotas de programa pessoais, mas elas precisam de um pouco de incentivo e você precisa incentivá-las de uma maneira elegante e elegante.
Você não pode tratar mal as esposas infiéis da maneira que pode com uma garota de programa, mas elas também não o tratam mal como uma garota de programa. Eles não vão contar o relógio quando estão com você.
Se você acha que encontrar uma mulher casada sozinha é ainda mais difícil, pense novamente.
Você não pode ser um idiota e acha que atrairá uma mulher casada para ser sua garota de programa pessoal.
De fato, existem dicas e truques para encontrar um o mais facilmente possível aqui >>
Siga estas etapas simples e você encontrará uma esposa insatisfeita e fará dela sua garota de programa pessoal em menos de uma semana.
VOCÊ PRECISA SE INSCREVER NO ASHLEY MADISON SE QUER ENCONTRAR MULHERES INFELIDAS
E lembre-se de que você pode repetir essas etapas e encontrar uma nova esposa traidora sempre que quiser!
  1. Tire uma boa foto de si mesmo. Não precisa incluir seu rosto, pode ser discreto. Muitos perfis em ashley madison não têm fotos de rosto públicas (geralmente em sua galeria de fotos particular). Esta imagem pode ser do seu corpo ou você de fato bem ajustado (sem o rosto).
  2. Escolha um nome de usuário atraente! Esta é a primeira coisa que as mulheres veem depois da sua foto. Escolha algo descritivo ou divertido.
  3. Destaque sua necessidade de discrição. Isso aliviará as preocupações das mulheres sobre sua própria discrição.
  4. Crie uma mensagem de introdução bem pensada que você possa enviar para muitas mulheres.
  5. Torne sua galeria privada irresistível. É aqui que você inclui suas melhores fotos.
  6. Configure uma data discreta!
Traindo esposas vs garotas de programa Todos nós procuramos garotas de programa no google. Mas existe uma enorme lacuna entre ponderar e pesquisar na web a sua garota de programa mais próxima. Existem vários, mas eles são extremamente estigmatizados - por razões óbvias. Garotas de programa não são para todos, mas o sexo certamente é. Por isso, seria melhor encontrar uma alternativa para garotas de programa. Criamos um substituto para as garotas de programa, para aquelas que estão interessadas em saber como a alternativa funciona. Espero que minha experiência e discernimento possam lhe dar uma ou duas coisas para questionar, e talvez até abrir você para garotas dispostas a dormir com você gratuitamente! Por que você deve procurar alternativas para escoltar serviços? Se você ouvir alguém se gabar de uma escolta, precisará sentar esse homem e ter um momento de clareza. Mas deixe esse argumento de lado, posso escrever um romance inteiro para você. Deixe-me começar com algumas dicas. As acompanhantes são desassociadas Não é incomum pagar por sexo, mas é ilegal na maioria dos países e ajuda uma indústria bastante cruel a tirar vantagem de membros da sociedade desprovidos de frustração. Acompanhantes NÃO GOSTAM DE VOCÊ Este é o meu argumento número um por não dormir com acompanhantes. Eles não teriam dormido com você se você não pagasse. Eles não gostam necessariamente do sexo ou querem vê-lo ligado. Geralmente é por isso que gosto de sexo - porque me excita vê-la gostosa e gostosa quando ela olha para mim. Acompanhantes não são higiênicos Os acompanhantes dormiram com toneladas de homens. Pense em quantos homens a garota de programa que você está vendo dormiu naquele DIA! Se você vir uma garota de programa ou uma acompanhante às 20h, provavelmente já dormiu com pelo menos dois homens antes daquele dia. Imagens falsas As acompanhantes raramente aparecem em suas fotos. Você tem sorte se a mesma mulher aparecer. Você pode dizer que isso também pode acontecer em um site de namoro ou em uma sala de bate-papo para adultos, mas eu diria que a probabilidade de ser "pescada" por uma mulher em um site de namoro é menor do que por uma garota de programa. A maioria das acompanhantes encontra-se com suas imagens. Com segurança Eles afirmam ser seguros e testados todos os dias, mas você nunca pode ter certeza. Isso significa que qualquer homem que não seja estúpido usará camisinha 100% das vezes que dorme com uma garota de programa ... e todos sabemos que preservativos não são divertidos.
submitted by fobygrassman to garotas_de_programa [link] [comments]


2020.07.08 14:56 xDark0x Levei um fora da minha ex que ainda amo

Olá! Então, é minha primeira vez aqui escrevendo, e estou um pouco nervosa pois nunca fiz isso antes, tenho dificuldades em falar sobre o que sinto e tal, mas chegou à um ponto em que realmente preciso desabafar. Vou explicar tudo com datas pra ficar mais fácil. Ultimamente venho passado por uma série de eventos os quais me deixaram muito mal. Tenho uma ex namorada, a primeira e única com quem me comprometi até hoje (tenho 18 anos), em março de 2018 conheci ela através de uma amiga e desde então nos demos muito bem. Desde que a conheci já despertou um interesse e sentimento em mim. Tínhamos várias coisas em comum, gostos musicais, forma de ver o mundo e afins. Logo nos tornamos muito próximas, confiavamos tudo uma na outra e após uma jogada de charme aqui, umas coisinhas românticas ali (kkk) Consegui conquista-la. Isso em junho. Namoramos por 6 meses, muito felizes, mas devido uma interferência da família dela, que ficou sabendo de nós duas por intermédio de uma professora do colégio que conhece a mãe dela, (fdp fofoqueira) tivemos que nos separar. A mãe dela me contatou e com base em ameaças de contar à minha família, me fez confessar nosso relacionamento. Depois que o sangue esfriou e fiquei "mais calma", me senti muito mal, pois senti que à traí, me senti mal por acreditar na mãe dela (que considerando a pessoa que é não merece confiança) que disse não fazer nada com ela se eu falasse tudo. Paramos de nos falar, e como já era dezembro, estavamos de férias e não nos víamos (só tínhamos oportunidade de nos ver na escola). Só no ano seguinte, no primeiro dia de aula consegui contata-la e descobri da forma mais dolorosa possível que não sentia mais nada por mim e me odiava pelo que fiz. Me senti péssima, por ainda à amar e pela situação em si, que não saía da minha cabeça. Tivemos só essa conversa e depois nos distanciamos novamente (por escolha dela). Lá pra junho do ano passado, ela começou a dar sinais de querer voltar a falar comigo, depois de longas conversas sobre esse assunto, finalmente nos entendemos, mas não totalmente da forma como gostaria. Ela disse novamente não me amar mais. Foi doloroso, mesmo já tendo ouvido-a dizer antes. Ela estava passando por momentos terríveis com a família. Não é uma pessoa tão fácil de lidar (a criação ajudou um pouco nisso), então falar com ela naquela época foi bem complicado. Queria ajudá-la mas ela não permitia que eu o fizesse. Arduamente fui conquistando a confiança dela, até que desabafava comigo e eu tentava ajudar da forma como podia. Aos poucos ela foi melhorando e fomos resgatando a amizade e por ainda nutrir sentimentos românticos por ela, as vezes dava umas cantadinhas bobas, mas as vezes sérias também (Claro que não no momento que ela estava fragilizada, mas sim nos de descontração, para deixar bem claro). Em setembro nos aproximamos mais e finalmente consegui com que ela demonstrasse gostar de mim da mesma forma que eu dela. Pouco tempo depois a família novamente descobriu a gente, da mesma forma que da outra vez, mas dessa, eu estava de certa forma mais forte. Bom, consegui conversar com a mãe dela sem demonstrar medo pelo menos. Chegamos à conclusão de que realmente não dava pra ficarmos próximas na escola. e em meio à isso tudo, pedi ela em namoro pela segunda vez. Dessa, não mantinhamos o contato de antes, muito raramente ficávamos juntas, já que ela era de outra turma. mas passando o tempo começamos à relaxar um pouquinho e passar ainda mais tempo juntas, sempre que podíamos, porém com mais cautela. Dessa vez, durou 2 meses e meio, de outubro à metade de janeiro. Ela terminou comigo de novo, não por deixar de sentir, mas eu estava passando por questões pessoais (que até hoje estou lidando, e que me incomoda bastante falar). Como ela além de namorada era minha melhor amiga, falei com ela por mensagem sobre o assunto, e depois de conversar, de um dia inteiro completamente estranho e nós indiferentes, eu por me sentir mal por estar daquele jeito, ela acredito que por não estar acreditando e por lamentar a situação, no fim do dia ela terminou tudo. Foi terrível pra mim, confesso que fiquei com raiva de certa forma, pois queria ela do meu lado para enfrentar aquilo, eu estava apavorada sem saber o que se passava direito na minha cabeça. Mas no fundo, por trás de tanto sentimento ruim, entendia que era direito dela. Era total direito dela decidir onde ficar e até onde pode aguentar também, nunca foi uma relação fácil, e não posso exigir de alguém o que eu faria dentro da relação sendo que somos pessoas diferentes. Ainda mantinhamos contato, mas de forma meio estranha, até que ela começou a demorar muito para responder e por fim, sumir por dois meses. No aniversário dela em maio, fiz um pdf com várias mensagens e desenhos (felizmente sou boa com desenhos) e mandei para o email dela, isso sem muita pretenção, apenas como forma de carinho. Depois de 7 dias me respondeu pedindo desculpas por não ter visto já que não olhava o email (algo totalmente válido pois também não olho hehe) e dizendo que se eu quisesse voltar a manter contato que gostaria. Voltamos a nos falar por outra rede, diferente da que nos falávamos antes, e foi tudo muito bem, ainda demorava para responder, mas não posso cobrar já que deve ter as ocupações dela, assim como tenho as minhas. Embora sempre dê aquele desapontamento e dúvida sobre ser "importante" ou não kkk. E à partir de agora voltamos ao que está acontecendo atualmente. (Estou resumindo o máximo que posso pra não ficar maior do que já está.) Há umas três semanas, em uma conversa casual ela perguntou brincando se eu ainda sentia o mesmo por ela, e eu muito envergonhada disse que sim. No outro dia, acordo com um texto dela (ela gosta muito de escrever) falando sobre amor, sobre estar apaixonada por alguém que sempre atrai ela de volta e por isso quer manter em segredo. Automaticamente me animei e fiquei profundamente feliz, "ela ainda me ama!" Pensei. E dessa vez sem eu mesma ter que correr atrás. Escrevi algo respondendo à ela e mandei uma letra de música que gostava muito pra que ela ouvisse. Ela disse que escreveu aquilo aleatoriamente, mas sabe quando você vê que a verdade não é aquilo que a pessoa diz? Enfim. Foram assim as últimas três semanas, com textos românticos que se encaixam perfeitamente na nossa história, respostas minhas, e mais textos que também mandava pra ela. Ela sempre respondia dizendo que ficaram muito bonitas as coisas que escrevi, e era o mesmo que eu dizia para os dela, obviamente direcionados para uma pessoa, mas que por conta da primeira fala dela de querer "manter em segredo" eu não entrava em detalhes, embora estivesse crente de que eram para mim. Textinho vai textinho vem, perguntei se o que ela escrevia era para alguém (Isso já confiante de mim, mas queria que "confessasse") depois de enrolar um pouco para falar, acabou dizendo e era o nome de outra garota :) Fiquei sem entender nada, não sabia como reagir. Me senti uma idiota por ter imaginado que era pra mim e ao mesmo não entendia como aquilo encaixava tanto em nós e em outra situação. Não conheço a menina, mas aparentemente não à corresponde, enfim. Me senti tão mal, principalmente por ter pensado que as coisas eram pra mim e ter descoberto de uma forma tão brusca. Fui conversar com ela para tentar esclarecer tudo e foi até bem rude ao responder. Disse que não via mais futuro em nós e não queria mais a confusão que era "estar comigo". Isso aconteceu ontem, e até agora não sai da minha cabeça. Dormi pensando nisso da mesma forma que acordei hoje e foi a primeira coisa que veio à cabeça. Não é a primeira vez que acontece situações que me deixam assim, em relação à ela. As vezes parece que estamos em um looping infinito sabe? Pois sempre passamos pelos mesmos momentos, desde os complicados, aos de investidas minhas e a "volta do amor" dela, que é algo que me deixa com muitas dúvidas por dentro, pois poxa, que amor é esse que eu preciso ir atrás? E sinceramente, isso me deixa com tantos questionamentos e angústias, eu realmente à amo, e me sinto uma idiota por isso. Eu odeio me sentir dessa forma sabe? As vezes odeio ser dessa forma. Me sinto idiota por ser tão intensa em ralação aos sentimentos, principalmente numa época em que isso é pouco levado em conta por muita gente. Ocorre um misto de emoções, angústia, tristeza... Por tudo que já aconteceu e pelo que estou sentindo agora. Tenho dúvidas reais sobre nosso fututo, não sei o que pode acontecer conosco, se podemos ficar juntas, ou se realmente estamos fadadas à seguir caminhos diferentes; e isso é uma das coisas que mais me apavora, não saber o que irá acontecer, se esse sentimento por ela vale realmente a pena ou estou apenas perdendo tempo em minha vida, numa coisa que não terá fundamento. Me sinto afogada nesse misto de sensações, sentimentos de amor e tristeza que não sei como fazer passar.
Não sei se alguém vai ler até o final porque realmente ficou enorme kkk, mas de qualquer forma já vale o desabafo. Não tenho ninguém para falar sobre isso
submitted by xDark0x to desabafos [link] [comments]


2020.06.09 04:11 Lady_killer666 "A MELHOR AMIGA"

Olá turma, lubisco, gatas, etc etc que talvez estejam lendo isso, tenho muitas histórias mas pra primeira escolhi essa.
Bom, tudo começou quando uma menina e eu fizemos amizade, nos demos bem e com o tempo viramos melhores amigas, porém logo percebi que não podia contar com ela, quando tava mal e precisava muito de um abraço ou apenas conversar ela sempre interrompia pra falar de machos e blá blá blá, eu me interessei em namoro e tals meio tarde comparando com as pessoas ao meu redor que com 14 anos já estavam apaixonadas eu tava lá brincando com brinquedos que achava perdidos no meu quarto, porém quando eu comecei a me interessar por um menino aqui da rua msm, comentei com ela, e como ela msm dizia "eu vi ele primeiro,portanto eu gosto mais dele" e se ela tentasse algo óbvio q ele ia acabar ficando com ela, ja q eu n tinha nenhuma experiência no assunto e era super tímida, passei meu número pro tio dele passar pra ele jaq o tio dele é basicamente o vizinho da frente, ela deu o número dela tmb mas pra outro menino vulgo amigo desse garoto, comecei a conversar com ele e tals nd rolou, porém qnd ela veio aq em casa eu peguei o Cell dela pra mexer jaq sabia a senha e ela pediu ele em namoro pelo wpp msm óbvio q n gostei mas meu bom coração mandou eu fazer nd, até que muito tempo dps eu já nem gostava dele, um menino dizia gostar de mim isso foi fim de 2017 e ele tentava me beijar de surpresa só que eu não sentia o mesmo e já deixei claro, mas todos falaram que era a chance de eu tentar e tals e com o tempo me permiti gostar dele, eu não gostava pq evitava a todo custo esse sentimento, enfim ela queria q eu perdesse meu BV na frente dela e eu não queria, não naquele momento, ele ficou triste q n me beijou e ela ainda disse q beija ele então pra me ensinar depois de uns dias disso eu fui viajar e no ano novo ela coloca um status com a data daquele dia e um monte de coração, anel e um casal e eu perguntei se ela tava namorando e adivinha com quem? Exatamente com o menino que gostava de mim e q eu fui forçada a ficar porém n fiquei pq ela n manda em mim, e eu fiquei tão puta com ela que até hoje eu evito ela, sempre que ela pede pra vir aq eu invento algo diferente só pra ela n vir pq ainda tenho coração bom e não consigo dizer que não quero é isto lubixxco um beijo pra quem quiser =30
submitted by Lady_killer666 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.07 17:53 cassyna Namoro virtual

Olá luba, papelões, gatas e turma que esta a ver, hoje eu vou falar de uma história que aconteceu comigo quando eu me apaixonei por um garoto pela internet, e eu queria saber se você poderia dizer se eu sou a "stalker" Ou "louca" Da situação, aliás vou contar o início desse "amor" Platônico por que e importante para essa história,obg boa leitura!
Lá para 2017 2018 eu entrei no otanix(comunidade do amino) para ver se eu arranjava amigos, depois de umas semanas no app eu descobri uma modinha de RPG de chat, achei muito interessante e resolvi criar o meu próprio RPG, pensei que não ia dar certo mas logo entrou bastante gente e até que estava daorinha, até que entrou um garoto que não tinha ninguém para conversar , como dona do chat fui arrumar um papo com ele. Conversamos bastante e vi que tínhamos muitas coisas em comum, então criamos um chat privado para conversamos, o nome dele e cleotom gravem isso, e um contexto importante. Essa amizade durou meses, conversávamos bastante, quase todo dia, até quando chegou o natal de 2018,no mês de Dezembro fui fazer uma viajem para passar o natal em Caraguá (muito bonito por sinal) avisei meu grande "amigo"e ele flw que era uma viajem daora mais não conhecia o local, pois ele era de Piauí e eu de são Paulo, quase não conversei com ele nesse tempo de viagem por que a internet de la travava muito. Até que chegou o dia, o grande dia, era noite de ano novo e estávamos todos do hotel reunidos lá fora, na contagem regressiva ele me ligou e me pediu em namoro, foi a primeira chamada de vídeo e o grande momento(mesmo não estando juntos gravei a data) E desde de aquele dia ficamos mais próximos, até que o celular dele foi roubado, mas eu não sabia disso então fiquei dias sem resposta dele, ele não havia passado mais nada, facebook,instagram nada, então eu colei o número dele no mensager e achei o face dele( foi totalmente inútil pois não tinha nada) mas tinha a mãe dele no face então chamei ela e peguei o zap dela, conversamos bastante e contei que era namorada dele, e ela disse que aprovava pois ela também já teve um namoro Virtual, (ps somos amigas até hoje) ela flw para o cleotom que eu estava conversando com ela ele me respondeu e conversavamos as vezes, fiquei muito próxima da mãe dele, até que um dia em outubro de 2019 a mãe dele criou um grupo mó zap e me add pq era a festa de aniversário dele e eles iriam fazer uma surpresa, lá conheci parentes amigos e primos, mas desde que conheci a mãe dele, ele estava muito distante quando disse que conheci os amigos dele ele disse que não era para contar sobre nós pq ele seria zoado, mas entendi e não contei, faria qualquer coisa por ele, então eu queria fazer uma surpresa, chamei um dos primos dele no zap e perguntei se no niver dele ele podia fazer uma chamada de vídeo para ser uma surpresa, ele concordou, mas não deu muito certo essa surpresa, quando era 22 horas por aí ele ligou e mostrou Lara meu namorado, ele desligou na hora e me mandou mensagem, disse que eu era louca e que eu era uma doente mental, e que esse relacionamento era doente, eu fiquei muito triste e nunca mais falei com ele esse ano ele me mandou mensagem em janeiro, disse que sentia muito e que ele estava muito estressado naquele dia, e que guardava meu desenho que fiz para ele até hoje,eu fui toda calma e disse que o nosso relacionamento nunca seria o mesmo, e ele respondeu "você ainda pensa no nosso relacionamento? Estou surpreso" Eu bloqueei ele e nunca mais falei com ele Eu sou a errada da situação? Ou ele que foi? Ps: eu jurava de pé junto que ficaríamos juntos e até contei para minha mãe, eles riram da minha cara e depois de terminarmos eles fizeram " A pegadinha do cleotom" Que era basicamente falar - a pegadinha do cleotom, oq e a pegadinha do cleotom? E gostar de um menino que mora do outro lado do mundo mas ele não gosta dela, oferecimento cachaça 51 Obg luba bjs >30
submitted by cassyna to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 16:08 GazellaLachifre O beijo perfeito

Olá, sou uma menina pan, que ainda tem muito para viver. Podem me chamar de Gazella, e alerto, essa história é graaande e fofa, depois tem continuação com tragédias. Porém, gostaria de compartilhar esse momento da minha vida.
Bem, em 2019, eu tinha acabado de superar do meu primeiro relacionamento de verdade, esse também, uma bosta daquelas. Mas felizmente, estava saindo de uma escola que eu eternamente vou odiar, ou talvez não. O motivo de eu odia-la, é outra história para contar. Quando eu saí dessa escola, eu estava louca para namorar uma menina, desesperada por um romance, eu tinha 14 anos e talvez, ainda nem tenha idade para viver um romance de verdade. Eu tinha um grande crush numa menina da minha antiga escola, que continuava a ser minha amiga e ir me visitar no colégio em que estava no momento. Eu deixava muito claro que era afim dela, mas, ela não estava preparada para sair do armário e também eu não posso e nem devo puxar ela para fora dele. No final, ela acabou me decepcionando com as indecisões dela sobre mim e eu acabei seguindo a vida sem a guria. E onde eu quero chegar com isso? Então, isso foi o que me deixou louca para conseguir algum crush em alguém, pois eu não tinha feito amizades na escola, portanto, sem motivos para querer ir e me empenhar nos estudos. Mas sabe o que poderia me deixar animada para ir na escola todos os dias? Um crush, daqueles que você sabe que provavelmente nunca vai ter, mas era suficiente para mim. Daí apareceu minha amiga, Lex, que na época, do nada me deu um Doki Doki e por algum motivo, veio do olhar que ela me direcionou (quase nem direcionou), tinha sido muito UOu. E eu entrei numa missão em saber se eu tinha chances com aquelas menina, no final, não perguntei nada pq tinha muita vergonha na cara para chegar do nada e falar "coé, gostaria de dar uns pegas?" E aí, que uma colega de sala, antigamente ficante de festa, me disse que ela tinha uma prima sapatão, ou seja, pelo menos assumida para si mesma. Me bateu um fogo no cu, que rapidamente eu pedi para informações sobre ela e se eu tinha chances. E vocês já sabem como termina, né? Contatinho trocados. Conversa vem e conversa vai, eu e essa prima da coleguinha, combinamos de sair o que era para ser um encontro nosso. Curiosidade, seria a primeira vez que sairia sozinha com alguém sem meus pais conhecessem esse alguém. Por mais que tivessem duas velas no encontro, o irmão dela, que a levou e o amigo dela que teve que ir ou a mãe dela não deixava ir "sozinha", ele não pode ser mais perfeito para o primeiro de todos. Sim, foi meu primeiro pq o antes dela nem fez um esforçinho. No final, não teve beijos, ou coisa assim, foi fofo e eu me diverti muito com ela. Sonsa do jeito que era, eu pensei que a Lulu era a destinada. Sinceramente, é um pensamento fofo que eu tenho da minha parte mas bem problemático. Passou-se um tempo e do nada estávamos namorando, aliás, nem data teve para o começo do namoro porquê não teve pedido??? A gente somente começou a chamar-se de namoradas. Mas, a gente ainda não tinha dado um selinho, e bem, adolescente, fogo no cu, destinadas, já sabe né. Um fato relevante, meus pais ainda não sabiam sobre minha sexualidade. Com o pensamento de pegação em mente, eu chamei ela para vir aqui em casa, quando não tivesse ninguém, o que ano passado era bem comum já que meus pais trabalhavam e meus avós cuidavam de meus irmãos mais novos. E deu certo, mesmo nervosa, ela veio. No começo foi conversar para lá e cá, até eu ter uma atitude e dar o primeiro passo. Eu nunca na minha vida, até aquele dia, eu sabia que conseguia dar o primeiro passo, que no caso, se eu não o fizesse, ficaria sem a porra de um beijo, e eu queria muito saber se o beijo era tão bom quanto nossa comunicação. E rolou gente, E COMO ROLOU, foi a primeira vez em que me senti em uma fanfic, eu juro pela minha vida que eu senti minha barriga cheia de borboletas e eu estava muito nervosa. Foi tão fanfiqueiro o beijo que tinha até suspiros no meio, sabe, quando você admite que está gostando ao se derreter num suspiro? Eu nunca fiquei tão feliz por causa de um beijo. No entanto, quando a gente se separou, o nervosismo bateu, eu levantei e saí andando para cozinha. E eu voltei, ela tava sentada no sofá como estava antes, daí eu saí e voltei, até parar no lugar e olhar para ela. Lulu tava com um olhar tranquilo e super na boa, enquanto eu estava tremendo, e mais tarde ela ainda teve a cara de pau em falar que estava super nervosa igual a mim. Ok, né, eu acho que ela percebeu e me chamou para voltar pro sofá, pedindo por mais um beijo, e mano, se eu não estivesse vermelha, naquele momento estava ardendo que nem pimenta. Rolou mais um beijo, um pouco mais quente que o anterior, mas foi aí que eu fiquei mais nervosa ainda pq eu nunca tinha me sentido assim a alguém, então, quando nos separamos de novo, eu fiquei vários e vários minutos abraçada a Lulu, acalmando os ânimos, tentando apagar o fogo que só aumentava. No final, ela teve que ir embora, pois estava ficando tarde e ela tinha que voltar para casa logo, eu fiquei por muito tempo pensando no beijo e acabou sendo o único de nosso relacionamento. O próximo post, conto sobre o porquê que foi o único.
submitted by GazellaLachifre to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.31 02:16 Average_simian Como vocês lidam com a perspectiva de nunca conseguir encontrar o amor?

Sou um homem de 24 anos e me considero uma pessoa emocionalmente madura. Material e profissionalmente sigo melhorando gradualmente, mas ainda tenho um longo caminho pela frente. Em 2018 conclui minha graduação em História, mas a escolha não se mostrou muito promissora. Atualmente estou me organizando para uma nova graduação em uma área que possa proporcionar maior estabilidade e onde eu trabalhe menos. Tenho meus hobbies, bons amigos e saúde. Em suma, levo uma vida relativamente boa, tirando um ou outro problema que aflige qualquer ser humano, mas sempre dou um jeito de contornar e seguir em frente. Só tem uma coisa que realmente me incomoda e têm ocupado boa parte das minha reflexões recentes: a vontade que tenho de ter um parceiro romântico.

Já tive alguns webnamoros quando era mais jovem, mas devido a distancia e falta de maturidade na época, eles não levaram a nada. Na época de escola fiquei com algumas poucas meninas e tive meus amores platônicos, mas também nunca deu em nada. Só em 2014 que fui ter meu primeiro relacionamento sério e que durou pouco mais de um ano. Foi um relacionamento difícil e que fez com que eu amadurecesse muito. Ela era uma pessoa que tinha muita dificuldade de demonstrar afeto, e eu ficava cobrando atenção. Esta dinâmica dela ficar fugindo e eu ficar cobrando acabou ficando insustentável e ela resolveu terminar. No primeiro ano do término eu sofri muito e culpei ela pelo fracasso de nossa relação, mas com o tempo fui assimilando que nossas diferenças eram inconciliáveis, e que seria impossível e errado querer mudar o jeito dela de ser. Ela era ausente não só comigo, mas com todo mundo. E eu precisei reconhecer que gosto de parceiros românticos que são mais carinhosos e sensíveis.

Depois deste namoro me relacionei com outras garotas, e cheguei bem próximo de namorar duas delas. A primeira era uma amiga de longa data que conheci pela internet, e morava não tão longe de mim. Durante alguns meses a gente conversou muito e passei alguns dias na casa dela e ela alguns dias na minha. A gente se deu muito bem, e o fator de nossa amizade de longa data acabou fortalecendo ainda mais nosso laço. No horizonte eu via a possibilidade dela vir fazer a faculdade dela na minha cidade. O único porém é que ela ainda tinha assuntos mal resolvidos com o ex dela. Não demorou muito para eu perceber que ela estava dividida entre nós dois, e nesta balança o coração dela pesava muito mais pro lado do outro rapaz. Me retirei pra evitar de me magoar, mas até hoje somos bons amigos.

A segunda garota com quem eu poderia ter tido uma relação foi apresentada por meio de amigos em comum, e ela demonstrou interesse por mim depois de algumas vezes que a gente se encontrou. Ficamos por algumas semanas e logo eu joguei um balde de água fria entre nós. Por mais que ela fosse legal e tivéssemos muitas coisas em comum, eu não conseguia sentir atração física por ela. Até tentei contornar a situação, mas ficou evidente que não ia dar certo. Ainda não sei dizer o quão problemático é deixar a aparência ofuscar uma personalidade que gostei tanto. Mas tendo a pensar que é normal, cada ser humano tem suas preferencias. Não acho certo me manter em uma relação onde não consigo sentir prazer físico com a pessoa.

Enfim, contei toda esta história para poder ilustrar como acho difícil encontrar um parceiro romântico com quem eu realmente combine e dê certo. Já tive relação com alguém que não tinha a personalidade compatível comigo, com gente que combinava, mas já havia encontrado o amor em outro, e com uma pessoa que se encaixava em quase todos os aspectos, só que fisicamente não houve "química". Por mais que minha vida esteja encaminhada em outros campos, sinto que romanticamente eu nunca consiga avançar. Talvez eu nunca vá encontrar alguém para construir uma vida ao meu lado. Sinto que muita gente entra em relacionamentos por carência, e a relação acaba trazendo só dor em ambos. Também vejo gente que encontra sua "alma gêmea", e mesmo aos trancos e barrancos consegue ser feliz. Acredito que encontrar alguém que realmente combine e dê certo contigo seja pura questão de sorte, e que nem todo mundo vai ser feliz no amor.

Evidente que vou manter o coração aberto para novas oportunidades, mas a ideia de que nunca vou encontrar alguém já não me assombra mais. Como diria o saudoso Zé Ramalho: "Quem tem amor na vida, tem sorte". O que pensam sobre o assunto? Como vocês encaram a possibilidade de nunca encontrar o amor?
submitted by Average_simian to desabafos [link] [comments]


2020.03.09 16:25 giggami Sonhei que estava transando com meu amigo

Eu namoro faz 9 meses, e ultimamente não estamos na nossa melhor fase, às vezes me pergunto se realmente amo meu namorado e se vale a pena continuar com ele.
Paralelamente, tenho um amigo de longa data, amigo de infância. A gente sempre conversou sobre tudo, inclusive sexo. Na última vez que saímos juntos conversamos sobre isso, especialmente sobre minha primeira vez (ele não sabe que não sou mais virgem).
Gostamos muito de Freud e Psicanálise, por isso acredito que esse sonho tem a ver com algum desejo reprimido que tenho por ele.
Também percebi que ultimamente ele tem mostrado sentir algo a mais por mim, até pensei que ele ia me beijar em uma de nossas despedidas, mas tinha gente na rua e não aconteceu nada.
Eu tenho medo de magoar meu namorado, ele mostrou várias vezes que me ama, mas não sei se quero continuar. Também tenho medo de acabar com o relacionamento atual e ficar com meu amigo mas me arrepender no final. Não sei o que fazer, me ajudem.
submitted by giggami to sexualidade [link] [comments]


2019.10.10 06:44 pinho07 Como escolher o amor da sua vida? Se é q existe o amor da sua vida...

Estou confuso quanto a começar uma vida amorosa, nunca namorei, mas posso começar em breve, só preciso me decidir. Sei q pode parecer estranho alguém tratar coisas do coração de modo tão racional, como se fosse natural controlar o momento de amar ou não. Considero o namoro um relacionamento muito sério q exige tempo, paciência, maturidade, respeito, etc. Tenho medo de causar sofrimento na outra pessoa por não saber amá-la suficiente ou então criar falsas expectativas ou então me frustar com o término desse relacionamento sendo preterido. No fundo, fico achando nunca ser bom o bastante para o outro, enfim... inúmeros medos bobos. Acredito q a união de dois seres é algo de extrema importância na nossa vida, não q seja imprescindível ou obrigatória para se ter uma vida melhor, mas dessa união podemos dividir o peso da vida e crescer em amor, alegria, paz e harmonia.
Outra coisa q meio q acredito, mas tbm não estou convicto se é verdade, é se temos de fato uma pessoa ideal para vivermos uma experiência afetiva. Alguns dizem alma gêmeas, tampa da panela, outra metade, etc, como se antes de nascermos já estivesse "escrito nas estrelas" q teremos uma pessoa q está em algum lugar do universo e no momento mais apropriado iremos nos encontrar e a mágica vai acontecer. Meio q acredito nisso pq pra mim é fato q acontece com muitas pessoas ao se ver "um certo alguém" ter sensações marcantes, aparentemente inexplicáveis, tendo o coração batendo mais forte. Uns dizem q é química, outros q é afinidade magnética, outros q são relações advindas de vidas passadas. O famoso "amor a primeira vista". Dentro dessa lógica imagino q pra ser uma união legítima deve haver reciprocidade, tenho q perceber ou sentir q o outro naturalmente tbm sente algo diferente por mim.
Mas tbm entendo q talvez toda essa história seja uma distorção romântica das relações humanas, afinal não temos como precisar ao certo todos os níveis do envolvimento emocional, existem heurísticas, vieses, circunstâncias q manipulam nossas sensações. Quantos casos existem de casais q juravam ser par perfeito e depois se desiludiram ou o contrário, pessoas q a princípio nunca se imaginaram juntas e depois passam a viver "felizes para sempre".
Diante disso, quando me sinto atraído por alguém interpreto q não necessariamente isso quer dizer ser preciso um envolvimento amoroso mais sério, busco controlar meus sentimentos e mesmo estando interessado procuro não demonstrar. Espero o tempo passar pra saber se realmente gosto da pessoa, busco conhecê-la melhor, quero ter a certeza de não ser "fogo de palha" ou uma paixonite de adolescente.
Diante de tudo isso, fico na dúvida: será q se começar a namorar com tal pessoa estarei namorando com a pessoa certa na minha vida? Ou será q tenho q esperar mais um pouco? Na escala de 1 a 10 da reação química ideal entre dois seres talvez essa pessoa q acho ser a pessoa certa está no nível 9, pode acontecer de na semana seguinte encontrar outra q está no nível 10 ou seria 9,9? Esse jogo do amor é perigoso, parece q funciona na tentativa e erro, não quero crer na maldosa frase "enquanto não encontro a pessoa certa, vou me divertindo com as erradas".
Estou num dilema, há mais de um ano tive um encontro fortuito com uma menina bem reservada da faculdade, trocamos olhares e conversas, e me senti muito impactado e atraído por ela. Juro q desde então nunca mais deixei de pensar nela, acho q em todos os dias. Peguei o contato dela, depois disso tivemos conversas esparsas pelo zap, temos muita afinidade de ideias e até chegamos a nos encontrar em alguns finais de eventos q curtimos em comum, mas como já era tarde da noite e o ambiente tumultuado só ficamos nos abraços e sorrisos. Na faculdade é difícil nos vermos e quando isso acontece é sempre corrido, estudamos de noite e os horários não batem pq somos de cursos diferentes. Eu tbm meio q fujo dela, ando pelos corredores evitando encontrá-la, pq não saberia como reagir. Não gosto de estender muito as conversas, pq perco um pouco do controle quando a vejo, fico pálido e me dá taquicardia, não gostaria de demonstrar às claras meus sentimentos. Na vdd, nem conheço ela direito, isso td pode ser fantasia da minha cabeça, devaneios pretensiosos, às vezes ela só me trata como um amigo distante, apesar de já ter me surpreendido com uma demonstrações de carinho fora da faculdade por meio de um bilhetinho escrito a mão q ela pediu q outra pessoa me entregasse. Somos de bairros distantes dentro da mesma cidade e eu presumo ela não quer compromisso nesse atual momento de sua vida. Por enquanto não revelo meu amor carnal, fico no platônico enquanto os medos bobos não vão embora.
Pra apimentar a história, surge um outro alguém, uma amiga de longa data q sempre achei delicada, bonita e singela, mas como ela era alguns anos mais velha q eu, acho q 2 anos, não me imaginei namorar com ela. Ela hj está mais madura e bem mais próxima de mim. Quando nos encontramos percebo o acanhamento dela, mas nas msgs suas carinhas de emojis são sempre afetuosas comigo. No pouco q ficamos juntos ela já me contou da sua vida pessoal, do seu ex-namorado, dos seus planos e incertezas. Ela é bem mais aberta comigo do q a outra, isso tbm se deve pq já nos conhecemos a mais tempo. Meu coração tbm diz q talvez podemos namorar, mas não tive aquele amor a primeira vista como foi com a outra. Sou sempre cordial e amigo com elas, evito entrar em assunto mais voltado quanto aos meus sentimentos por elas. Só q nesse último mês estou sendo impelido a me manifestar.
Aff... pq eu não me resolvo quanto a isso?
submitted by pinho07 to desabafos [link] [comments]


2019.06.24 17:51 Amanda3exceler Como confirmar uma traição: dicas da Elite Detetives Elite Detetives

Nada machuca mais como a traição de um cônjuge. A maioria dos especialistas concorda que, se o seu cônjuge te trai, a melhor maneira de confirmar isso é contratando um detetive particular.
No entanto, antes de contratar um investigador, fazer uma bisbilhotagem por conta própria também é uma opção.
Dessa forma, a equipe da Elite Detetives separou algumas dicas que você pode usar para confirmar ou esclarecer suspeitas de traição.

Não quebre a lei

Antes de mais nada, a primeira dica do detetive particular da Elite é: não viole nenhuma lei. Procure aconselhamento jurídico antes de tomar qualquer medida que possa violar a privacidade do seu cônjuge. Se você violar a lei e seu casamento terminar mal, seu cônjuge poderá levá-lo a tribunal por suas ações ilegais.
Isso significa que algumas das dicas que você encontra na internet são totalmente ilegais para você. Isso inclui: hackear telefones, redes sociais, contas de e-mail, etc. Sim, você terá a prova do caso, mas estará se expondo a processos judiciais.

Verifique o telefone da pessoa

Os telefones celulares são alguns dos dispositivos mais pessoais que possuímos. Portanto, não é surpresa que seja usado por infiéis na condução do caso. E a maioria aprende a proteger seus telefones desde o início.

Alguns sinais de alerta:

Verifique o histórico do navegador

Se você tiver acesso legal ao computador que eles usam, verifique o histórico do navegador do cônjuge. Isso pode lhe dizer os sites e páginas que eles entram. Visitar sites de namoro e páginas de mídia social que eles mantêm em segredo é motivo de preocupação.
Se eles apagarem o histórico do navegador após o uso, você poderá verificar novamente em uma data posterior. Se eles têm o hábito de limpar o histórico do navegador, é uma boa aposta que eles estão escondendo algo.

Mantenha um diário

Monitore a atividade de seu cônjuge em seu diário. Estes podem incluir viagens ou atividade suspeita de cartão de crédito. Tome nota das viagens que demoraram mais do que o normal, como as idas à loja da esquina que agora levam algumas horas.
A maioria dos traidores usará dinheiro para financiar o caso, uma vez que deixa menos registros – uma alteração nos saques de dinheiro deve ser observada.

Esteja preparado para o que você encontrará

Embora você possa pensar que eles estão trapaceando, também é possível que eles tenham um vício, problema familiar ou outro problema que estão tentando manter em segredo. Tente manter a calma e não entre imediatamente em acusações sem uma prova definitiva.

Como contar com os serviços de detetives particulares de qualidade?

Conte com a Elite Detetives para investigar por você. Nossa equipe de detetives particulares irá resolver seu caso, trabalhamos com investigação conjugal, empresarial, familiar, entre outros.

Conheça a Elite Detetives: https://www.elitedetetives.com.b
submitted by Amanda3exceler to u/Amanda3exceler [link] [comments]


2018.11.19 19:12 Engracaded [LONGO] Preciso desabafar sobre o término do meu namoro com vocês

História longa, mas não tenho mais ninguém com quem falar e estou absolutamente sem chão. Quinta feira, no feriado, em um acesso de raiva terminei com a pessoa com quem eu mais me identifiquei na vida e estou arrasado. Vou contar a história por trás disso:
PARTE 1:
Em meados de Agosto, uma pessoa invadiu uma conta minha e fez um perfil fake no Instagram com fotos minhas sem camisa. Essa pessoa começou a mandar mensagens pra minha namorada assediando-a moralmente. Eu resolvi capturar o IP da pessoa, e pra isso eu pedi a senha dela do Facebook. Com essa senha, eu também acessei o Instagram dela e fiquei de olho pra ver se a pessoa ia criar mais alguma conta pra mandar mensagem pra ela, ou criar outro fake meu. Deu tudo certo, a pessoa parou de nos encher.
Com a senha do Instagram dela, fiquei acessando frequentemente ele. Nesse ponto, confesso que queria ver quem tava curtindo foto dela, comentando coisa indecente, etc, mas, confiante nela, jamais imaginei que iria ver o que um dia eu acabei vendo.
Começo de Outubro: vi que ela tinha postado um stories cantando uma música do Criolo. O instrutor da academia dela (que trabalha no período da manhã na academia, horário em que eu trabalho) respondeu "Criolo! Aí sim" (ou algo do tipo) e ela respondeu "lembrei de você mesmo kkk". Cheguei da faculdade e abri o Instagram dela no meio dessa conversa aí. Conversa vai, conversa vem, ele pergunta "O que você gosta de fazer?" e neste exato momento o Instagram foi desconectado. Verifiquei se havia acesso ao Facebook ainda. Tudo certo. Ela estava na casa dos avós dela nesse dia, então corri pra lá sob o pretexto de não ter o que jantar. Peguei o celular dela enquanto ela preparava janta e ela tinha respondido: "Gosto de ver filme e tomar vinho", no exato momento em que ela trocou a senha. Reativei o acesso ao Instagram pelo Facebook, voltei pra casa e vi o resto da conversa. Ao longo da conversa ela o chamou de "fofinho" e ele a chamou de "neném". Além disso, quando ele falou que ia dormir, ela disse "vá para os braços de Morfeu" e ele respondeu "queria ir pra outros braços". Interpretem como quiserem isso aí.
Fiquei com o coração na mão e passei pela maior crise nervosa da qual eu tinha memória. No outro dia, fomos pra academia e eu tentei disfarçar o quanto eu tava nervoso. Assim que a deixei em casa, ela mandou mensagem pra ele, imediatamente: "dormiu lindamente?". Ele respondeu no final da tarde, porque aparentemente tinha tirado um cochilo à tarde. Minha namorada trabalhava no Shopping da cidade, e como o Shopping fica ao lado da minha faculdade, eu sempre vou lá umas 18h pro horário de intervalo dela. Nesse dia, obviamente, falei que não conseguiria ir. No exato momento, ela mandou mensagem pra ele chamando pra ele ir lá se encontrar com ela. Ele não pôde porque estava indo pra aula, então ela o chamou pra se encontrar com ela em um barzinho, pro qual ela iria com um primo dela. Antes de ela ir, eu a perguntei se ela iria só com o primo dela, pra ver se ela teria coragem de me contar, e ela disse que sim. No final das contas, o instrutor acabou não indo.
Fiquei ainda mais fudido da cabeça com isso aí... e se ele tivesse ido? O que teria acontecido?
Enfim, no outro dia ela disse que iria pra academia de manhã, sendo que até então nosso hábito era ir à tarde. Falei pro meu patrão que eu tava passando mal e precisava sair, e avisei ela que tava indo pra casa pra ela passar lá antes de ir pra academia. Ela foi lá e eu não me segurei. Perguntei mais uma vez se ela tinha chamado mais alguém pra sair, e ela disse prontamente que não. Perguntei pra ela quem era esse cara com quem ela tava conversando. Aleguei que eu vi a conversa somente no dia em que eu fui pra casa dos avós dela jantar, ela ainda não sabia que eu havia reestabelecido meu acesso ao Instagram dela. Ela disse que era só um amigo. Perguntei se eles já tinham combinado de se encontrar fora da academia e ela confessou, meia-bocamente, que tinha ~cogitado~ de sair com ele no dia anterior. Nesse exato momento, terminei com ela pela primeira vez (ainda não contei que eu tinha lido a conversa).
Ela primeiramente aceitou com certo orgulho a decisão, mas pouco tempo depois voltou atrás e disse que iria cortar contato com ele e mudar de academia. Nisso fui fazendo mais perguntas (as quais eu sabia a resposta). Ela mentiu sobre absolutamente tudo. Nisso fiquei tão nervoso, mas tão nervoso, falei muita coisa que não devia e tivemos uma briga terrível. Contei pra ela que tive acesso à conversa dela e que não queria mais. Bloqueei-a em todos os meios possíveis de contato. Ela insistiu muito, muito depois, mas começou a me culpar pela minha reação e por eu ter acessado as conversas dela. Tudo que ela dizia era em relação à reação que eu tive, tentando mudar o foco do problema que tivemos (mentira, alteração da realidade e mudança de foco, gravem isso). Como forma de nos reatarmos, ela jurou me dar acesso às redes sociais dela, inclusive Whatsapp, não malhar mais sem minha companhia e bloquear o instrutor de tudo quanto é forma possível. Por pena, decidi perdoá-la, mas não consegui confiar nela depois.
PARTE 2: Depois de havermos reatado, ela me pediu pra manter acesso privativo pelo menos ao Whatsapp dela. Acatei, porque achei que viver sem privacidade absoluta é uma coisa muito séria, e quando fizemos nosso acordo foi de cabeça quente.
Um dia estávamos em um bar e ela foi ao banheiro e deixou o celular. Peguei o celular e fui ver com quem ela estava conversando. Ela voltou do banheiro, me viu com o celular e ficou SUPER chateada. Entramos em uma discussão relativamente branda, na qual ela me perguntou se "valeu a pena" ter estragado nossa noite mexendo no celular dela. Nisso, eu respondi "não valeu agora, mas antes valeu porque eu descobri ela marcando encontro escondido com outro cara". Ela ficou sem palavras e foi embora. No outro dia, fiquei com remorso (afinal, eu tinha prometido perdoar ela) e fui atrás dela. Mandei mensagem cedo falando pra me avisar quando pudesse conversar. À tarde, perguntei, nessas palavras: "quer lanchar comigo ou ainda não tá afim de conversar?" e ela não me respondeu. À noite também não me respondeu. Liguei pra ela e cobrei uma posição dela, no que ela me respondeu "Você nem me chamou pra conversar!". Nisso aí eu fiquei puto, mas muito puto e falei pra ela exatamente sobre meu convite pra lanchar. Nisso ela me respondeu "Você me chamou pra lanchar, não pra conversar". Fiquei tão possesso de raiva que terminei com ela de novo. Foi humilhação demais pra mim.
Uma semana depois chamei ela pra conversar e confirmei o término. Disse que eu ainda não tinha condições de confiar nela e que estava cansado da mania dela de mudar o foco das nossas discussões, além de mentir e manipular a realidade, o que ela sempre fez ao longo dos nossos 3 anos juntos. Isso na quinta feira. Bloqueei em tudo novamente.
No domingo, não me contendo de saudade, voltei à casa dela e tentei discutir uma forma de voltarmos à paz. Ela tinha elaborado um questionário caso a gente tentasse reatar, e me dispus a respondê-lo. Nisso, veio à tona um assunto que haviamos discutido antes: a vontade dela de fazer um ensaio nu e postar no Instagram, o que eu absolutamente não admito. O diálogo foi exatamente esse, onde eu disse que "não gostaria de ver minha namorada nua nas redes sociais pra todos verem" / "mas você não manda em mim" / "eu mando em mim, e eu não vou aceitar isso" / "quer dizer que você não aceita eu tirar foto pro meu Instagram?" / "Não é sobre tirar foto." / "Você não aceita eu tirar foto e postar, então?"
Fiquei puto de novo (mentira e manipulação da realidade). Não é sobre isso, ela postava, e ainda posta, mil fotos no Instagram todo dia. O problema é o ensaio nu! Pra mim é um absurdo passar por cima de algo tão pequeno, que me incomoda, por conta de vaidade. Pura vaidade. Vamos entrar no assunto da vaidade logo logo. Enfim, nesse momento eu levantei da cama dela e fui embora, já não aguentava mais tanta raiva.
Nessa hora ela surtou, pegou uma faca e começou a se cortar. Nessa hora, nesse momento, eu vi o quanto isso tava fazendo mal pra nós dois. Fiquei ao lado dela até ela se acalmar e me entendi com ela da seguinte forma: nós queremos ficar juntos, nós tivemos nossos erros, vamos aprender com eles e voltar ao namoro que tínhamos antes de toda essa confusão. Ela concordou. Combinamos que quando eu me sentisse inseguro, eu pediria pra ver o celular dela e ela me mostraria. Passamos, incrivelmente, duas semanas de um namoro maravilhoso, até a fatídica quinta feira passada.
PARTE 3 Até então ela havia mudado a senha do Facebook e do Instagram dela, passando por cima do nosso combinado. De forma a restaurar o namoro que tínhamos antes de tudo isso, acatei essa decisão e resolvi me preservar. A senha do celular dela também tinha sido mudada, decisão que também acatei.
Na última quinta feira eu fiquei com o controle do portão da casa dela, o que não é usual. Avisei a ela que iria pra casa dela mais tarde. Mais tarde, ela me mandou um whatsapp: "tá vindo?" e eu não respondi, porque eu tava indo. Cabe ressaltar que sempre que eu vou pra casa dela eu buzino na porta e ela abre o portão de lá de dentro, pelo tal controle. Nesse dia eu só abri o portão e entrei (ela mora em um condomínio com quatro casas, então muita gente abre e fecha sempre). Cheguei na casa dela e juro que ouvi uma expressão de susto dela. Juro pela minha mãe.
Antes de continuar a história, um detalhe: ela sempre, a vida toda, deixou o celular do lado de fora do banheiro pra tomar banho. Sempre esqueceu ele nos lugares.
Nesse dia, eu cheguei e ela estava abraçada com uma gata dela. Eu sou alérgico, então pedi pra ela tomar um banho. Nessa hora, o celular dela tava ligado à caixinha Bluetooth, e a gente passou alguns minutos trocando de música. Sempre que eu pegava o celular dela pra trocar, ela o tirava da minha mão imediatamente. Enfim, ela foi tomar banho. Disse que enquanto ela toma banho, eu poderia conectar meu celular na caixinha. Sugeri a ela que ela deixasse o dela pra eu trocar de música por lá. Ela disse que não, pois no dela, ela que iria trocar de música. Se eu quisesse ouvir música, eu ligaria o meu. Contraditório... Nisso, ela pegou o carregador dela pra levar pro banheiro pra carregar o celular, que tava com a carga cheia. Matei a charada... ela não queria que eu ficasse perto do celular dela. Questionei o porque dela estar levando o celular pro banho e ela disse: "não confio em você perto do meu celular" (detalhe: em todos os dias antes deste, ela deixou o celular fora do banheiro quando ia tomar banho).
Lembra que tínhamos combinado que quando eu quisesse eu pediria pra ver o celular dela? Eu pedi e ela simplesmente disse "não, não vou deixar". Ela tava sentada no vaso nesse momento, quando ela decidiu fechar a porta do banheiro com o celular lá dentro. Falei pra ela não fechar a porta, porque, pra mim, ela queria apagar alguma coisa no celular dela. Ela ficou forçando a porta pra fechar de novo. Eu falando pra ela abrir e ela falando que não.
Falei que pra mim chega. Novamente, bloqueei ela de todas as redes sociais. Só que dessa vez ela me bloqueou também.
O QUE EU SINTO:
Até antes da parte 1 da história, tivemos um relacionamento à beira do perfeito. Tínhamos absoluta afinidade, cumplicidade, sinergia, e planos pro futuro. Todos sinceros, de coração.
Ela sempre clamou que se sentia presa aqui. Nossa cidade é no interior, relativamente pequena. Ela é uma ótima cantora e escritora, e tem que se sujeitar a trabalhar em uma empresa que não gosta pra receber salário mínimo, o que não dá pra fazer nada (ela tem carro e o dinheiro todo vai pra gasolina). Ela estava se sentindo sufocada. Ao meu ver a solução que ela achou foi conquistar curtida no Instagram, dar corda pra quem cobiça ela (ela é muito bonita) e tentar exercitar a vaidade dela acima dos outros talentos dela. Falei pra ela que no próximo ano eu iria me formar, que poderíamos sair daqui, investir em algo pra nos potencializar. Não, ela foi pro rumo da vaidade.
Ela é extremamente simpática e agradável. Todos os amigos com o quais tínhamos contato eram amigos principalmente dela. Claro, agora todos estão do lado dela.
Meus amigos todos têm relacionamentos sérios de longa data.
Eu estou profundamente triste, profundamente amargurado e sem rumo. Eu me sinto com uma capacidade enorme, sensibilidade, tenho boa aparência, sou jovem, falo quase 3 línguas fluentemente, mas não tenho um puto, ando numa motinha 2008 toda fudida e minha auto-estima tá no chão. Além disso, perdi todos esses amigos aí, que no momento nem sei que impressão têm da história.
Eu queria acabar com esse sofrimento, me realizar de alguma forma. A única coisa que me realizava ultimamente era esse namoro com essa pessoa que eu tanto gostei, somente pra descobrir que ela entrou numa espiral sem fim de vaidade. Que as curtidas no Instagram dela valem mais que fazermos um jantar juntos, tomarmos uma cerveja juntos.
Eu tô sem chão...
submitted by Engracaded to brasil [link] [comments]


2018.05.05 07:59 koyaanisqatsi_guy Me apaixonei por uma colega de trabalho... e mudou minha vida.

O título já diz tudo. Vou contar brevemente essa experiência, pois é algo que eu vou precisar de muita força de vontade para superar.
Isso aconteceu um ano atrás...
Eu trabalho no mercado de comunicação, a rotatividade de pessoas entre empresas é muito grande, em um ano que consegui diversas entrevistas acabei passando por 3 empresas grandes, e na última delas eu conheci essa garota.
Foi por indicação de um amigo que eu fiz entrevista nesse lugar. E ele trabalhava com ela, não diretamente, mas no mesmo setor. Eu demorei um tempo pra notar que ela era diferente, a primeira vista foi só mais uma garota de 28 anos, linda e meio nerd. Porém, eu estava em uma fase de focar apenas no trabalho, pois sempre tive muita dificuldade com o lado social. Desde que me mudei para essa cidade decidi me envolver com qualquer garota que fosse fisicamente atraente, devido as frustrações de amar alguém profundamente, acabei me forçando a ser superficial. Isso foi me afetando aos poucos, até chegar em um ponto que eu simplesmente não via mais razão para isso, foi quando eu me afastei socialmente de tudo e comecei a trabalhar demais, o meu desempenho profissional aumentou, então decidi procurar lugar melhor, melhor salário, que no caso, foi a indicação do meu amigo.
Alguns anos atrás eu estava em uma faze em que projetava sinais e razões em tudo. Algo como me convencer a fazer algo por que música x que lembra pessoa y está tocando no momento em que eu estou no lugar z, então eu devo seguir meu "instinto" de investir naquela pessoa, mesmo se não tiver nenhuma chance.
Voltamos para o mês em que eu entrei na empresa nova, dezembro/16. Em janeiro eu estava almoçando com ela e com o grupo do setor dela, que incluía meu amigo, praticamente todos os dias. No terceiro dia meu amigo confirmou o que já se passava pela minha cabeça.
No almoço acontecia do grupo todo ter um assunto, mas eu e ela outro, não importa aonde estávamos sentados,longe, perto, a conversa era muito interessante pra ficar quieto.
Isso me deixou em completo estado de choque. Ela era simplesmente muito parecida comigo, eu ficava bugado, não sabia o que fazer.
Devido ao stress do trabalho, minha ansiedade tinha aumentado e como medida eu comecei a fazer terapia alguns anos atrás, meu terapeuta foi enfático em me dizer que eu deveria me permitir a amar e a me arriscar. Eu abracei a ideia.
Como um cara timído, nerd, com alto-estima baixa conquista uma garota? Eu não tenho a mínima ideia. Na minha humilde opinião e experiência própria isso é extremamente difícil. Mas não impossível.
Durante o processo da 'conquista' eu estava em um estado de negação a vida, pois eu achava ela atraente e interessante demais para minha pessoa. Passava horas questionando o por que do universo colocar essa pessoa em minha vida, pensando em todas coincidências que aconteceram para eu conhecer ela e de fato me interessar, era algo surreal. Mesmo gosto por música, filmes, nosso assunto preferido era realidade simulada, sério!
Eu decidi que iria ser sincero, deixar claro meu interesse e ver no que dava. Enquanto isso meu amigo e meus novos amigos da empresa comentavam que ela realmente dava sinais de interesse. Nesse ponto eu já estava imaginando coisas. Mas foi frustrante. Ela tinha acabado de sair de um namoro de 7 anos, engatado em uma relação breve de 3 anos e alguns meses antes ela tinha se envolvido com uma pessoa da empresa. Quando eu descobri isso, abri mão. Entrei em um estado de pré-depressão. Eu uso muito metro, ficava parado, esperando o vagão passar pensando em como seria mais facil me jogar ali do que esperar eu conseguir o amor dela.
Isso foi me dominando, essa vontade de querer fazer ela feliz e ver ela ao meu lado me implodia de angustia por não conseguir ver isso se concretizando. Há essa altura eu já sábia que ela não tava fazendo nem um pouco bem para mim, mas eu não estava pensando nisso, estava pensando em fazer ela feliz.
A primeira tentativa foi demonstrar interesse, coisa que fiz até demais. Chamava ela pra sair pro bar toda quinta e sexta feira, não conseguia me conter em ficar feliz com um sorriso de orelha a orelha quando ela aceitava. Era algo maior que o meu auto controle e que a minha força de vontade. Em janeiro foi o mês de colocar as cartas na mesa, eu deixei claro que me interessava por ela e queria sair apenas com ela, então, ela finalmente colocou um ponto final em tudo. Me disse que não queria se envolver com pessoas do trabalho, então contou os relacionamentos dela. Ai tudo fez sentido, finalmente, o medo de falhar que eu tinha, se tornou realidade.
É engraçado, pois foi muito aliviante. Eu finalmente tinha o não dela e com isso podia me conformar com mais um não da vida, me lembrar o por que eu focava no trabalho o por que disso. A frustração me fazia esquecer tudo e me deixava muito produtivo. Eu sempre usei tristeza, raiva e sofrimento ao meu favor.
Começou fevereiro
Nos dias seguintes, o mais absurdo acontece: ela me chama para ir na casa dela. Após o fora, eu imaginava que iria existir um silêncio e que o nosso começo de amizade iria morrer rápido, mas foi o oposto. Amizade era o objetivo dela, talvez uma amizade colorida. Mas definitivamente nada sério. Eu aceitei o convite de ir para casa dela, mas com uma consciência de que eu era apenas amigo. Conhecendo amigos que forçam beijo na balada e fazem esse tipo de coisa escrota, eu nunca iria tentar beijar ela após o fora. Ia ser muito constrangedor se ela não gostasse e isso era o fim do mundo em loop para mim.
Ela deu diversos sinais, mas ao mesmo tempo me contou como sempre teve mais amigos homens do que mulheres, eu achei que tinha lido a situação de uma maneira correta. Nesse dia eu fui o mais tapado possível, fui um amigo mesmo, não tentei nada. Depois disso, quarta feira, na sexta ela estava no bar comigo e com o pessoal do trabalho e convidou para irmos até a casa dela. Eu falei para o meu amigo que tinha interesse nela (não era o amigo do trabalho). Isso foi surreal. Um amigo de um outro ciclo de amigos tinha conhecido ela naquele dia, e ela convidou nós dois para irmos até lá. Eu não entendi nada. Fui sincero com ele, falei que estava muito interessado e que gostaria de tentar algo naquele dia. Ele foi super gente boa e foi embora uma meia hora depois.
Era isso, eu estava sozinho com ela no apartamento dela. Mas na verdade eu estava aprisionado dentro da minha cabeça não me permitindo tentar nada. Então eu não tentei. Nem cheguei perto. Falei tanto que a coitada caiu de sono. Nesse dia eu estava conformado que tinha zerado quaisquer ruídos e chances de relacionamento amoroso com ela.
Eu descobri que ela estava com receio de ficar comigo pelo nível de atenção e interesse que eu demonstrava por ela. Ela estava corretíssima, nós estávamos em sintonias diferentes ainda sim nosso radinho de pilha captava a frequência do outro sem querer. O fatídico dia foi durante um happy hour da empresa, no próprio local onde nós trabalhávamos. O fato de pensar em ver ela me dava ansiedade, então comecei a evitar. Não queria ir até o happy hour por nada, então fiquei na minha mesa trabalhando, naturalmente, quando todos já estavam se alcoolizando e socializando. Eu estaria bem ali a noite inteira, talvez angustiado mas transformando tudo em produtividade, é o que eu sei fazer afinal. Mas meu amigo tramou um plano, chamou a melhor amiga dela no trabalho e quando eu percebi estava sozinho com ela. A reação dela quando eu me aproximei? Foi virar para o outro lado.
Imediatamente voltei para minha mesa, coloquei meu fone e voltei a trabalhar como se nada houvesse acontecido. Ela me liga 3 vezes e comeca a mandar mensagens, pedindo para eu responder, perguntando se eu estava bravo. Eu falei a verdade, que não deveria mais ver ou falar com ela pois estava me atrapalhando e me fazendo mal. Era a hora perfeita para tudo acabar e eu voltar para a minha vida medíocre.
Ela então, as 2 horas da manhã me chama para ir no apartamento dela. Nunca, nem em 100 vidas eu diria não. Eu fui, sentindo que tinha atingido um objetivo superficial, quando na verdade, no meu interior, eu me preocupava com as consequências. Eu não queria encontrar ela bêbada, queria que fosse algo verdadeiro mesmo que fosse uma simples conversa.
Eis que eu fiz a maior besteira da minha vida. Eu preferi ela do que eu mesmo. Eu escolhi por fazer alguém feliz e me fazer infeliz, sem pensar ou medir as consequências. Então eu convenci ela, e a mim mesmo que eu tinha entendido a situação e que nós poderíamos ficar aquele dia e sermos amigos. Acabamos dormindo juntos, foi de fato um dos melhores dias da minha vida, não apenas pelo sexo, mas pela satisfação em fazer alguém que você ama feliz. Comecei a me alimentar daquela sensação. A relação foi cada vez mais tomando uma forma e quando eu percebi, estava ali, moldado, desenhado e exposto: Eu estava vivendo para ela.
Ela me ligava de noite, pedia para eu ir até a casa dela, eu pegava o táxi e ia na hora, não importa o dinheiro, distância, sono, nada, o que importa é fazer essa garota feliz. O problema é que durante o dia, eu sabia que ela não queria nada, então no trabalho eramos apenas colegas na perspectiva dos outros. Eu fui ficando cada vez mais interessado, fui me cedendo cada vez mais, ao chegar no ponto em que eu via que apenas ela definia quando iriamos nos ver. Eu não conseguia chamar ela pra sair e receber um sim, tinha que ser algo quando ela queria. Nessa altura do campeonato eu já estava muito perdido, a consequência da solidão batia na porta mas eu simplesmente ignorava e achava que era uma viagem minha, que tudo iria dar certo e eu iria conquistar ela.
Isso foi criando um vazio dentro de mim, pois eu sabia que ela não tinha terminado o último relacionamento dela de forma amigável, isso começou a afetar ela e consequentemente a mim, que ficava imaginando o que teria acontecido, pois ambos estavam quase morando juntos.
Então, março
O fim veio rápido como o final do feriado de carnaval. Passamos todos os dias juntos transando, conversando, mas aquela bola de neve gigante estava vindo e nós dois sabíamos, o problema é que eu tinha convencido ela que não tinha bola de neve e tava tudo bem. Um dia, ela me chamou para ir na casa dela jantar. Era meio que um big deal, pois nunca havia existido um convite antecipado como esse. Ela tinha arrumado a varanda com luzes e uma mesinha, foi simplesmente uma das coisas mais legais e agradáveis que eu já vivenciei com alguém. Infelizmente a bola de neve engoliu tudo esse dia. Claramente incomodada com a situação, com o que nós estávamos fazendo, ela ficou em um mood estranho e distante de mim. Era a primeira vez que ela fazia aquilo. Eu não entendi e tentei contornar, em um certo ponto eu soube que aquele era o último dia.
Depois disso ela se distanciou de mim, parou de falar comigo frequentemente. Eu achei que era algum tipo de mind game feminino, para eu correr atrás ou algo do tipo. Eu corri atrás e dei de cara em uma parede quilométrica. Não existia mais aquela ponte entre a gente, não existia mais nada a não ser uma tensão de quando vai ser a proxima vez que ela vai me chamar. Os pensamentos suicidas voltaram, eu já não conseguia trabalhar no mesmo local com medo de olhar no olho dela e saborear aquela sensação de que ela não me quer na vida dela, além dos meus pensamentos auto depreciativos de que eu era um bosta e que eu tinha me colocado em uma situação de merda.
A minha ansiedade piorou, tive que me ausentar um mês do trabalho por causa de crises constantes de ansiedade, comecei tratamento psiquiátrico junto com a terapia para segurar a ansiedade, não conseguia sair de casa, não conseguia fazer nada a não ser pensar nesse fracasso. Engordei 17 kg em um período de 9 meses. Eu fazia academia para emagrecer para ela me notar. Tenho 1,78 e estava com 80kg, depois disso, cheguei aos 98kg.
What a ride.
Depis de maio-abril de 2017 eu expliquei para ela que seria melhor se eu me afastasse para sempre. Bloqueei ela em todas minhas redes sociais, toda vez que via ela saia imediatamente do campo de visão dela, pois me dava crise de ansiedade. Evitava todos lugares achando que ela estaria ali. Não existia mais tranquilidade, ela aparecia nos meus sonhos, pesadelos. Eu realmente me perdi. Nunca mais vou conseguir falar com ela, perdi a chance de fazer essa garota incrível feliz. Obviamente a culpa de tudo isso é minha. Não tive maturidade para lidar e deu no que deu.
Atualmente eu lido com isso de uma maneira objetiva, que é: aprendizado. A vontade de morrer sempre vai existir, afinal, eu ainda amo essa garota. Nunca vou superar totalmente essa experiência devido a maneira que aconteceu. Eu me isolei socialmente por quase 12 meses, cheguei a excluir diversos amigos de longa data apenas por que eles namoravam. Apaguei familia de todas redes sociais, tudo me fazia lembrar de como eu era um miserável solitário que tinha falhado na única chance de conquistar a mulher da minha vida.
A única razão que eu estou escrevendo tudo isso, é por que eu preciso tirar isso de dentro de mim. Se eu realmente quero viver e tenho amor a mim mesmo, eu tenho que seguir em frente e ser resistente. Isso foi apenas um aprendizado, dos mais difíceis de toda minha vida. Eu questionava diariamente o por que de tudo isso ter acontecido. Eu nunca mais vou ser o mesmo, essa lição me mostrou muita coisa, uma delas é que eu tenho uma batalha constante com o meu eu interior. Nosso auto controle define quem somos, se você não em auto controle, possivelmente você vai se colocar em situações que podem mudar você e sua vida para sempre, eu espero que de maneira positiva.
Eu ainda tenho muito tempo pela frente para transformar o saldo dessa história em positivo. Mas o que eu queria mesmo era estar com ela.
Saudades de você, n.
TLDR;
Me iludi com uma colega de trabalho que era muito parecida comigo, fingi que estava preparado para uma relação superficial mas me apaixonei e acabei me perdendo dentro de mim mesmo. Entrei em depressão e me isolei socialmente por quase um ano, suicídio era mais aliviante do que pensar em um futuro positivo. A existência era dolorosa e pesada. Hoje eu sei que isso foi um aprendizado, daqueles fudidos que não é para a gente esquecer. Vou levar isso pro resto da vida, espero que com o tempo transforme o resultado em algo positivo.
submitted by koyaanisqatsi_guy to desabafos [link] [comments]


2018.01.27 19:26 youngsterpt [Sério] Azar com a namorada, ou são todas assim?

Há cerca de 1 ano conheci uma rapariga 5 estrelas e dávamo-nos super bem, as coisas funcionaram e atualmente somos namorados. Porém, passado 1 mês do início do namoro, ela começou a revelar uma faceta de completa ciumenta. Pelo que ela diz, tudo começou quando eu tomei um café com uma amiga de infância que, por acaso, estava a passar pelo sítio onde eu estava, e conversámos coisa de 15 minutos e cada um foi à sua vida, já que naquele momento ela estudava na mesma cidade que eu. Isto foi motivo para ela achar que eu era um mentiroso e que nunca mais podia confiar em mim, etc. Dramas. Mas isso foi apenas o início.
Neste momento, continuamos a namorar, passado 1 ano. Apesar de continuar a gostar dela, a relação já não é o mesmo. Se for tomar café com amigos meus ela chateia-se e deixa de falar comigo e ignora-me completamente. Pelo que deixei de o fazer, cheguei ao ponto de já não poder ir a festas de aniversário de amigos meus porque supostamente vão estar lá raparigas e, pelos visto, quando se namora não se pode ter amigos do sexo feminino. Cada vez me afasto mais dos meus amigos de longa data.
Recentemente, e a gota de água para mim, foi quando ela no Instagram viu a história dos meus amigos/amigas num jantar de aniversário onde eu, como é óbvio, não fui. "Não foste ao jantar dos teus amigos?" Ao que eu respondi que não, já que era motivo de chatice caso eu o tivesse feito. Cometi o erro de não lhe responder às mensagens durante precisamente 12 minutos e amuou, mais uma vez, por achar que estava a falar com eles e a não lhe dar atenção.
Passo a vida a ouvir falar das "amiguinhas", "amigos", "vai ter como os teus amiguinhos" etc e cada vez me sinto mais preso a esta relação.
A minha pergunta é, isto é normal, ou eu tive azar? Ou são as mulheres todas assim? Foi e é a minha primeira relação.
Tenho 20 anos, btw.
Abraço!
Edit: A todos os que deixaram comentários um muito obrigado. Li todas as respostas e ajudaram imenso a abrir os olhos. Um grande abraço para todos!
submitted by youngsterpt to portugal [link] [comments]


2017.09.25 21:45 botafora01 Sinto que a minha vida já está traçada

Desde já peço desculpas pela muralha e pelo throw away
OK, desde o Ensino Médio eu sofria com algo que eu imagino 90% do Reddit sofreu: não conseguia pegar sequer resfriado. Era extremamente zoado pela sala toda por isso (meus amigos até hoje dizem que eu sou o único da turma que nenhuma mulher chegou), cheguei até a apanhar por isso. Só fui perder meu BV no meu ano de calouro na faculdade e a minha virgindade quando fui num bordel. Eu ficava triste com isso, mas também estava esperançoso: afinal, era um adolescente, estava entrando na faculdade, e todos sempre me louvavam por, segundo eles, eu ser muito inteligente. A menina que eu gostava na época, e que até hoje é uma amiga (e que eu passei a maior vergonha da minha vida, ao me declarar pelo fucking MSN), vivia brincando dizendo "O nerd de hoje é o cara rico de amanhã". Boas memórias.
Chegou 2013, e eu entrei na faculdade. Não fui maravilhosamente bem no ENEM, mas consegui uma bolsa integral em Administração em uma bela universidade. Escolhi Adm por pensar que o mercado estava bom e por ser noturna, o que me permitiria trabalhar. Nesse período, perdi meu BV e fiquei com outra menina uma vez, num espaço de 9 meses. Pra mim, isso era o ápice, eu era o deus da conquista, mesmo que meus novos amigos me zoassem de "pega ninguém" do mesmo jeito. Nessa época, eu baixei o Tinder e conheci o meu primeiro namorico, vamos chamar de Ana. Ana morava a 3h30 de viagem, então era praticamente um namoro à distância. Ficamos algumas vezes, 3 meses depois começamos a namorar e, depois disso, ela passou o mês seguinte dando desculpas para eu não ir lá. Chegou fevereiro, veio o carnaval, e ela disse que estava passando mal. Foi para o hospital e detectaram leucemia. Óbvio que eu pirei, queria ir pro hospital dela de todo jeito, mas ela nunca deixava, dizia que os pais me viriam, iria arrumar encrenca, ela iria ver um momento que estivesse sozinha. Se passaram 5 meses nesse tormento, hora ela dizia que estava boa, hora dizia que estava mal, quimio e afins, até que meus amigos de sala fizeram uma intervenção comigo, mostrando que não havia nada em rede social nenhuma dela a respeito de câncer, mostrando que ela estava postando normalmente sobre coisas cotidianas e que era a maior retardadice do mundo eu não ter ido nenhuma vez ver ela. Eu fiquei meio balançado, até porque meus pais concordavam com este ponto de vista, mas fiquei meio irregular com ela. Pouco mais de um mês depois disso, ela disse que tinha tido alta, tinha encontrado um ex, tinha ficado com ele e queria terminar. Não lamentei muito, até porque isso ocorreu em um espaço de uma semana, no máximo. Terminei e, desde então, ouvi dela duas vezes na vida. Passou.
Vale mencionar que, nesse meio tempo, a minha vida em casa havia melhorado demais: durante meu período de Ensino Médio, minha adolescência se resumia a passar finais de semana com minha mãe em bares, vendo ela entrar quase em coma alcoolico com as amigas e outros finais de semana na casa do meu pai, vendo ele ficar bêbado e chorar no meu ombro sobre ele ser um fracassado que não conseguiu sequer manter um casamento. Quando eu terminei, minha mãe já estava mais centrada (como está agora), saindo ocasionalmente e socialmente, e meu pai parou de beber após enfartar e voltou a ser o cara extremamente trabalhador que eu sempre admirei. No fim do meu primeiro ano de faculdade, eu passei a estagiar em um instituto federal. Ao mesmo tempo do término que eu disse acima, eu fui chamado para um concurso temporário, em outro órgão público, bem mais perto de casa.
Poucos meses após eu terminar com a Ana, entrou em cena a pessoa que eu, de fato, considero como a única que eu namorei. Vamos chamar ela aqui de Beatriz. Beatriz me chamou no Facebook, para brincar sobre uma postagem que eu havia feito (já havíamos tido pequeno contato ainda no colégio), e daí começamos a conversar. Dois meses depois, ficamos e, 5 meses depois, começamos a namorar. Ela perdeu a virgindade comigo e, na prática, eu também perdi com ela (transei com prostitutas umas 4 vezes antes. Fiz exames, por precaução, e não deram nenhum reagente). Eu aprendi demais a me aceitar com ela, nós tínhamos a mesma personalidade, ela era a primeira pessoa que não só não me julgava por meus interesses, como me incentivava a seguir eles. Não me cobrava nada, eu não cobrava nada dela, mas conversávamos de forma quase ininterrupta das 7 até meia noite. Com ela, no entanto, eu descobri algo que já havia visto antes nos bordeis: não sei o que me causa, mas com certeza eu tenho ejaculação precoce. Fui em um urologista, que me disse que era algo psicológico, que eu só precisava "me desligar". Tentei os exercícios que o próprio Reddit indica, mas nunca funcionava. Usei camisinha anestésica 2 vezes: uma vez foi uma maravilha, na outra estourou e eu traumatizei. Sempre me sentia extremamente culpado e furioso comigo mesmo após cada fim de penetração, mas o que atenuava era a presença dela, que sempre me dizia que não ligava, que eu conseguia deixar ela no céu somente com as preliminares, que não ligaria de passar por isso por não sei quanto tempo. Tudo que eu me julgava errado, ela me mostrava que não ligava. Eu me sentia num porto seguro com ela, e isso me impulsionava na faculdade: eu imaginava que iria me formar em um emprego na iniciativa privada, sem "data de validade" como meu emprego temporário, e que, 1 ou 2 anos após isso, estaria casado com ela. O único motivo de discussão que tínhamos era que ela tinha total ojeriza de tornar público: não podia postar nada com ela no Facebook, não podia atualizar status de relacionamento, não podia ir conhecer os pais dela, que "iriam proibir completamente". Mesmo os amigos eu só vi 2 vezes (uma outra vez eu não pude ir por motivos profissionais). Eu sempre entendi que isso era um receio dela, então, mesmo um pouco frustrado, eu aceitava. No que eu terminei minha monografia, estava preocupado com a questão do mercado, mas nada demais. Até que veio o dezembro, 1 ano e 4 meses após começarmos a ficar.
Eu estava na faculdade, pegando os convites de formatura, quando ela mandou o tradicional "precisamos conversar". Resolvemos por texto mesmo: ela disse que gostava de outra pessoa, e que se sentia culpada namorando comigo com interesse em outro. Aceitei, triste, e demos um tempo. 2 dias depois, um amigo me manda uma foto no perfil de um rapaz, que era o mesmo que ela gostava: ambos deitados, ela de top e ele sem camisa, e uma descrição bem...insinuante. Óbvio que eu pirei, liguei para ela, tivemos uma baita discussão, mas, depois disso, esfriou. Acabamos nos vendo, e ficando de novo. Ela terminou com o rapaz, mas ainda jurava de pés juntos que aquela foto era uma coincidência, que ela não havia me traído, que jamais faria isso, que era íntegra. E ficamos uns bons 3 meses indo e voltando até que, em abril, ela me mandou um testamento contando tudo: numa segunda, ela estava na casa de uma amiga, com este rapaz e o cara que a amiga estava pegando. A amiga e o peguete dela começaram a dar uns amassos no local e, segundo ela, ela não conseguiu "resistir" e montou no cara. Uma traição espetacular, que até hoje eu uso como humor auto depreciativo. Fiquei em choque por um tempo, mas, contra os conselhos de todos, perdoei ela e voltamos a namorar. Mas não era a mesma coisa. Ainda era maravilhoso por um aspecto, mas, por outro, ela estava insegura com o relacionamento (dizia que se sentia culpada por ter "estragado tudo por um impulso") e eu estava inseguro com tudo, precisava de validação dela pra tudo, principalmente no que tangia sexo. Eu já era inseguro sexualmente antes, agora era 3x mais, então eu basicamente a induzi a me contar toda a experiência sexual dela com ele, até eu me sentir menos perdedor. No entanto, eu estava começando a me recuperar em junho, estava me reencontrando, entendendo que estava apertando ela desnecessariamente (uma amiga teve essa conversa esclarecedora comigo). Então, tanto como solidificação como um pedido de desculpas, eu planejei uma viagem para nós, no dia que ficamos pela primeira vez, que cairia num sábado. Disse para ela os planos, ela ficou elétrica, empolgada, começou a me mandar links do local, brincar com meus planejamentos e afins...e, na semana seguinte, pediu para terminar. Disse que nunca esteve certa sobre nós termos voltado, que ela ainda me amava, que ainda sentia tesão comigo, mas que não se sentia pronta para um relacionamento sério, e "não queria me magoar". Aceitei, até mantive o contato, pq, nesse meio tempo, ela virou a minha melhor amiga. Mas o mesmo amigo da vez anterior me mandou um print de uma conversa dela com a irmã dele, dizendo que tinha terminado por estar afim de outro cara, e eu reconheci o sujeito: era um cara que ela falava horrores bem dele, "ah, fulano fez isso, fulano fez aquilo, me ajudou com x, um cara foda, faz não sei o que". Não sei se ela me traiu, mas tal conversa era de 1 dia e meio após termos terminado, e ela já havia ficado com tal cara. Não sei se ela me traiu de novo, mas a confrontei (não falei do meu amigo, obviamente, disse que a vi na rua) e ela manteve que não me traiu, mas que, dessa vez, poderia ficar com quem quisesse pq "fez a coisa certa". Eu disse que não conseguiria conversar com ela enquanto ainda tivesse sentimentos, ela disse que entendia, mas que queria saber de mim, que eu ainda era "o melhor amigo" dela.
Isso faz um mês e meio. Eu não consigo deixar de me sentir mal. Eu podia ter feito tanta coisa melhor, mas não fiz. Ela me traiu, possivelmente duas vezes, e tudo que eu consigo fazer é me culpar. Eu só não a chamei ainda pq imagino ela ficando com esse cara, que é melhor que eu em tudo: mais bonito, com uma barba farta de lenhador, com uma carreira já estabelecida, carro na garagem, mora sozinho e afins. O que me leva ao lado profissional: a sala da faculdade se reuniu para um churrasco há 3 semanas, estávamos conversando sobre empregos e eu concluí algo: apesar de que eu (e eu sei quão arrogante isso soa) ter feito que metade da sala ganhasse um diploma, eu sou o único dali sem um emprego minimamente fixo e tenho um salário que é o menor de todos, com vantagem. Todos falam que eu vou ganhar 3k, 4k logo, mas eu já cansei de tomar portadas de empresas. Gasto com passagem, gastei com um terno novo, gravata, e tudo que eu consegui foram muito obrigados, mas uma parcela da minha sala que literalmente não consegue entender que 50% e 0,5 são a mesma coisa (eu tive que ensinar manualmente regra de 3 simples e cálculo com números decimais quando estudamos Matemática Financeira) estão em empregos bons na iniciativa privada, comprando casas e carros. E, de todos ali, só uma me arrumou entrevista na empresa dela (que eu não consegui, principalmente por dita empresa estar num processo de fusão). Quatro conversam ocasionalmente, e o resto só entra em contato pedindo para que eu faça para eles provas de inglês de processos seletivos ou provas da faculdade (para os que ainda não se formaram).
Eu estou fazendo Contabilidade agora, vendo se consigo recomeçar, mas estou extremamente desiludido. Não sei o meu problema, mas o que eu imaginava quando entrei na faculdade não aconteceu. Eu sou um total fracassado no mercado de trabalho, e dificilmente vou conquistar algo além de pular de trabalho em trabalho de escritório, para tirar 2 salários e soltar rojão de alegria por não estar desempregado. Na verdade, eu já imaginava algo nessa linha desde o último semestre, mas, além da esperança mínima, eu carregava que iria ter uma família. Alguém me aceitava, alguém me amava. Hoje, eu vejo que nem isso. Nesse mês e meio pós-término, eu percebi como meu stock está horrorosamente baixo. Ouvi diretamente de uma estranha (no Tinder, vale dizer) como eu sou "feio, com cabelo estranho e roupas deprimentes". A maior parte dos meus amigos disse que eu vou achar alguém, mas só uma amiga me apresentou para alguém (Spoiler: eu quis levar pra amizade pq esta pessoa demonstrou 0 interesse romântico em mim, mas temos muitas afinidades de gostos. Não quero que alguém legal se perca só por não querer abrir as pernas pra mim em qualquer futuro).
Então, qual a conclusão? Para relacionamentos, eu sou a tempestade perfeita: meus gostos não são nada pop, meu estilo de roupa desagrada geral, minha voz é deprimente, eu sou lerdo, distraído, amo entrar em rants gigantes quando me empolgo (vide este texto) e, mesmo que alguma garota um dia resolva passar por isso tudo, o prêmio dela será ter de viver com sexo oral recheado por 30s de penetração, num dia bom. Nenhuma mulher no mundo quer se relacionar com um homem que precise fazê-la ter um orgasmo com masturbação pq não aguenta chegar a 1min de penetração. Ou seja, eu até posso tropeçar em alguma peguete (sim, essa é a palavra, tropeçar. Um incidente do acaso, como foi com a minha ex), mas nenhuma jamais chegará a ser de longo prazo. Dificilmente eu terei uma família. E, sem uma família, não há nada para contrabalancear o fato de que eu sou um fiasco profissional. O "menino gênio" do colégio, o "cara que vai ganhar 7000 daqui 3 anos" da faculdade nada mais era que uma pessoa com um par de neurônios no meio de um grupo de pessoas com bases educacionais mais fracas que a minha e, principalmente, sem interesse algum em estudar. Numa sala focada, eu teria de me esforçar para estar no meio do pelotão. Eu sou mediano intelectualmente e, profissionalmente, sou um lixo que não conseguiu fazer networking na faculdade e, hoje, irá ter de viver de escritório em escritório, sem nenhum breakthrough.
Minha vida parece estar desenhada para ser a definição de um fiasco, de um total e completo desperdício de oxigênio. Mas eu tenho uma missão: cuidar dos meus pais. Ambos dependem demais de mim psicologicamente, ambos me amam mais do que qualquer outra coisa. Sem a minha presença aqui, a vida dos dois colapsaria. Sinto que eu só vim ao mundo para ser o pilar da vida de ambos. Então, eu tenho que ir empurrando a minha vida enquanto ambos estão vivos, tentando ao máximo não embaraçar eles mais. Decidi que vou viver a vida no limite nesse meio tempo: finalmente comecei a fazer academia (minha postura sempre foi torta e, nos últimos 2 meses, eu ganhei peso. Quero eliminar essa pança antes que ela vire um problema), fui ao Maracanã mês passado ver a ida da Copa do Brasil (sou de MG), devo receber uma indenização boa quando sair daqui e estou planejando um mês de curso de inglês na Europa (meu inglês é bom, mas não é perfeito e isso sempre me incomodou horrores, sem falar que conhecer a Europa é O sonho que eu tenho de vida). Será o meu maior highlight, e a única loucura que eu me permiti fazer. Quando voltar, vou fazer o que gosto e, mais importante, vou cuidar dos meus pais, de tudo que eles precisarem de mim.
Não sei o que o futuro reserva pra mim, mas, pensando com lógica, eu devo chegar nos meus 35/40 anos quando ambos meus pais falecerem. Quando isso acontecer, serei um solteiro entrando na meia idade, possivelmente com pouca experiência sexual que não envolva garotas de programa, num emprego pouco satisfatório e sem nenhum amor que tenha sido recíproco e que não acabe na mulher se cansando de um cara patético e percebendo que praticamente qualquer coisa é melhor que eu. Será covardia, alguns sentirão tristeza, mas será temporário, todos irão superar, e haverá um pouco mais de oxigênio no mundo.
A minha mente ainda tenta, em alguns momentos, achar alguns cenários de ilusão, de que algum milagre irá acontecer, mas não irá. Eu sei que não. Profissionalmente eu fracassei. Academicamente eu fracassei. E, amorosamente, eu também fracassei. Vi que não basta achar alguém que aguente a minha personalidade, ela não irá suportar alguém que trata preliminares como Evento Principal, e eu irei morrer com esta condição.
Por mais paradoxal que seja, pensando assim eu estou aprendendo a abraçar o que eu gosto. Eu gosto de ler. Eu gosto de sair para comer e voltar para casa. Eu gosto de esportes. Eu gosto de escrever. Eu gosto de viajar. Não vou mudar o que eu gosto pelos outros, até porque será inútil, resolver um sintoma não cura a doença, e não há remédios o bastante para curar todos os sintomas dessa doença chamada eu. Fico feliz pelos meus pais existirem, pq, se não fosse por eles, eu teria sido um fiasco absoluto em vida. Fico feliz pelo meu último namoro, pq eu nunca me senti mais feliz do que numa tarde de sábado, quando ela disse "te amo" pouco antes de cochilar no meu peito. Eu fui feliz com o amor, e, por causa dela, eu aprendi que todo relacionamento que eu entrar, obrigatoriamente, terá um fim unilateral. Eu vou ser feliz com meus outros desejos, concluir meus hobbies, fazer o que eu gosto, e cuidar de quem me ama incondicionalmente, até o fim deles. Dali, serei eu que terei meu livramento.
Eu precisava contar isso pra alguém, mas não quero que tratem isso como um pedido de ajuda, pq não é. Meu real objetivo de vida sempre foi ter uma família minha, ter um filho em uma casa estruturada e passar meu conhecimento adiante. Eu já sei que, por questões psicológicas e físicas, isso jamais acontecerá. Quando meus pais se forem, eu literalmente não terei mais o que fazer aqui e, se tudo der certo, eu terei realizado ao menos uma parcela boa dos meus outros sonhos. Eu estou tranquilo quanto a isso. Talvez ainda sinta, de novo, a dor de ver alguém me trocando por outra pessoa melhor, mas agora eu sei que isso acontecerá. Doerá menos, eu espero. E, se nem isso eu conseguir, bem...dois salários por mês dá para pagar por sexo.
De novo, desculpem pelo texto gigante.
tl;dr: Todos confiavam em mim, todos achavam que meu futuro seria brilhante. Meu futuro será medíocre, patético e, ao menos, tem uma data para acabar
submitted by botafora01 to desabafos [link] [comments]


2015.12.31 00:24 amici_ursi Subreddit Stats: portugal top posts from 2014-12-29 to 2015-12-28 16:18 PDT

Period: 364.24 days
Submissions Comments
Total 1000 44523
Rate (per day) 2.75 121.66
Unique Redditors 425 2952
Combined Score 66627 165419

Top Submitters' Top Submissions

  1. 2475 pts, 25 submissions: u/Vasco_da_Gamba
    1. Não há nada mais português do que o Desenrascanço (328 pts, 60 comments)
    2. [NSFW] Dizem que a Sara Sampaio tem o peito pequeno. Esta imagem diz o contrário. (319 pts, 67 comments)
    3. Darth à cão (138 pts, 26 comments)
    4. Esperemos que nenhum refugiado seja enviado para Santiago do Cacém (128 pts, 47 comments)
    5. 760? Vai mas è pro caralhinho (120 pts, 20 comments)
    6. Para vos ajudar a refletir (117 pts, 25 comments)
    7. Castelo dos Mouros hoje 14 Novembro.Sintra,Portugal (117 pts, 37 comments)
    8. António Galvão,repórter de imagem da TVI, a ser ajudado por refugiados após carga de gás pimenta da polícia húngara. (108 pts, 53 comments)
    9. Jogo da colher nas bancadas do Vilafranquense-Sporting (91 pts, 10 comments)
    10. De Porcalhota para a Amadora (89 pts, 34 comments)
  2. 1571 pts, 21 submissions: u/Morpheuspt
    1. Um em cada três fumadores é imortal. (192 pts, 17 comments)
    2. Ide votar, sff. (181 pts, 173 comments)
    3. CAMPEÕES CARALHO!!!!! (161 pts, 21 comments)
    4. Telma Monteiro campeã da Europa de Judo, pela 5ª vez. (112 pts, 32 comments)
    5. /PORTUGALCARALHO declara guerra a /epana (91 pts, 34 comments)
    6. Ainda não saiu a noticia, mas as Linhas do Douro, Norte, Oeste, Sintra e Cascais já estão disponíveis no Google Street View (66 pts, 10 comments)
    7. Há quatro anos, isto aconteceu. (65 pts, 11 comments)
    8. Antes do Steve Harvey fazer merda, já nós tínhamos inventado o conceito de atribuir títulos à miss errada. (61 pts, 13 comments)
    9. GNR, Bitchez (60 pts, 41 comments)
    10. Ténis de mesa conquista primeiro ouro para Portugal (59 pts, 5 comments)
  3. 1220 pts, 23 submissions: u/pica_foices
    1. Eurosport garante direitos da Formula 1 em Portugal até 2018 (126 pts, 120 comments)
    2. Universidade de Coimbra cria método 10 vezes mais barato para diagnosticar cancro (90 pts, 1 comment)
    3. Banhista apanhado desprevenido pela TVI num directo (86 pts, 36 comments)
    4. Volkswagen pede desculpas a consumidores portugueses - publicidade no Expresso (66 pts, 64 comments)
    5. A carga fiscal explicada em legos, segundo o PCP (60 pts, 35 comments)
    6. Passos Coelho em 2014: "Há muitos que deveriam pagar os seus impostos e não pagam" (60 pts, 111 comments)
    7. IKEA, a arte de reinventar e vender (59 pts, 18 comments)
    8. o caso Luaty ma imprensa portuguesa: jornais (com vs sem) capitais angolanos (59 pts, 15 comments)
    9. Guimarães: Pai agredido à bastonada à frente da criança (filho) (55 pts, 192 comments)
    10. Passos Coelho de 2015 em debate com Passos Coelho de 2011 (52 pts, 20 comments)
  4. 1011 pts, 12 submissions: u/sotoon
    1. Entretanto nos tempos de salazar... (192 pts, 11 comments)
    2. Morte súbita (144 pts, 39 comments)
    3. Mudanças rápidas e sérias (94 pts, 17 comments)
    4. Como configurar um proxy (91 pts, 21 comments)
    5. CMTV mestre no clickbaiting (85 pts, 12 comments)
    6. Entretanto em Valongo... (78 pts, 21 comments)
    7. Não matem os licranços, são animais amistosos que não fazem mal a ninguém (74 pts, 48 comments)
    8. /Portugal reconhecido internacionalmente (71 pts, 14 comments)
    9. Encontrado num livro de matemática do 12º ano (54 pts, 12 comments)
    10. Árbitro confunde nome de jogador com insulto e expulsa treinador (44 pts, 21 comments)
  5. 970 pts, 16 submissions: u/otanerpt
    1. Pode não ser feriado, mas hoje comemora-se a Restauração da Independência (170 pts, 97 comments)
    2. Morreu o ator Nuno Melo (91 pts, 37 comments)
    3. Fail no Jornal da Uma "Foda-se oh Neves..." (82 pts, 30 comments)
    4. A capa do Record no dia depois da vitória do Nélson Oliveira na Vuelta e de um jogo da Seleção (69 pts, 28 comments)
    5. Ténis: João Sousa volta a fazer história, conquistando o torneio ATP de Valência! (69 pts, 18 comments)
    6. Belenenses qualifica-se para a fase de grupos da Liga Europa (59 pts, 31 comments)
    7. [Resultados] Mini-Sondagem /portugal - Eleições Legislativas (52 pts, 95 comments)
    8. Falha na TVI24: "Mas o programa está a acabar porquê?" (47 pts, 29 comments)
    9. Administrador pressiona governo: RTP 3 e RTP Memória devem passar para canal aberto (47 pts, 16 comments)
    10. Mini-Sondagem /portugal - Eleições Legislativas 2015 (46 pts, 83 comments)
  6. 968 pts, 13 submissions: u/fanboy_killer
    1. Malato, sobrevivente dos atentados de Paris (178 pts, 88 comments)
    2. Só estilo (162 pts, 37 comments)
    3. Pornhub & Portugal – Insights (sfw) (95 pts, 94 comments)
    4. Uber proibida em Portugal (88 pts, 173 comments)
    5. R.I.P. língua portuguesa (77 pts, 56 comments)
    6. Taxista involuntariamente irónico na manifestação anti-UBER (66 pts, 52 comments)
    7. Portugal nº1! Somos o país desenvolvido mais desigual do planeta! (57 pts, 38 comments)
    8. Só ficam a faltar as férias pagas (49 pts, 124 comments)
    9. Estou eu a ver o TED 2 quando de repente... (46 pts, 24 comments)
    10. 9 em cada 10 taxistas que fogem ao Fisco (40 pts, 14 comments)
  7. 868 pts, 14 submissions: u/catrapuz
    1. Fiz uma GIF com o gajo da Madeira (192 pts, 56 comments)
    2. O Vegeta a cantar o fado (89 pts, 6 comments)
    3. HEA Carolina Beatriz Ângelo foi a primeira mulher a votar em Portugal. Em 1911, só era permitido o voto aos "chefes de família que soubessem ler". Invocou em tribunal o direito de ser considerada como tal, pelo facto de ser viúva. (73 pts, 8 comments)
    4. Tou com vontade de comprar estas pantufas só para experimentar isto. (66 pts, 22 comments)
    5. Como eu vejo o /portugal das últimas horas (61 pts, 21 comments)
    6. O cenário para esta entrevista estava original (61 pts, 10 comments)
    7. Cavaco Lee (50 pts, 1 comment)
    8. A 11 de Setembro de 1985 aconteceu o pior acidente ferroviário de Portugal. Duas composições colidiram junto ao apeadeiro de Moimenta-Alcafache a cerca de 100 Km/h, com o nº total de mortos estimado em mais de 100 pessoas. (49 pts, 43 comments)
    9. [HEA]No início do sec.XX, o Leiteiro era uma profissão em Lisboa. Andava pelas ruas com as vacas ou cabras, e vendia o leite ao domicílio, tirado diretamente dos animais. (42 pts, 17 comments)
    10. O motor não pega? Um pouco de perfume é capaz de ajudar (39 pts, 9 comments)
  8. 815 pts, 14 submissions: u/ManaSyn
    1. Um pãozinho é sempre apetitoso, mas... (99 pts, 12 comments)
    2. Lembram-se da minha carrinha roubada? (83 pts, 28 comments)
    3. Estuário do Tejo, por Samantha Cristoforetti, astronauta italiana (66 pts, 2 comments)
    4. Chico esperto (62 pts, 5 comments)
    5. Portugal não consegue travar avanço da vespa-asiática (62 pts, 37 comments)
    6. Os 100 apelidos mais comuns em Portugal (registados no primeiro semestre de 2015). (61 pts, 73 comments)
    7. Há que chamar as coisas pelos nomes (59 pts, 10 comments)
    8. The Strangest, Most Eclectic, Fantastical Palace I've Ever Seen: The Pena Palace, a UNESCO World Heritage Site in Sintra, Portugal (x-post /Europe) (53 pts, 20 comments)
    9. André Carrilho vence World Press Cartoon (52 pts, 7 comments)
    10. HEA que o site de queixas electronicas do MAI tem um botão de pânico para quem estiver a fazer uma queixa às escondidas (52 pts, 12 comments)
  9. 745 pts, 6 submissions: u/tiago1500
    1. The feels (317 pts, 67 comments)
    2. ;( (145 pts, 19 comments)
    3. How Powerful is Portugal? (101 pts, 98 comments)
    4. Encontrei um livro muito interessante! (74 pts, 46 comments)
    5. Depois de ver aquela imagem do NOS Alive(x-post /adviceanimals (68 pts, 15 comments)
    6. TIL José Castelo Branco é primo do António Costa (40 pts, 20 comments)
  10. 701 pts, 10 submissions: u/No_Im_Not_High
    1. Cavaleiros que dizem joelho (144 pts, 35 comments)
    2. Vou só deixar esta imagem aqui, ok? Pronto, é tudo, continuação de bom dia. (94 pts, 7 comments)
    3. "O chefe-editor da Redditor" - é fácil ser "jornalista" no SAPO... (90 pts, 37 comments)
    4. Último esforço pelo Centro de Recuperação do Lobo Ibérico (72 pts, 42 comments)
    5. Portugal ofereceu-se para receber 5 mil refugiados. Só 50 aceitaram (64 pts, 175 comments)
    6. "José Sócrates é um preso político" (52 pts, 37 comments)
    7. Boa promoção no jumbo (50 pts, 9 comments)
    8. (Foi rápido...) Anulada sentença de 3,5 anos de prisão a Maria Lurdes Rodrigues por prevaricação (47 pts, 67 comments)
    9. Como ficaria o parlamento se os mandatos fossem distribuídos apenas pelo total de votos a nível nacional? (46 pts, 91 comments)
    10. [Não é inimigo público] Graça Castanho desiste de candidatura por assinaturas terem sido levadas pelo vento (42 pts, 13 comments)

Top Commenters

  1. u/informate (2790 pts, 928 comments)
  2. u/No_Im_Not_High (2289 pts, 424 comments)
  3. u/Morpheuspt (2120 pts, 661 comments)
  4. u/ruifon (2022 pts, 790 comments)
  5. u/raviolli_ninja (1586 pts, 204 comments)
  6. u/4thDimensi0n (1578 pts, 262 comments)
  7. u/Empirion (1446 pts, 324 comments)
  8. u/Herbacio (1435 pts, 296 comments)
  9. u/pilas2000 (1382 pts, 436 comments)
  10. u/van_Zeller (1371 pts, 249 comments)

Top Submissions

  1. Não há nada mais português do que o Desenrascanço by u/Vasco_da_Gamba (328 pts, 60 comments)
  2. [NSFW] Dizem que a Sara Sampaio tem o peito pequeno. Esta imagem diz o contrário. by u/Vasco_da_Gamba (319 pts, 67 comments)
  3. The feels by u/tiago1500 (317 pts, 67 comments)
  4. The Most Accurate Map of Portugal Ever Made by u/msixtwofive (264 pts, 55 comments)
  5. Pedido urgente de ajuda: Lisboa by deleted (256 pts, 195 comments)
  6. A capa do i de hoje. Os meus parabéns. by u/BlizzTheMighty (249 pts, 107 comments)
  7. Bom trabalho portugal! by u/xc9000 (228 pts, 82 comments)
  8. O gato Costa by u/cool_raver (213 pts, 20 comments)
  9. Campanha GNR by u/golden430 (203 pts, 53 comments)
  10. This is one of the things I look most forward to when I plan a trip to Portugal (I am from Denmark) by u/Maktone (195 pts, 55 comments)

Top Comments

  1. 185 pts: u/twistedfires's comment in Como escolher melancias?
  2. 141 pts: u/autoclismo's comment in Há padeleiros por aqui?
  3. 137 pts: u/No_Im_Not_High's comment in Hello portugal!
  4. 112 pts: u/CrazyJony's comment in Um resumo da semana que passou em Portugal
  5. 110 pts: u/autoclismo's comment in It's not our fault, really
  6. 106 pts: u/Zorthianator's comment in Does anyone know the name of this Portuguese dish and perhaps has the original recipe?
  7. 104 pts: u/Vasco_da_Gamba's comment in Namoro com a minha prima. AMA I guess..
  8. 104 pts: deleted's comment in Does anyone know the name of this Portuguese dish and perhaps has the original recipe?
  9. 102 pts: u/QuintoImperio's comment in Malato, sobrevivente dos atentados de Paris
  10. 97 pts: u/potatoschnitzle's comment in Fui agredido pela GNR, vale a pena fazer algo?
Generated with BBoe's Subreddit Stats SRS Marker: 1451341110.0
submitted by amici_ursi to subreddit_stats [link] [comments]


2015.04.24 03:03 candisurvey2015 Galera, preciso de uma ajudinha da comunidade!

É o seguinte, namoro uma canadense que está fazendo um pequeno estudo sobre aquisição de línguas para o seu mestrado. Ela desenvolveu (e eu traduzi) um questionário rápido e estou precisando muito de pessoas para respondê-lo. É coisa rápida, de 20 minutos e ficaríamos muito felizes se vocês ajudassem.
Está escrito no texto do questionário, mas eu reitero que tudo é confidencial e anônimo. Vocês podem (e devem) fazer perguntas ao respeito se quiserem, por PM. Então, quem tiver alguns minutos de sobra, por favor nos dê essa força!
http://www.sogosurvey.com/survey.aspx?k=RQsTPYSTsRsPsPsP&lang=0&data
Valeu!!
Obs: O questionário é só para pessoas entre 18 e 30 anos de idade que fizeram pelo menos parte do seu Ensino Médio na região Sudeste.
Obs 2: Para quem achar que é spam pela conta ser nova, esclareço que sou frequentador do sub mas achei melhor criar uma conta só para o questionário para não ligá-lo nem ao meu nem ao perfil dela, por ser um trabalho de cunho acadêmico.
Obs 3: Adianto que é meio difícil então não desistam :P
EDIT: O KaXaSa corretamente apontou um erro no questionário. A ultima frase da primeira frase deve ler:
Meu consentimento também indica que tenho mais de 18 anos de idade.
submitted by candisurvey2015 to brasil [link] [comments]


NAMORO ESCONDIDO?! QUEM É MAIS PROVÁVEL DA LOUD!! - YouTube PRIMEIRA VEZ COM MEU NAMORADO Coloquei uma Câmera Escondida e Peguei Minha Esposa No ... Jade faz sua primeira tattoo + Jade e João tatuam data de ... Pedir em namoro: Qual a hora certa? - YouTube PEDI PRA ELA BATER UMA PRA MIM E ELA ACEITOU - YouTube NAMORO com ROBÔS - Uma nova tendência? - YouTube PRIMEIRA VEZ COM MINHA NAMORADA - YouTube NOSSA PRIMEIRA VEZ - TATA E COCIELO - YouTube PEDIDO DE NAMORO FINALMENTE PERFEITO!! (MARIA VENTURE E ...

Namoro Após 50: Quem paga pela primeira data? - Dummies ...

  1. NAMORO ESCONDIDO?! QUEM É MAIS PROVÁVEL DA LOUD!! - YouTube
  2. PRIMEIRA VEZ COM MEU NAMORADO
  3. Coloquei uma Câmera Escondida e Peguei Minha Esposa No ...
  4. Jade faz sua primeira tattoo + Jade e João tatuam data de ...
  5. Pedir em namoro: Qual a hora certa? - YouTube
  6. PEDI PRA ELA BATER UMA PRA MIM E ELA ACEITOU - YouTube
  7. NAMORO com ROBÔS - Uma nova tendência? - YouTube
  8. PRIMEIRA VEZ COM MINHA NAMORADA - YouTube
  9. NOSSA PRIMEIRA VEZ - TATA E COCIELO - YouTube
  10. PEDIDO DE NAMORO FINALMENTE PERFEITO!! (MARIA VENTURE E ...

ACESSE O LINK: https://www.instagram.com/djhonyeidt/ PEDI PRA ELA BATER UMA PRA MIM E ELA ACEITOU FAMÍLIA ELA ACEITOU BATER UMA PRA MIM E AINDA MANDOU EU TIR... INSCREVA-SE NO CANAL Pedido de Namoro ☆ MINHA NAMORADA ME TRAIU ☆ VEJA https://youtu.be/-DoIV6xC1Ew ☆ PRIMEIRO VÍDEO COM A CAROL https://youtu.be/q... PEDIDO DE NAMORO FINALMENTE PERFEITO (MARIA VENTURE E GREGORY KESSEY) Espero que forem, nesse cifro pedi a maria Venture em namoro pela segunda vez após re... Coloquei uma Câmera Escondida e Peguei Minha Esposa No Flagra Qual é a hora certa de pedir uma garota em namoro? O Eddie e o Leo respondem um leitos que está na dúvida de como pedir em namoro sua ficante. Será que exist... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. Jogue conosco: https://www.discord.gg/loud Acompanhe a LOUD na Nimo: https://linktr.ee/LOUDnimo Faça barulho conosco: Assista a LOUD ao vivo na https://nim... Contato Profissional: [email protected] Twitter oficial: (@MundoBizarro_JR): https://twitter.com/MundoBizarro_JR?s=09 Canal da minha esposa (Taty): ht... casa de rico e casa de podre nos estados unidos 🇱🇷 faxina ... a primeira vez com uma trans - duration: 9:54. thiessita 1,585,136 views. 9:54. trolei meu namorado com chupÃo , deu ruim ... Galera, fizemos a tag clássica do youtube 'minha primeira vez', ficou muito engraçado!! Corre pra ver e não esquece o like Jontex: https://m.youtube.com/watc...